Segovia não tem a confiança da corporação e desmoraliza a PF por suas atitudes

Compartilhe essa notícia!

Fernando Segovia não reúne mais as condições mínimas necessárias para estar à frente da Polícia Federal – PF do Brasil.

Sua nomeação para o cargo de diretor-geral da PF na gestão Michel Temer nasceu de uma articulação às sombras entre os encrencados ministros Eliseu Padilha e Wellington Moreira Franco, sendo referendada — pasmem! — pelo imortal Jose Sarney.


Considerando aquele famigerado áudio do senador Romero Jucá sobre um “grande acordo nacional para estancar a sangria da Operação Lava Jato”, já haveria motivos de sobra para que o Povo Brasileiro desconfiasse da assunção do ex-superintendente da PF no Maranhão.

Dias depois, Segovia envolveu-se numa situação ruidosa ao ser flagrado pela GloboNews numa reunião sigilosa no Palácio do Planalto um dia antes de o presidente Michel Temer responder ao interrogatório da própria Polícia Federal do Brasil referente às investigações contra o ex-assessor planaltino Rodrigo Rocha Loures flagrado correndo pela Boca do Lixo, em São Paulo, com uma mala recheada com dinheiro roubado dos cofres públicos dos otários nacionais pagadores de Impostos.

À época, Fernando Segovia chegou ao cúmulo de questionar se aquelas imagens representavam mesmo crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pleiteados pelo então procurador-geral Rodrigo Janot. “Uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa”, disse Segovia. [Fonte: revista Exame]

Cereja do bolo do quadrilhão, neste sábado (10) Fernando Segovia atingiu o limite das condições mínimas para continuar no cargo. Em entrevista à Reuters, antecipou uma série de conclusões sobre o inquérito da PF contra o presidente Michel Temer, entre elas a possibilidade de um esdrúxulo arquivamento. [Fonte: Folha de S.Paulo]

Reação imediata, Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal, intimou o diretor-geral da PF a dar explicações oficiais sobre a desastrosa — e não menos suspeita — declaração. De acordo com Barroso, Fernando Segovia pode ter cometido uma Infração Penal. [Fonte: G1 – O Portal de Notícias da Globo]

A situação fica ainda pior e absolutamente insustentável após a publicação da repórter Andreia Sadi no G1 sobre a articulação do Palácio do Planalto para destituir o delegado Cleyber Malta Lopes, que conduz o inquérito em que Temer é investigado por supostamente beneficiar uma empresa do setor portos. Leia o que escreveu Sadi: “Desde a posse de Segovia, Temer discute como trocar delegado que conduz inquérito sobre portos” [Fonte: G1]

Tem mais!

Renata Lo Prete, apresentadora do Jornal da Globo, escreveu o seguinte bastidor: “Diretor-Geral da PF é desafeto do delegado que investiga Temer. […] Quando Segovia era superintendente no Maranhão, Cleyber presidiu um inquérito envolvendo a família Sarney.” [Leia o que escreveu Lo Prete no G1]

Manter Fernando Segovia no cargo desmoraliza a PF. Ou o Povo Brasileiro reage, ou os criminosos de colarinho-branco vão destruir a Lava-Jato e o que sobrou do Brasil.

Segue o enterro…

Compartilhe essa notícia!