O BRASIL VAI FICAR MUDO! Risco de ‘caladão’ em 2.051 cidades com crise da Oi, governo avalia falência que afetaria telefonia e internet

RIO – Uma eventual falência da Oi pode deixar sem sinal os serviços de telecomunicações em 2.051 municípios brasileiros da noite para o dia. O número, que representa 37% do total de cidades do país, abrange locais onde só a Oi opera em telefonia fixa, celular ou banda larga e áreas atendidas por outras teles e provedores que usam apenas a infraestrutura da empresa carioca.

Esse “caladão” nos serviços de telefonia e internet (voz e dados) pode afetar 46 milhões de linhas de celular, 14 milhões de telefones fixos e cinco milhões de pontos de acesso à banda larga. Os números constam de documento do governo, ao qual O GLOBO teve acesso, que retrata a preocupação com a companhia carioca, a maior concessionária do país.

Um dos trechos do documento é enfático: “2.051 municípios estão em risco de apagão imediato dos serviços de voz e dados”. Segundo uma fonte do governo envolvida no grupo de trabalho criado há duas semanas e coordenado pela Advocacia-Geral da União (AGU), em caso de uma possível falência da Oi, os mais afetados serão os usuários de celular.

O objetivo do documento é criar esforços para evitar que a Oi entre em processo de falência. Para isso, a AGU está liderando as conversas entre a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Justiça e possíveis investidores para buscar uma solução conjunta entre credores e Conselho de Administração, que vêm se desentendendo com a diretoria executiva da Oi. A empresa está em recuperação judicial desde junho do ano passado e até agora não conseguiu aprovar seu plano de reestruturação.

A assembleia de credores prevista para amanhã foi adiada para o dia 6 de novembro a pedido de credores, como bancos públicos, instituições financeiras privadas e fundos detentores de títulos. O objetivo é dar tempo para que se crie nova proposta de consenso.

O impasse em torno do futuro da Oi esbarra em problemas para seus concorrentes, TIM, Vivo e Claro, alerta o documento em análise na AGU e nos ministérios das Telecomunicações e da Fazenda. As teles alugam rede da Oi para prestar serviços em diferentes áreas do país, aponta o documento. Em quase 40% das cidades em que há alguma alternativa ao serviço da Oi, os concorrentes da tele carioca utilizam alguma parte da rede da concessionária, alugando equipamentos, circuitos ou até mesmo espaço nos imóveis da Oi.

— Praticamente todo o tráfego telefônico do Brasil, exceto no Estado de São Paulo, passa pela rede da Oi. O mais preocupante, porém, é o nível de dependência das outras empresas Brasil afora. Todas as teles dependem da Oi em algum grau. Assim, um problema na Oi afetaria não só os seus clientes, mas também os de outras empresas que alugam a rede da Oi e dependem da infraestrutura da concessionária para oferecer os serviços de voz e dados — disse uma fonte do governo.

A crise da Oi começou quando a tele comprou a Brasil Telecom (BrT) em 2010. Na ocasião, a união das duas concessionárias, que contou com ajuda do governo dentro da política de campeões nacionais, criou a chamada supertele. Com o negócio, a dívida da Oi aumentou, após a descoberta de passivos bilionários relativos à BrT. Quatro anos depois, a tele, endividada, decidiu se unir com a Portugal Telecom.

E outra surpresa: no processo de unificação, a Oi descobriu rombo bilionário, desta vez em euros. Na última década, há diversas denúncias de uso político da Oi. Assim, a dívida da companhia aumentou ano a ano, forçando a empresa a entrar em recuperação judicial em junho de 2016, com débitos de cerca de R$ 64 bilhões.

ELEIÇÕES E HOSPITAIS

Desde o início do ano, a crise na companhia se agravou com as brigas envolvendo credores, acionistas e diretoria executiva. Com os desentendimentos ganhando força, o governo decidiu montar um grupo de trabalho interministerial para encontrar soluções para a Oi. Foram até o momento quatro planos diferentes de recuperação judicial, e um quinto pode ser feito ao longo de novembro.


Continua depois da publicidade

— A situação da Oi foi ganhando complexidade. Como os credores podem reprovar o plano de recuperação judicial da Oi, o risco de intervenção cresce. A Anatel ainda analisa se abre ou não um processo para tomar a concessão — destacou outra fonte.

Assim, os reflexos podem ir além dos consumidores finais. O documento menciona efeito em serviços básicos de saúde e educação. Um dos trechos cita a importância da prestação de voz e dados da Oi em 40 mil unidades de saúde e cem mil estabelecimentos de ensino público. Quem também usa a rede da Oi é o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para transmissão de dados. Nas últimas eleições, em 2016, a rede da companhia foi usada em 4.924 municípios em 23 estados e Distrito Federal. A tele atende 61 postos de fronteira controlados pelo Exército.

Segundo Hermano Pinto, consultor em telecomunicações, a Oi é a empresa com maior integração nacional. Para ele, uma eventual paralisia da concessionária vai afetar o desenvolvimento do setor de telecomunicações.

— Norte, Nordeste e Centro-Oeste serão as regiões mais afetadas. Muitas cidades nessas regiões têm basicamente uma empresa com acesso fixo, que é a Oi. A empresa tem ainda todo um trabalho em escolas e hospitais, além da transmissão dos dados nas eleições do país — disse Pinto.

Segundo fontes do setor, nas regiões Nordeste e Norte, a dependência é maior, perto de 40% das cidades. Já no Sul e Centro-Oeste, esse número cai para cerca de 30%, chegando a 35% dos municípios de alguns estados. Isso ocorre, dizem analistas, porque a Oi tem a maior rede de fibra ótica da América Latina, com 363 mil quilômetros de extensão.

O especialista Ronaldo Sá, da Orion Consultores Associados, explica que as grandes empresas e provedores não tendem a investir na construção de uma rede em cidades onde não há renda suficiente. Com isso, explica ele, os conselhos de administração das companhias não aprovam o aporte de recursos, pois os investimentos são deficitários. A Oi aluga sua rede para cerca de 300 companhias.

— É uma decisão econômica. As empresas não investem em um local onde não haverá demanda para pagar todo o investimento — disse Sá.

AUMENTO DE INVESTIMENTO

Por outro lado, Eduardo Tude, da consultoria Teleco, minimiza os impactos de uma crise da Oi para o sistema de telecomunicações. Segundo ele, a grande força da companhia é em telefonia fixa e não em telefonia móvel e internet. Porém, reconhece que a tele tem papel relevante no aluguel de rede a outras empresas.

— A situação de dependência da Oi já foi mais crítica sobretudo em banda larga. Em telefonia móvel, há muitas opções também. Nos últimos anos, as redes das outras empresas também cresceram no país. Mesmo assim, o aluguel da rede da Oi por outras empresas ainda existe. Um dos efeitos que se sente hoje com a crise na Oi é o baixo volume de investimentos, como em banda larga e celular — avalia.

A Oi afirma que vem desempenhando suas atividades normalmente. A tele disse que, desde o início do processo de recuperação judicial, teve aumento de 45,5% no caixa e o volume de investimentos cresceu 18% em 2016. “A empresa está focada em iniciativas que garantem aumento da produtividade e eficiência operacional, que no primeiro semestre impactaram em um corte de custos da ordem de R$ 1,2 bilhão e melhoria de qualidade com redução de 58% das entradas de processos nos Juizados Especiais Cíveis frente ao mesmo período do ano passado”, destacou a Oi em nota. Procurada, a AGU não comentou.

Segundo a Anatel, as prestadoras são obrigadas a tornar suas redes disponíveis para interconexão quando solicitado. “Deste modo, o tráfego de chamadas ou dados pode ser realizado pela rede de uma ou mais empresas, na medida em que pode envolver usuários de diferentes prestadoras”, disse a agência, em nota, ressaltando que temas como esse são acompanhados constantemente.

Seja o primeiro a compartilhar com seus amigos!


:) Espalhe essa notícia


:) Receba as novas notícias no Facebook


:) Curtir o site


Leia mais em: PoliticaMente


7220 postagens

Qual a sua opinião? Deixe-nos saber seus pensamentos nos comentários logo abaixo. Não se esqueça de nos seguir para ficar bem informado no que virou notícias no Brasil e no mundo!



Juiz do DF condena Renan à perda do mandato e dos direitos políticos por 8 anos
Coluna: PoliticaMente



Jornalista Lillian Witte Fibe diz que Carmen Lúcia é a VERGONHA DO BRASIL, VEJA AQUI
Coluna: PoliticaMente



PARA A CURA DA ALMA: Limpeza dos 21 Dias do Arcanjo Miguel – Com Som 528Hz de Cura (áudio original)
Coluna: Religiosidade



Investigados no ‘quadrilhão do PMDB da Câmara’ tentam fugir de Moro e ficar no STF
Coluna: PoliticaMente



Prisão de Cabral completa um ano e manifestantes fazem festa na porta de presídio em Benfica, no Rio
Coluna: PoliticaMente



‘RIO DEFINHA E CRIMINOSOS SE EMPAPUÇAM COM DINHEIRO PÚBLICO’, DIZ PROCURADOR
Coluna: PoliticaMente



STJ MANTÉM CONDENAÇÃO DE BOLSONARO POR DIZER QUE ‘NÃO ESTUPRARIA’ ROSÁRIO
Coluna: PoliticaMente



TUDO POR IBOPE: Globo aposta em filho que espanca mãe e cena gera revolta. A sociedade está inconformada com essa lixeira Global
Coluna: Comportamento, Debate



Selfie de Miss Iraque com Miss Israel gera polêmica ante conflito na região, entenda o absurdo
Coluna: Guerra, Pelo Mundo



5 a 0 é o placar dos pedidos de suspeição contra Moro. Zanin e Roberto Teixeira nem são mais levados a sério, perderam totalmente a credibilidade.
Coluna: PoliticaMente



Gilmar Mendes E Ricardo Lewandowski Preparam Terreno Para O Grande Golpe Contra A Lava Jato
Coluna: PoliticaMente



COVARDIA SEM FIM CONTRA AS MULHERES: Vendedora posta fotos após ser agredida pelo namorado, ‘É hora de acordar’.
Coluna: Comportamento



SUPER HONESTO: Patrimônio de ACM Neto cresce mais de 3000% em oito anos e chega a quase R$ 30 milhões
Coluna: PoliticaMente



ALGUÉM AINDA NÃO SABIA QUE ELE É BANDIDO? Jorge Picciani, Paulo Melo e Albertassi são transferidos para Cadeia Pública de Benfica
Coluna: PoliticaMente



Fotos flagram manobras de moto aquática instantes antes de jovem ser morto em SP
Coluna: Policial



‘É preciso corrigir os abusos’, diz Gilmar Mendes sobre delações premiadas. Mas a verdade é outra, descubra qual….
Coluna: PoliticaMente



REVOLTADO COM O SEU PÚBLICO: William Bonner detona críticos em ‘textão’ enigmático em rede social
Coluna: Comportamento



SEM MEDO DO POVO: Câmara paga a nove deputados federais que perderam o mandato, ou seja cassados, até R$ 23 mil de aposentadoria
Coluna: PoliticaMente



DENÚNCIA GRAVÍSSIMA DO JORNALISTA Marco Antonio Villa: Há uma grande conspiração no STF para acabar com a Lava Jato
Coluna: PoliticaMente



COMEMORE AGORA MESMO: Ministério Público pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula e seu filho caçula
Coluna: PoliticaMente



Desembargador que vai julgar o destino de Lula revela em seus quadros um ex-petista
Coluna: PoliticaMente



Silvio Santos fecha porta na cara de funcionário demitido. Carlinhos Aguiar buscava entender a sua demissão, mas assista o vídeo…
Coluna: Comportamento



URGENTE: Delator diz que Globo pagou propina para ter exclusividade de transmissão da Copa do Mundo
Coluna: PoliticaMente



Gleisi tentou dar carteirada durante depoimento mas passou o maior carão: “aqui não é o Senado”
Coluna: PoliticaMente



COM MUITO MEDO: Lula Confisca Celulares De Assessores Para Evitar Vazamentos Em Sua Caravana
Coluna: PoliticaMente



Ohio cancela execução após médicos não conseguirem encontrar veia de condenado
Coluna: Pelo Mundo



PARA MUDAR A SUA VIDA: 5 segredos da felicidade, segundo o ‘homem mais feliz do mundo’
Coluna: Coisa Linda, Religiosidade



Raquel Dodge arrebentou com a vida do ministro covarde: PGR denuncia ministro do TSE por agressão contra a própria mulher
Coluna: PoliticaMente



TRAGÉDIA: Maitê Proença fala sobre o assassinato da mãe pelo próprio pai, atriz falou abertamente sobre o trauma que a atingiu
Coluna: Comportamento



PÉ NOS FUNDOS: Maitê Proença conta como soube de demissão da Globo. Veja como é a política da ‘poderosa’
Coluna: Comportamento



CÂMARA-TUR – TURISMO PAGO PELO POVO: Viagem de Maia e nove deputados pelo exterior custará R$ 90 mil à Câmara. Visitarão Israel, Palestina, Itália e Portugal, mas pra que?
Coluna: PoliticaMente



7220 postagens


continua após a publicidade