Decisão no plenário do Supremo será como final de copa do mundo

Compartilhe essa notícia nas suas redes sociais, comente no final da postagem!

De futebol todo brasileiro entende, mas será que entende a pegadinha que o constituinte enfiou na Lei Maior em 1988? Vejamos.

O artígo 5º é o definidor dos chamados direitos e garantias fundamentais. Há ali algumas jabuticabas e quase jabuticabas, mas o espírito do tempo (1988) inspirava o horror à prisão, associada então aos “bravos combatentes da ditadura” e às “vítimas da injustiça social”. Isso deu nos seguintes incisos do citado artigo:

LXI – ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária competente (…).

Socorram-me os advogados com as regulamentações de hierarquia inferior, mas me parece que a prisão por flagrante tem prazo máximo, restando para a “ordem escrita e fundamentada” a temporária, a preventiva, a por falta de pagamento de pensão e aquela resultado de aplicação de pena em julgamento. Nesse final aí mora o perigo de outro inciso da CF88:

LVII – ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.

Seria lindo e poético, não demorasse o “trânsito em julgado” no Brasil muitas vezes o tempo de uma vida.

O “considerado culpado” se esgota na segunda instância, pois STJ e STF não reexaminam provas, podendo apenas reconhecer detalhes técnicos que mudem uma sentença, como prescrição ou ilegalidades processuais, por exemplo. Mas a CF88 não entra nesse detalhe no artigo 5º, prevalecendo o “trânsito em julgado”.

Então o latrocida, o estuprador, o assassino, o assaltante contumaz, o sequestrador, todos podem passar a vida soltos e quando estiverem bem velhinhos finalmente irem em cana por conta do “trânsito em julgado”?

Não é bem assim, pois o juiz, preventivamente, pode determinar que a liberdade de um criminoso é perigosa para a sociedade, especialmente em crimes de alto poder ofensivo ou de alta repulsa social, como o tráfico de drogas. Quando chega no “trânsito em julgado”, ele já cumpriu a pena ou cumpre regime diverso do fechado. Isso ocorre na maior parte dos casos, pelo menos após o resultado do julgamento de primeira instância. Pensem no goleiro Bruno.

O plenário do STF pode entender, como entenderam já alguns ministros em caso análogo, que o inciso LVII do art. 5º, combinado ao LXI, deve ser entendido ao pé da letra e manter Lula solto pelo tempo provável que lhe resta de vida. Passará a sensação de impunidade? Sem dúvida, isso é impunidade, e impunidade é o que o constituinte plantou na Lei Maior.

Até aqui, tudo se resolvia com a condenação de latrocidas, estupradores, traficantes e homicidas já preventivamente ou em primeira instância enfiados onde devem estar: bem longe do convívio social. O preso recorria preso aos tribunais, apelando ao inciso LVII da CF88, mas via de regra a prisão era mantida pelo fundamento do “perigo à sociedade”, “alta repulsividade da conduta do réu”, me auxiliem os advogados com os termos.

É evidente que condenados por corrupção não irão sair por aí assaltando nas esquinas à mão armada para levar aparelho celular. Logo, é improvável que cometam latrocínios. Então concluímos que corrupção é um crime menor, que pode se socorrer do inciso LVII, essa estrovenga que, combinada, é impunidade na prática, enquanto latrocínio ou estupro não podem. Tráfico de drogas, um crime a meu ver muito menos ofensivo do que corrupção, também não.

Mas se Lula tiver aplicado a si o inciso LVII, combinado ao LXI, e ao entendimento de primeira instância de que não há elementos para uma preventiva, então com que moral se continuará mantendo presos homicidas, latrocidas, traficantes e estupradores condenados em uma ou duas instâncias? Somente se concluirmos ser a corrupção um crime menor e os incisos LVII e LXI só valerem para crimes menores.

Se corrupção passa a ser crime menor, o país afundará na corrupção e não haverá mesmo solução para problema nenhum nosso. E se, por coerência, se deva aplicar ao pé da letra os incisos LVII e LXI a todos, vote-se o amplo armamento civil e quem sobrar vivo conte sua história, pois a lei penal, na prática, não servirá para nada.

A estrovenga está lá na CF88, ninguém notou até aqui porque não era aplicada (nem aos corruptos, vejam quantos estão presos). Mas diante de um réu tão “espírito do tempo”, volta o espírito do tempo de 30 anos atrás e o STJ e STF que deem conta de julgar recurso por recurso de cada criminoso brasileiro até esgotar o “trânsito em julgado”.

O problema, no fundo, é o espírito do tempo, que nossa academia segue propagando e parte de nosso povo faz que não enxerga.

A POSTAGEM CONTINUA....

Compartilhe essa notícia nas suas redes sociais, comente no final da postagem!

:) Participe no nosso Facebook!



NO TOPO AGORA!




OS CAMINHONEIROS SÃO NOSSOS AMIGOS E ESTÃO CHEIOS DE RAZÕES: TEM QUE PARAR TUDO MESMO. Estão pagando para trabalhar!
Coluna: PoliticaMente



Gilmar soltou, nada mais nada menos, 9 presos da Lava-Jato em maio. Saiba quem são os inimigos do Brasil e amigos do “Ser Supremo”
Coluna: PoliticaMente



SALVE TEMER, O IDIOTA! O Brasil implodiu: Gasolina chega a R$ 9,99 em Brasília; falta comida, água e carne. As empresas estão quebrando geral!
Coluna: PoliticaMente



Delúbio volta hoje para o lugar de onde jamais deveria ter saído. Sérgio Moro decretou a prisão do ex-tesoureiro petista Delúbio Soares
Coluna: Policial, PoliticaMente



Padre pede perdão por ter orado pela libertação de Lula
Coluna: Comportamento



Moro dá prazo para Mantega explicar conta na Suíça e coloca ex-ministro bem próximo do xilindró
Coluna: Policial, PoliticaMente



General Mourão detona o governo e diz: “Terá que haver uma intervenção forte num primeiro momento”
Coluna: PoliticaMente



O FIM DO MUNDO CHEGOU! Artistas e “intelectuais” abandonam Lula e abraçam candidatura de Guilherme Boulos do MTST
Coluna: PoliticaMente



O INCONPETENTE: Temer se assusta com greve e pede trégua de dois ou três dias aos caminhoneiros para “encontrar solução satisfatória”
Coluna: PoliticaMente



Moro age rápido, prende petista e vê STF falhar ao dar perdão a condenado. Delúbio Soares entra em cana e não sai mais, nunca mais…
Coluna: PoliticaMente

Leia mais 9000 postagens