Arquivo da categoria: Guerra

Qual a ameaça real do ‘torpedo do juízo final’, a arma nuclear da Rússia que preocupa os EUA

Em documento com novas diretrizes para sua estratégia nuclear, o governo Donald Trump cita um sistema russo que está em desenvolvimento como uma das ameaças aos Estados Unidos.

Sigiloso, implacável e devastador.

Assim é descrito o Sistema Oceânico Multipropósito Status-6, uma arma nuclear russa que está em fase de desenvolvimento e que tem preocupado os Estados Unidos.

Em sua Revisão de Postura Nuclear (NPR, da sigla em Inglês) divulgada em 2 de fevereiro, o Departamento de Defesa americano incluiu a arma como uma das ameaças que justificam os EUA modernizarem seu arsenal atômico.

O presidente dos EUA, Donald Trump, acredita que o país está sendo alcançado por seus grandes concorrentes – Rússia e China – por causa do que considera “anos de abandono da era Obama”.

A NPR, que dita o plano de atuação do governo em relação às armas de dissuasão, caracteriza o Status-6 como “um novo torpedo intercontinental autônomo e submarino, de combustível e armamento nuclear”.

Já a Rossikaya Gazeta, o jornal oficial do governo russo, o batizou como o “artefato do dia do juízo final”.

Capaz de atravessar o oceano 

Explosão nuclear: O Pentágono garante que a Rússia desenvolve ao menos outros dois sistemas de alcance intercontinental (Foto: US Navy )Explosão nuclear: O Pentágono garante que a Rússia desenvolve ao menos outros dois sistemas de alcance intercontinental (Foto: US Navy )

Explosão nuclear: O Pentágono garante que a Rússia desenvolve ao menos outros dois sistemas de alcance intercontinental (Foto: US Navy )

O Status-6 foi projetado como um veículo autônomo capaz de atravessar o Oceano Pacífico e lançar um ataque radioativo mortal sobre a costa oeste dos Estados Unidos.

Ele é adaptado para mergulhos tão profundos que se tornaria invisível a sistemas de detecção. Sua carga incluiria ogivas nucleares de alta potência. 

“Sua detonação provocaria uma enorme nuvem radioativa”, explica à BBC Mundo, o serviço em espanhol a BBC, Pavel Podvig, autor do blog Russian Forces, que divulga informações sobre armas nucleares, controle de armas e desarmamento na Rússia, baseadas em análises científicas.

O plano russo é contar com o que os especialistas chamam de “arma de terceira onda” definitiva.

Caso tanto os mísseis balísticos terrestres como submarinos fossem neutralizados por um hipotético ataque inimigo, leia-se americano, o Status-6 teria a capacidade de lançar uma resposta atômica em terreno adversário.

Ele seria lançado a partir de um submarino adaptado para isso. 

 Papel com detalhes do projeto russo: Imagem teria sido registrada enquanto era mostrada ao presidente Vladimir Putin (Foto: Russian State TV via BBC) Papel com detalhes do projeto russo: Imagem teria sido registrada enquanto era mostrada ao presidente Vladimir Putin (Foto: Russian State TV via BBC)

Papel com detalhes do projeto russo: Imagem teria sido registrada enquanto era mostrada ao presidente Vladimir Putin (Foto: Russian State TV via BBC)

‘Danos enormes’

Hans Kristensen, da Federação de Cientistas Americanos, destaca que os “Estados Unidos têm capacidade para perseguir os submersíveis inimigos, mas, uma vez que se lança um torpedo, a história é diferente”.

“Se essa arma fosse concluída, certamente causaria danos enormes”, diz Podvig.

Mas a dúvida é justamente essa, se o Status-6 será realidade algum dia.

Apesar de ter sido oficialmente reconhecido como uma ameaça pelo Pentágono, os especialistas encontram muitas razões para ceticismo.

“Não está claro que ele vá ficar operacional”, diz Podvig.

Os Estados Unidos e seus aliados souberam dos planos de desenvolvimento dessa arma durante um encontro do presidente russo Vladimir Putin com seus generais na cidade de Sochi, na Rússia. 

Em imagens divulgadas por canais controlados pelo Kremlin, é possível ver rapidamente um dos militares mostrando um documento confidencial a Putin.

A folha continha desenhos e detalhes do Status-6, desenhado pela Rubin, uma fabricante de submarinos nucleares de São Petesburgo. 

 Vladimir Putin e Donald Trump: Para o presidente dos EUA, o país vem perdendo a vantagem que tinha sobre a Rússia e a China (Foto: AFP) Vladimir Putin e Donald Trump: Para o presidente dos EUA, o país vem perdendo a vantagem que tinha sobre a Rússia e a China (Foto: AFP)

Vladimir Putin e Donald Trump: Para o presidente dos EUA, o país vem perdendo a vantagem que tinha sobre a Rússia e a China (Foto: AFP)

Logo surgiram especulações sobre se a divulgação das imagens foi acidental ou estratégia para intimidar potenciais adversários.

Kristensen lembra que “os russos fazem frequentemente essas coisas, de manter, durante anos, programas dos quais posteriormente não sai nada”.

“Eu não acho que vai ser operacional da maneira como foi descrito”, reforçou Podvig.

Então, por que os estrategistas do Pentágono o incluíram em um documento oficial como uma ameaça real para a segurança nacional?

“O Status-6 é tecnicamente possível e, na comunidade de inteligência, eles acham melhor estarem preparados para algo assim”, ressalta Podvig.

Kristensen descarta que esse sistema de armas em desenvolvimento tenha sido uma das razões para a revisão da política nuclear de Washington.

“Eles o usaram como um dos exemplos assustadores de que os russos são maus e podem obter suas próprias armas para respaldar o argumento de que os Estados Unidos precisam melhorar suas armas nucleares.”

De acordo com informações recentes divulgadas pela agência de notícias Bloomberg, Trump espera que o Congresso aprove um aumento de 7,2% no orçamento da Defesa para o próximo ano. 

Em seu discurso sobre o Estado da União, relatório que os presidentes americanos apresentam anualmente aos parlamentares, ele pediu a construção de um arsenal nuclear “tão forte e poderoso que possa impedir qualquer tentativa de agressão de outro país”.

Outras ameaças

Embora o NPR tenha citado, além do Status-6, “pelo menos dois outros sistemas de alcance intercontinental”, os especialistas fizeram poderações em relação à fala de Trump sobre uma deterioração das capacidades dos EUA.

“O fato de que a Rússia estava há algum tempo modernizando seus equipamentos não significa que os EUA não o fizeram também, mas que isso aconteceu muitos anos antes”, diz Povdig.

Agora, depois de anos de política de não proliferação de armas nucleares em Washington, essa corrida parece prestes a recomeçar.

“Já na época da Guerra Fria sempre se citava as armas da grande potência alheias como justificativa para as próprias. É assim que sempre funciona.”

Por que eleição de Trump ameaça o clima da Terra

O novo presidente americano diz que é contra o Acordo de Paris, que vai incentivar combustíveis fósseis e que até duvida da ciência

A eleição de Donald Trump é ruim para o clima da Terra. Estamos num momento crítico para evitar as piores consequências das mudanças climáticas.

Não há dúvidas científicas relevantes sobre o impacto das emissões derivadas das atividades humanas no clima. Pesquisadores acreditam que é preciso manter o aquecimento num patamar entre 1,5 e 2 grau centígrado para que as mudanças (ainda grandes) sejam administráveis.

Para isso, precisamos de medidas urgentes para mudar os rumos das grandes economias, trocando investimentos em combustíveis fósseis (como o gás de xisto dos EUA) por uma transição para fontes de energia limpas.

O aquecimento está mostrando sua cara. Os anos de 2014 e 2015 bateram sucessivamente os recordes históricos de calor. O ano de 2016 está a caminho de bater de novo. Passamos por uma aceleração do aquecimento que pode nos jogar num novo patamar de clima.

>> 10 dúvidas em relação ao aquecimento global

O Acordo de Paris, costurado em dezembro passado, é uma colcha de retalhos de metas frouxas apresentadas pelos países. Estudos mostram que o acordo sozinho é insuficiente para controlar o aquecimento. Mas ele é um precioso início de caminho.

É possível acelerar a implantação do acordo e puxar as metas para alvos mais ambiciosos. Isso começa a ser discutido agora numa conferência do clima em Marrakesh.

Mas Trump é o presidente errado na hora mais errada. Ao longo da campanha, ele disse que ia “cancelar” o Acordo de Paris. Também disse que ia cortar toda a ajuda a programas de mitigação às mudanças climáticas das Nações Unidas.

Dentro dos EUA, Trump declarou apoio a desregulamentação para facilitar a expansão do gás de xisto e por novas explorações de petróleo. E é a favor da construção de um oleoduto polêmico ligando os EUA e o Canadá.

Pior que isso. Trump diz que não acredita na ciência. Contrariando décadas de conclusões dos principais centros de pesquisa científica do mundo, ele disse em 2012 que o aquecimento global é um “mito”. Em seu Twitter, ele disse que o conceito de aquecimento global foi criado por chineses para prejudicar a competitividade da indústria americana.

Na campanha presidencial atual, Trump mudou um pouco. Dessa vez, disse que o aquecimento global é um fenônomeno natural, de novo indo contra o consenso científico.

O último presidente relacionado à indústria do combustível fóssil, George H. Bush, também negacionista da clima, fez um estrago no país que hospeda a melhor ciência do mundo. Em 2006, James Hansen, diretor do Instituto Goddard para Estudos Espaciais, e um dos principais pesquisadores do clima do mundo, disse que a administração Bush tentou silenciá-lo. Hansei afirmou que a Nasa tinha funcionado sob controle do governo Bush para não divulgar dados preocupantes sobre o aquecimento. Não dá para imaginar o que Trump pode fazer para desmontar os esforços para salvar o clima ou mesmo as pesquisas científicas.

Participantes da COP em Marrakesh estão tentando manter o otimismo. “O mundo vai continuar. Trump não poderá negar os benefícios que a economia limpa trazem para o país. E aqui os outros países devem manter seus compromissos”, disse André Ferretti, do Observatório do Clima.

Em última análise, a capacidade de estrago de Trump vai depender da pressão das indústrias americanas que se beneficiam com a transição para uma economia limpa. Fontes renováveis de energia geram mais emprego nos EUA do que o carvão. Governos estaduais estão avançados em medidas contra as mudanças climáticas.

Podem oferecer um contrapeso. O estrago provocado por Trump vai depender dessas forças. Afinal, ele agora é presidente de todos os americanos. E terá que se conciliar com a realidade. Campanha é uma coisa, governo é outra.

INVASÃO NO BRASIL: Imagens exclusivas mostram caça da FAB atirando contra avião suspeito. É o que a Força Aérea Brasileira chama de “tiro de detenção”

O piloto desobedeceu todas as ordens para pousar e sofreu as consequências.

Imagem obtida com exclusividade pelo Fantástico, gravada pela câmera a bordo de um caça da Força Aérea Brasileira (FAB), mostra a única vez que um caça militar brasileiro atirou contra outro avião em defesa do espaço aéreo.

O caça da FAB intercepta um avião que vinha do Paraguai e entrou no espaço aéreo do Brasil sem autorização.

O piloto desobedeceu todas as ordens para pousar e sofreu as consequências.

É o que a FAB chama de “tiro de detenção”. O objetivo é avariar o avião suspeito para que ele não consiga mais voar e pouse no aeroporto mais próximo.

Nesse caso, que aconteceu em 2015, o avião conseguiu escapar e voltou para o espaço aéreo paraguaio, e a FAB teve que interromper a perseguição.

No dia seguinte, no aerodromo de Paranavaí, perto da fronteira com o Paraguai, a polícia encontrou o monomotor, crivado de balas. O avião só tinha o banco do piloto. De acordo com a polícia, para liberar espaço para o transporte de drogas. Veja tudo na reportagem acima.

Você sabia que Lula doou R$ 25 milhões ao movimento Hamas através de decreto?

PT através de Lula e Dilma doam dinheiro público, dinheiro dos brasileiros para o terror. Dinheiro esse que deveria ser usado para saneamento básico, saúde, educação,segurança, infra-estrutura, combate à microcefalia,etc…

Você duvida? Está no site do Planalto e no do Diário Oficial da União (DOU) Esse dinheiro foi mandado a partir da criação da lei 12292 de 2010.

Veja a lei no site do planalto: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12292.htm

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:Art. 1o  Fica o Poder Executivo autorizado a doar recursos à Autoridade Nacional Palestina, em apoio à economia palestina para a reconstrução de Gaza, no valor de até R$ 25.000.000,00 (vinte e cinco milhões de reais).

Parágrafo único.  A doação será efetivada mediante termo firmado pelo Poder Executivo, por intermédio do Ministério das Relações Exteriores, e correrá à conta de dotações orçamentárias daquela Pasta.

Art. 2o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília,  20  de  julho  de 2010; 189o da Independência e 122o da República.

O Hamas (Movimento da Resistência Islâmica) é um dos grupos mais extremistas na luta contra a existência do Estado de Israel, criado após o fim da Segunda Guerra Mundial para abrigar os judeus. O grupo passou a ser classificado como terrorista pela União Europeia depois de agosto de 2003, quando atacou Jerusalém matando centenas de civis israelenses.

URGENTE: Japão e EUA iniciam manobras no Pacífico antes de se dirigir para Coreia. Destróieres japoneses ‘Ashigara’ e ‘Samidare’ se unem à frota do porta-aviões de propulsão nuclear americano ‘USS Carl Vinson’ perto do arquipélago das Filipinas.

Destróieres japoneses ‘Ashigara’ e ‘Samidare’ se unem à frota do porta-aviões de propulsão nuclear americano ‘USS Carl Vinson’ perto do arquipélago das Filipinas.

Japão e Estados Unidos iniciaram neste domingo (23) manobras navais conjuntas no Oceano Pacífico antes de se dirigir, nos próximos dias, para águas próximas à península da Coreia, em um momento de alta tensão na região, anunciou o Ministério de Defesa japonês.

Após zarpar na sexta-feira (21) de Sasebo (sudoeste de Japão), os destróires japoneses “Ashigara” e “Samidare” se uniram à frota do porta-aviões de propulsão nuclear americano “USS Carl Vinson” perto do arquipélago das Filipinas.

Os navios americanos e japoneses permanecerão ali vários dias realizando exercícios conjuntos estratégicos e de comunicação antes de se dirigirem para o norte, para se aproximarem da península da Coreia, segundo disseram fontes do Ministério para a televisão estatal “NHK”.

Washington anunciou há duas semanas que tinha ordenado posicionar o porta-aviões na península da Coreia, medida que foi interpretada como uma advertência perante o desenvolvimento de armas de Pyongyang, embora a frota tenha participado primeiro em exercícios com a Austrália e atualmente está a caminho da região.

O anúncio equivocado foi feito pelo Comando do Pacífico e logo depois pelo pelo presidente Donald Trump, através do Twitter, e até quinta (20) passada a Casa Branca não tinha explicado que se tratava de um mal-entendido.

Seul também estuda participar nas manobras combinadas da frota japonesa e o navio de propulsão nuclear da classe Nimitz (a maior do mundo em termos militares) entre os dias 25 e 28 de abril.

Para manter estupro de escravas sexuais, Estado Islâmico obriga vítimas a usar contraceptivos

Vendida sete vezes, adolescente de 16 anos relata violência sofrida pelo Estado Islâmico

Matéria divulgada pelo jornal norte-americano The New York Times relata o cotidiano de uma jovem de 16 anos, sequestrada pelo grupo jihadista Estado Islâmico, submetida à condição de escrava sexual. Na ideologia dos combatentes, o ataque a mulheres e meninas de minorias religiosas resgata uma prática realizada na época do Profeta Maomé e integra parte das operações realizadas pela milícia.

E vai além: já que a escravidão sexual passou a gerar fonte de renda para as ações do E.I, o controle de natalidade das vítimas se tornou responsabilidade dos estupradores. Assim, segundo regra da lei islâmica interpretada pelo grupo, o homem deve estar seguro de que a mulher escravizada não está grávida antes de ter violentá-la.

Identificada apenas como “M” pela reportagem, a jovem revelou que após ser comprada por um dos combatentes, recebeu uma caixa com uma cartela de pílulas. “Todo dia, eu tinha que tomar uma diante dele. Ele me dava uma caixa por mês. Quando acabava, ele trazia uma nova. Quando eu fui vendida de um homem para outro, a caixa de pílulas vinha comigo”, explicou a jovem, que na época não sabia que estava tomando contraceptivo.

Entre as mais de 700 vítimas de estupro que buscaram tratamento à Organização das Nações Unidas, apenas 5% engravidaram durante o período em que foram mantidas como escravas.

Das dezenas de vítimas, mulheres da religião yazidis, que escaparam do domínio do Estado Islâmico, a maioria descreveu os variados métodos usados pelos jihadistas para evitar possíveis gravidez. Variando desde anticoncepcionais, orais, injetáveis, ou até mesmo aborto forçado- tudo para que elas permanecessem disponíveis para o estupro.

Entre as mais de 700 vítimas de estupro do grupo étnico yazidi que buscaram tratamento até o momento na clínica apoiada pela Organização das Nações Unidas, no norte do Iraque, apenas 5% engravidaram durante o período em que foram mantidas como escravas, segundo o dr. Nagham Nawzat, o ginecologista que realiza os exames.

Agência Brasileira de Inteligência confirma alerta de ameaça do Estado Islâmico

ALERTA MÁXIMO NO BRASIL: Agência confirma que um membro do Estado Islâmico afirmou, por meio do Twitter, que Brasil é próximo alvo para um ataque

fonte: ultimosegundo.ig.com.br

“Brasil, vocês são nosso próximo alvo. Podemos atacar esse País de merda”. A ameaça foi postada em novembro de 2015, em um perfil do Twitter que tinha como dono Maxime Hauchard, 22 anos. A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) afirmou, nesta quarta-feira (13), que o perfil realmente pertence ao terrorista francês que aparece em vídeos do Estado Islâmico decapitando sírios.

A mensagem foi postada uma semana após os atentados coordenados na França, que deixaram 129 mortos e dezenas de feridos. A conta na rede social do terrorista já foi suspensa. “Monitoramos e percebemos que o perfil realmente era do Maxime, um dos líderes do Estado Islâmico. A partir do momento da postagem houve uma maior intensidade nos discursos de agressividade dos autoproclamados seguidores do grupo terrorista no Brasil”, afirmou o diretor de Contraterrorismo da agência, Luiz Alberto Sallaberry, na Feira Internacional de Segurança que está sendo realizada no Rio de Janeiro.

“Maxime é uma espécie de garoto-propaganda do Estado Islâmico. Saiu de um vilarejo no interior da França para a Síria, aos 18 anos, onde se integrou ao terrorismo. É o segundo na linha de comando de decapitadores e gosta de dizer que estar no grupo “é como estar no Éden”, descreveu o diretor a uma plateia de especialistas em segurança.

Segundo Sallaberry, no Brasil há um crescente nível de pessoas que dizem ter feito o juramento ao califado do Estado Islâmico, ou seja, concordantes com um grupo que deturpou os princípios da religião islâmica e utiliza a violência para expandir seu domínio territorial.

“Quando uma pessoa faz o juramento ao califado e se torna autoproclamado ela está disposta a cometer qualquer atentado violento em nome do grupo. A ordem não precisa ser presencial, pode ser via internet”, disse Sallaberry.

Lobos Solitários

Os ataques dos chamados ‘lobos solitários’, pessoas que praticam ataques sozinhas, são a maior preocupação da agência para a Olimpíada no Rio de Janeiro. Dez delegações, entre elas dos Estados Unidos e Canadá, são classificadas pela agência com nível “muito alto” para ataques. O nível de ameaça da delegação brasileira é alto.

O monitoramento das redes sociais é uma das atividades da Abin para combater o terrorismo. Por razões de segurança, Sallaberry não divulga o número de pessoas que se dizem autoproclamadas e que são monitoradas.

Cursos para auxiliar na identificação de terroristas

Para melhor ilustrar seu discurso na Feira Internacional de Segurança, o diretor de Contraterrorismo da Agência Brasileira de Inteligência, Luiz Alberto Sallaberry, apresentou bandeiras do Brasil onde, em árabe, está escrito “Deus acima de tudo”, com símbolos do Estado Islâmico, postadas por pessoas monitoradas.

“Posso dizer que são de origem salafista sunita, comunidade que está ligada ao Estado Islâmico. Não estou dizendo que vai acontecer um atentado. Estou dizendo que é a primeira vez que a probabilidade aumentou sobremaneira no nosso país”, afirmou o diretor da agência.

Para evitar possíveis ataques, a Abin intensificou cursos com setores de hotelaria, taxistas e outras pessoas para que elas possam identificar possíveis alvos terroristas em território nacional. Além disso, faz constante intercâmbio com forças estrangeiras e internas. “O sucesso contra o terrorismo só é possível com cooperação. O terrorista é a ameaça sem rosto. Pode ser qualquer um”, afirmou em seu discurso.

63565464

 

 

URGENTE: Coreia do Norte dispara míssil contra o Japão. Vai começar a próxima guerra mundial. China não vai apoiar os USA e ai….

O canal japonês NHK informou citando o Ministério da Defesa, que o míssil caiu no mar do Japão (também conhecido como mar do Leste) fora da zona econômica exclusiva japonesa.

Convocação de emergência

Tóquio e Seul convocaram de urgência seus conselhos de Segurança Nacional.

Uma semana atrás, a Coreia do Norte levou a cabo um novo lançamento de míssil na madrugada do dia 14 de maio, a partir da província de Pyongan do Norte, no oeste da península. O míssil atingiu a altitude máxima de 2.111 km e atingiu com precisão o alvo designado no mar a uma distância de 787 km.

“A Coreia do Norte disparou um míssil não identificado, a partir de um ponto perto de Pukchang, na província de Pyongan Sul”, afirmou o Estado Maior Conjunto (JCS), em um breve comunicado, sem especificar seu local de lançamento e nem onde teria caído. Em nota posterior, foi especificado que o teste ocorreu às 16h59 (local) e que o míssil voou cerca de 500 km, até cair no Mar do Japão.

Por enquanto, autoridades sul-coreanas estão descartando tratar-se de um míssil intercontinental, embora os sul-coreanos ainda estejam analisando o projétil e sua trajetória.

Os especialistas consideram que, com estes últimos testes, o regime de Kim Jong-un estaria colcando à prova o novo governo sul-coreano, do presidente Moon Jae-in, que chegou ao poder há quase duas semanas, com a promessa de melhorar os laços com Pyongyang, mas ao mesmo tempo mantendo o mecanismo de sanções

Tensão na Ásia

O teste aconteceu apenas uma semana após Pyongyang lançar um “Hwasong 12”, um míssil de médio alcance que mostrou avanços para o regime de Kim Jong-un.

Na ocasião, o novo presidente sul-coreano Moon Jae-In, lamentou o teste, e convocou uma reunião de emergência com seu gabinete de segurança.

No Japão, o primeiro-ministro Shinzo Abe classificou o lançamento do míssil como algo “totalmente inaceitável” e como “uma grave ameaça” para Tóquio.

Washington advertiu que todas as opções militares estão sobre a mesa, mas recentemente o presidente americano, Donald Trump, suavizou seu discurso e disse que ficaria “honrado” de reunir-se com o líder norte-coreano Kim Jong-un.

Iraque: EI queima 19 meninas que recusaram ser escravas sexuais

O Estado Islâmico (EI) executou no dia 03 de junho 19 meninas pertencentes à minoria étnica yazidi depois que as vítimas se recusaram a ter relações sexuais com jihadistas. Segundo a imprensa local, elas foram presas numa gaiola de ferro e queimadas vivas em praça pública, na cidade de Mossul, no Iraque, .

Estimativas apontam que 3 mil meninas desse grupo étnico tenham se tornado escravas sexuais dos terroristas. Cerca de 40 mil pessoas fugiram da região após a invasão do EI. A maioria da população foi deslocada para campos de refugiados no Curdistão.A organização não-governamental Human Rights Watch classificou o assassinato em massa dos yazidi como genocídio.

“Os abusos contra as mulheres e meninas yazidi documentadas pela Human Rights Watch, incluindo a prática de sequestrar mulheres e crianças e convertê-las forçadamente ao Islã ou obrigá-las a se casar com membros do EI, podem ser parte do genocídio contra os yazidis”, afirmou a organização em um relatório.

Fonte: agências de notícias

REVISTA ISTOÉ: Na Rússia a Terceira Guerra Mundial já começou e ninguém avisou! Na era da informação estamos todos sendo enganados

O cenário de uma Terceira Guerra Mundial é remoto, mas quem ligar a televisão na Rússia vai se surpreender ao saber que, na verdade, ela já começou.

Na principal emissora pública do país, o apresentador do programa estrela do domingo à noite anunciou que as baterias antiaéreas russas na Síria vão “derrubar” aviões americanos.

O canal de notícias 24 horas Rossiya 24 exibiu uma reportagem sobre a preparação de abrigos antinucleares em Moscou.

Em São Petersburgo, o canal digital Fontanka diz saber que o governador quer racionar o pão diante de uma futura guerra, embora as autoridades garantam que a única coisa que estão tentando fazer é estabilizar o preço da farinha.

Na rádio, debate-se sobre exercícios de “Defesa Civil”, os quais, segundo o Ministério de Situações de Emergência, mobilizam 40 milhões de russos durante uma semana. O objetivo: evacuações de edifícios e simulações de incêndio.

Se o visitante preferir passear pelas ruas de Moscou a ver televisão, é muito provável que esbarre em um dos imensos grafites “patrióticos” dos artistas pró-Putin da organização “Set”, que tomam os prédios. Em um deles, vê-se, por exemplo, um urso – símbolo da Rússia – distribuir coletes à prova de balas a pombas das paz.

Esse enaltecimento da iminência de uma “Terceira Guerra Mundial” ganhou cada vez mais espaço com a ruptura, em 3 de outubro, das negociações entre Washington e Moscou sobre a guerra síria, após o fracasso de um cessar-fogo negociado em setembro entre as duas potências em Genebra.

Uma ruptura com consequências.

As bombas russas e sírias transformaram Aleppo em um “inferno na Terra”, segundo a ONU, avivando as críticas dos países ocidentais.

No terreno, o Exército russo mobilizou em sua base naval do porto sírio de Tartus baterias antiaéreas S-300, artefatos capazes de destruir caça-bombardeiros. Uma demonstração de força que não é dirigida aos extremistas, nem aos rebeldes sírios, mas à Marinha e aos aviões americanos.

Confrontação Rússia-Ocidente

Em Moscou, onde os jornalistas russos e ocidentais dormem e acordam com os comunicados do Ministério da Defesa, os veículos de comunicação plasmam e amplificam o clima de confrontação.

O porta-voz do Exército russo, general Igor Konachenkov, lança advertências à Casa Branca, ao Pentágono e ao Departamento de Estado dos EUA.

“Lembro aos estrategistas americanos que os mísseis antiaéreos S-300 e S-400 que garantem a cobertura aérea das bases russas de Hmeimim e de Tartus têm um raio de ação que pode surpreender qualquer aeronave não identificada”, advertiu o general Konachenkov, em 6 de outubro, em uma ameaça velada aos Estados Unidos.

Na emissora pública Rossiya 1, o apresentador Dimitri Kisilev, que também é chefe da agência de notícias Ria Novosti, resume a declaração do general Igor Konashenkov para “pessoas comuns, como eu e você”: “derrubaremos” os aviões americanos.

Em seguida, ele revela o “plano B” dos Estados Unidos na Síria.

“O plano B é, em linhas gerais, que os Estados Unidos recorram diretamente à força contra as forças sírias do presidente Bashar al-Assad e contra a aviação russa”, relata.

“Deve-se temer provocações? Foi assim que os Estados Unidos entraram em guerra no Vietnã”, conclui Kisilev, advertindo os ocidentais de que os mísseis estacionados em Kaliningrado, território russo próximo à Polônia, podem carregar ogivas nucleares.

“A Rússia atual está mais do que preparada, sobretudo psicologicamente, para a nova espiral de confrontação com o Ocidente”, resume o cientista político Gueorgui Bovt, em uma tribuna no veículo digital Gazeta.ru.

Bovt avalia os cenários possíveis, levando-se em conta as dificuldades econômicas da Rússia. No primeiro deles, otimista, as duas potências “chegam a um acordo sobre novas condições de coexistência, como uma espécie de Ialta-2”, referindo-se à distribuição das zonas de influência entre os Estados Unidos e a então União Soviética, após a Segunda Guerra Mundial. O outro é catastrófico. A Rússia reagirá, partindo da máxima “se não se pode evitar o confronto, deve-se ser o primeiro a bater”.

História

Em recente entrevista à Ria Novosti, o último presidente soviético, Mikhail Gorbachov, alertou que o mundo flerta “perigosamente com a zona vermelha”.

Há 30 anos, Gorbachov e o então presidente dos EUA, Ronald Reagan, promoviam o princípio do fim da Guerra Fria.

Na quarta-feira (12), surgiu o primeiro sinal de distensão, depois de dias de acusações verbais. Moscou anunciou uma reunião internacional sobre a Síria para este sábado (15) em Lausanne. Visto como uma última chance de diálogo, o encontro colocará frente a frente, mais uma vez, o secretário de Estado americano, John Kerry, e o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov.

Fonte

CHAPA QUENTE: Porta-aviões dos EUA e sua frota seguem para península coreana


Comando do Pacífico dos EUA diz que ‘a principal ameaça na região continua sendo a Coreia do Norte, devido a seu temerário, irresponsável e desestabilizador programa de testes de mísseis’.

Os Estados Unidos ordenaram que o porta-aviões “USS Carl Vinson” e seu grupo de ataque em águas próximas seguissem no sábado (8) para a Coreia do Norte, como uma demonstração de força, após novas provocações do regime de Kim Jong-un. Um porta-aviões dos Estados Unidos e sua frota se dirigiam neste sábado (8) para a península coreana, informaram fontes militares.

Esse movimento coincide com a intenção de Washington de promover sua capacidade defensiva na região frente às ambições nucleares da Coreia do Norte.

Fontes do Pentágono confirmaram à “CNN” que o almirante Harry Harris, chefe do Comando do Pacífico, ordenou a mobilização do porta-aviões e toda a sua frota de ataque em águas próximas da península coreana.

“O comando do Pacífico dos Estados Unidos ordenou ao grupo aeronaval do porta-aviões USS
Carl Vinson que se mobilize como medida prudente para manter sua disposição e presença no Pacífico”, explicou o porta-voz Dave Benham.

“A principal ameaça na região continua sendo a Coreia do Norte, devido a seu temerário, irresponsável e desestabilizador programa de testes de mísseis e a sua busca de armamento nuclear”, acrescentou.

Movimento ocorre poucos dias depois de os EUA bombardearem uma base na Síria, que, segundo o presidente Donald Trump, teria lançado os aviões que atacaram rebeldes com misseis químicos, matando mais de 80 pessoas.

O USS Carl Vinson, sob o controle da Terceira Frota suspendeu uma visita planejada para a Austrália.

O envio do porta-aviões ocorre na semana em que Donald Trump recebeu na Flórida o presidente chinês Xi Jinping, e ambos discutiram a necessidade de evitar novas provocações de Pyongyang.

O desabafo de Maisa Silva, nova vítima da hipocrisia das redes. Atriz e apresentadora se tornou alvo da insanidade das redes sociais

Usuários de redes sociais adoram dizer o que pensam, mas parecem detestar– ou amar detestar — quando alguém é sincero. Taís Araújo foi apedrejada por dizer que não gostava de abóbora, no ar, para Ana Maria Braga — a outra opção seria a atriz se aventurar a comer um nhoque de jerimum e passar mal, ao vivo, no programa Mais Você, mas com isso poucos se importaram.

Agora, quem sente a força da hipocrisia virtual é Maisa Silva. Depois de ser constrangida por uma brincadeira de Silvio Santos, que fez as vezes de casamenteiro entre ela e o apresentador de telejornal Dudu Camargo, Maisa se esquivou de forma franca (“não faz meu tipo”) e passou a ser chamada de “grossa” na redes. Como aconteceu com Tais.

Desde domingo, dia em que o episódio foi ao ar no Programa Silvio Santos, no SBT, Maisa não para de se defender. Os últimos posts da atriz na internet já têm o tom de um desabafo — de alguém que se sente alvo de uma violência, o que a enorme pressão das redes de fato representa.

“Quando uma menina de 15 anos não aceita qualquer brincadeira ou comentário, e se posiciona, causa espanto”, escreveu Maisa em um textão publicado no Twitter nesta terça-feira. “Com certeza, uma parcela dos telespectadores gostaria que eu aceitasse tudo o que aconteceu no programa, como dançar com um rapaz mais velho (mesmo eu NÃO querendo), ou beijá-lo”, continuou.

Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

Como as críticas não param, Maisa tenta de novo silenciar as redes. E parece já se dar conta de que a tentativa de diálogo é estéril. Depois do textão, a atriz publicou um meme dela própria, tirada do clipe da já antológica música Nhem-Nhem-Nhem. Mostrou mais maturidade que boa parte (ou a totalidade) dos haters.

Maré, a bomba relógio que ninguém desativou E NINGUÉM SE ATREVE A DESATIVAR

Território concentra três quadrilhas rivais e 500 fuzis; governo do Rio prometeu fazer a ocupação da região, mas não cumpriu

O maciço de favelas com mais de 130 000 moradores amanheceu com seus acessos todos ocupados por forças policiais. Como no provérbio português, depois da casa arrombada, cadeado à porta. Não foram raros os prenúncios de uma tragédia. No final da tarde de quarta-feira, aconteceu. Três soldados da Força Nacional — que não tinham conhecimento geográfico do Rio de Janeiro e vieram reforçar o aparato de segurança para a Olimpíada — erraram o caminho que tantos já erraram. Na saída da Linha Amarela para a Linha Vermelha, acabaram entrando no Complexo da Maré, região dominada por traficantes que tem em mãos um arsenal de mais de 500 fuzis divididos entre quadrilhas inimigas. Um deles foi ferido na cabeça e segue internado em estado grave. Nesta quinta-feira, homens da Força Nacional bloquearam os acessos à Vila João e à Vila dos Pinheiros, na Maré.

Desativar essa bomba relógio foi uma das principais promessas políticas do secretário de segurança, José Mariano Beltrame, e de seus chefes, os governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão. Na mais emblemática ação, em abril de 2014, às vésperas da eleição que garantiu o mandato a Pezão, o governo do Rio de Janeiro pediu ajuda federal. Cabral ligou para Dilma Rousseff e solicitou uma ocupação militar. Cerca de 3 000 homens das Forças amarradas desembarcaram e ocuparam o território por um ano e dois meses. Além de caríssima (mais de 600 milhões de reais), a missão se revelou um verdadeiro desastre.

Depois de 32 anos — desde a guerrilha do Araguaia, em 1972, o exército não perdia um soldado em combate. No final de 2014, aos 21 anos, Michel Mikami, foi assassinado por traficantes da mesma favela que emboscou a equipe da Força Nacional. Pior: naqueles 14 meses de ocupação, pelo menos 27 militares foram baleados. A previsão era de que, após a saída dos militares, a secretaria de segurança ocuparia a região para instalar as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), com precisão de 1 200 homens. Era nítido que, se as Forças Armadas sofriam ataques diários mesmo com um aparato quase três vezes maior, a ocupação da PM seria quase uma tática suicida, semelhante ao caos que se transformara outras regiões com UPP, em especial os complexos do Alemão, da Penha, Jacarezinho, Manguinhos, Rocinha e Lins.

Para Beltrame, foi um certo alívio não ter condições financeiras de fazer a ocupação, em virtude da crise financeira em que o Estado mergulhou neste ano. O problema é que, com o vaivém de delegações olímpicas, estariam todos à mercê da vontade dos traficantes. O site de VEJA mostrou em junho que traficantes brincavam de mirar seus fuzis pra veículos na Linha Vermelha.

Na semana passada, antes mesmo de os Jogos começarem, a delegação chinesa de basquete ficou em meio ao fogo cruzado logo após desembarcar no Aeroporto do Galeão. O intenso tiroteio apavorou os turistas e quem passava pela Linha Vermelha. “Ficaram discutindo terrorismo e não pararam para pensar que o terrorismo no Rio de Janeiro é esse aí, de vivermos numa cidade sitiada e sujeita a esse tipo de situação”, diz um delegado federal que atua na cúpula da segurança para os Jogos.

O erro cometido pelos policiais da Força Nacional – que feriu o soldado Helio Andrade Vieira, de Roraima, na cabeça – é comum naquela região, onde apenas uma placa indica ‘Vila do João’. Há dois meses, Maria Lucila Barbosa de Araújo, de 49 anos, foi baleada na coxa direita ao pegar a mesma rota. Em 2013, o engenheiro Gil Augusto Barbosa, de 53 anos, morreu após ser baleado na cabeça tentando ir para o aeroporto. Já em 1995, um grupo de torcedores do Santos que estava no Rio para um jogo também entrou por engano no local e foi metralhado, matando um e ferindo cinco. Ou seja, o problema é antigo e ninguém resolve.

TOLERÂNCIA ZERO SEM PIEDADE: Guerra às drogas nas Filipinas mata 1,8 mil em dois meses. SERÁ QUE É ISSO QUE O BRASIL TAMBÉM PRECISA?

Organismos de defesa dos direitos humanos pedem fim da matança, COMO SEMPRE DEFENDENDO BANDIDOS….

Enquanto um número crescente de países, sobretudo no Ocidente, está suavizando as políticas de repressão às drogas, as Filipinas chamam atenção da imprensa internacional pelo recrudescimento do combate ao narcotráfico. Eleito com essa bandeira, o presidente filipino, Rodrigo Duterte, assumiu o cargo há menos de dois meses e, desde então, quase 1,8 mil pessoas foram mortas no país, supostamente por envolvimento no uso e tráfico de entorpecentes, tanto por forças policiais como por milicias armadas. Criticado por observadores das Nações Unidas, o mandatário chegou a ameaçar abandonar o organismo internacional.

Em depoimento a uma comissão do Senado nesta segunda-feira, o chefe da Polícia Nacional, Ronald Dela Rosa, confirmou que 712 pessoas, supostamente traficantes e usuários de drogas, foram mortos pela polícia desde o início das operações, em 1º de julho. Sem dar detalhes, Dela Rosa informou que outras 1.067 mortes relacionadas ao tráfico de entorpecentes também estão sendo investigadas.

A política de combate às drogas pelo uso da força vem sendo cada vez mais criticada por organizações internacionais, personalidades e acadêmicos. Em abril, nas vésperas da Sessão Especial da Assembleia Geral da ONU sobre drogas, o ex-secretário-geral das Nações Unidas Kofi Annan divulgou carta com críticas à criminalização das drogas, pedindo que governos enxerguem o problema como uma questão de saúde pública, não criminal.

Um mês antes, um relatório produzido por uma equipe internacional de pesquisadores foi publicado na revista médica “Lancet”, pedindo uma abordagem mais “humana” sobre as drogas. Não é que o uso de entorpecentes seja visto como algo positivo, mas a repressão pela força provoca mais danos que a própria droga. Como evidência, os cientistas indicaram a redução da expectativa de vida da população mexicana por causa das mortes relacionadas à guerras às drogas; ou ao avanço do número de soropositivos na Rússia.

Na semana passada, os assassinatos diários deixaram as páginas policiais dos jornais filipinos e ganharam destaque internacional pela ONU. Em comunicado conjunto, o secretário-geral, Ban Ki-moon, e o diretor do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC, na sigla em inglês), Yury Fedotov, condenaram o “aparente endosso de execuções extrajudiciais”. Os comissários das Nações Unidas para Direitos Humanos Agnes Callamard e Dainius Puras divulgaram nota pedindo que o governo filipino pusesse um fim nas execuções extrajudiciais.

— Alegações de ofensas relacionadas ao tráfico de drogas devem ser julgadas em uma corte pela lei, não por homens armados nas ruas — criticou Agnes. — Nós pedimos às autoridades filipinas que adotem, com efeito imediato, as medidas necessárias para proteger todas as pessoas contra assassinatos direcionados e execuções extrajudiciais.

Familiares choram sobre o corpo de um suspeito morto em operação policial contra usuários de drogas ilegais – EZRA ACAYAN / REUTERS

AMEAÇA DE DEIXAR A ONU

Em controversa coletiva de imprensa no domingo, Duterte fez duras críticas aos comissários e ameaçou deixar as Nações Unidas, dizendo que convidaria outros países, como China e nações africanas, para formar uma nova organização internacional.

— Talvez nós teremos que decidir pela separação das Nações Unidas. Se vocês foram tão desrespeitosos, filhos da puta, nós vamos te deixar — disse Duterte, já conhecido por ser desrespeitoso com outras pessoas e instituições. Em maio, ele chegou a chamar o Papa Francisco de “filho de uma puta”. — Nós contribuímos com uma certa quantia para a manutenção da ONU, não é? Nos devolvam o dinheiro que nós saímos.

Já na segunda-feira, o Secretário de Relações Exteriores das Filipinas, Perfecto Yasay Jr., tentou pôr panos quentes nas declarações dadas por Duterte, dizendo que as falas do presidente foram postas fora de contexto pela imprensa. De acordo com Yasay, Duterte estava cansado — a coletiva de imprensa foi chamada por ele após a meia-noite, pelo horário local — e frustado e furioso pelas críticas internacionais contra sua política de guerra às drogas.

— Como nós, ele também é humano, mas eu posso garantir que o presidente é muito responsável em suas declarações — disse Yasay. — Quando você está especialmente cansado, desapontado, frustrado e furioso, e sob essas circunstâncias, nós devemos dar margens para o presidente por esse tipo de reação.

Além do posicionamento dos comissários das Nações Unidas, o número inadmissível de mortes tem sido criticadas por organizações não governamentais. Na semana passada, a Human Rights Watch divulgou carta pedindo que o governo de Duterte iniciasse investigações sobre esses homicídios. Essa é a mesma posição da Citizen’s Council for Human Rights:

‘Nós contribuímos com uma certa quantia para a manutenção da ONU, não é? Nos devolvam o dinheiro que nós saímos.’

– RODRIGO DUTERTER Presidente das Filipinas

“Nós acreditamos que métodos sumários que violam o direito à vida e ao devido processo não vão solucionar o problema de crimes e drogas ilegais no país”, disse a organização. “Em vez disso, vai apenas exacerbar o problema da ilegalidade e da violência no país”.

INVESTIGAÇÃO NO CONGRESSO

A senadora Leila de Lima, crítica do presidente, deu início a uma investigação no Congresso sobre o aumento “sem precedentes” no número de mortes no país, exigindo explicações dos órgãos de segurança pública do país.

— Estou perturbada por termos mortes por todos os lados, como temos café da manhã todos os dias — disse Leila. — Minha preocupação não apenas gira em torno apenas do registro crescente de mortes relatadas pela polícia. O que é particularmente preocupante é que a campanha contra as drogas parece ser uma desculpa para que alguns agentes da lei e outros elementos, como os vigilantes, cometam assassinatos impunemente.

Ao menos um caso de morte provocada por policiais apresenta indícios de execução e o caso está sendo investigado. Ao “New York Times”, a Comissão Filipina de Direitos Humanos, órgão independente do governo, relatou o assassinato de Renato Bertes e Jaypee Bertes, pai e filho, que eram usuários de “shabu”, uma forma barata de metanfetamina.

Os dois foram presos e levados para a delegacia, onde foram mortos. A versão da polícia era que os dois tentaram escapar, roubando a arma de um dos policiais, mas exames forenses descobriram que os dois estavam incapacitados por terem sido espancados antes de serem mortos.

— Como você pode atirar contra alguém que já está sob custódia? — questionou Gwendolyn Pimentel-Gana, membro da comissão.

Existe ainda o temor com os chamados “vigilantes”. Conforme o próprio chefe da Polícia Nacional relatou, 1.067 pessoas foram mortas em casos que não envolveram forças policiais. Diariamente, a imprensa local estampa jornais e sites com fotos de vítimas da carnificina que assolou o país após o chamado de Duterte pela guerra às drogas. Corpos são deixados pelas ruas, com placas de papelão dizendo que as vítimas eram envolvidas com o tráfico ou usuários de entorpecentes.

Fonte

As 13 famílias que são donas do mundo

Os Illuminati tinham duas formas de poder, a monetária e a religiosa e era através de ambas que tinham controlo sobre os governos monárquicos.

Com a queda das monarquias e a criação de monarquias constitucionais, precisaram de sair da Bavária e espalharem-se pelo mundo, para essa expansão usaram a Maçonaria, criada na Escócia pelos Templários após a ordem ter sido quase aniquilada, e que nesta altura tinham já lojas em todo o mundo e poder politico.

Esta fusão depressa tornou a Maçonaria como uma parte dos Illuminati que passaram a liderar.

167733_105335096210881_100002031733627_35576_915553_nO que os Illuminati fazem é garantir a liderança mundial das Blood lines, mantendo registo de quem são, onde estão e garantindo que o sangue não se mistura, e que essas famílias se mantêm no seio Illuminati.

Garantido a fidelidade dessas famílias, garantem o seu poder nas áreas de controlo mundial: Religião, finanças, Politica, militar e ciência.

Para este controlo existem 3 cidades estado dentro de cidades. Ou seja, 3 pequenos pedaços de terra que são soberanos, não pagam impostos e são independentes. Essas três cidades estado são:

– O centro econômico que é o Crown em Londres onde está o Banco de Inglaterra que controla todos os bancos mundiais e é um banco privado numa zona independente dentro de Londres chamada de “The City”, controlada pela família Rothschild. Este é o centro econômico mundial, sendo o único local no mundo onde é possível fazer negócio com todas as bolsas e bancos mundiais independentemente do fuso horário.

– O Vaticano que é o centro religioso, fica dentro da cidade de Roma, é independente e é controlado pelo clero, é também isento de impostos e tem banco próprio que responde unicamente ao Crown.

– Columbia em Washington nos EUA, é independente não paga impostos é onde está a reserva federal que é um banco privado súbdito do Crown e que controla todo o dinheiro Americano e é controlado pela família Rockefeller. Este distrito chama-se Columbia pois os primeiros Illuminati a viajar para os EUA eram a “facção Columbia”, que fundaram além da reserva federal, a universidade Columbia, Columbia movies com que se tornaram fundadores do centro de produção de filmes mais famoso do mundo “Hollywood”, Columbia records, Columbia television (CBS) que tem como símbolo o “All seeing eye”, tal como a RTP teve o mesmo símbolo até recentemente, sendo o actual uma variante, formaram a Nasa e daí o space shuttle chamar-se Columbia.

piramideEstas 3 cidades possuem elementos que as ligam, a suas bandeira mencionam as 3 cidades. A de Columbia tem 3 estrelas, a do Vaticano tem 3 coroas, a do Crown tem 3 asas de dragão.

Outra coisa em comum é que no seu centro, estas 3 cidades possuem um obelisco sobre um circulo, que representam o pénis de um Deus Egípcio; Amon, ou Oman também chamado de Amen (palavra usada em rezas católicas), o circulo representa a vagina de Gaia e juntos são vistos como a fertilização do nosso planeta.

Apesar de contraditório, a cidade do Vaticano tem dezenas de obeliscos o principal está no centro da cidade.

As blood lines são o sangue dos descendentes do imperadores babilônios, cujos descendentes foram faraós Egípcios, mais tarde líderes da Grécia antiga, que deram origem a imperadores romanos, dos quais nomes como: Alexandre o Grande, Napoleão, Hitler são descendentes. Hoje essas Blood lines dividem-se em 300 famílias, onde o topo dos Illuminati é composto por 13 delas.

Os Illuminati organizam-se em pirâmide de 13 famílias Reais, originalmente estas 13 famílias dividiam o poder, mas hoje uma lidera as 13, por ser a família que controla o Crown e que detém uma fortuna pessoal no valor de metade do dinheiro do mundo, e que por deter controlo sobre todos os bancos, detém poder sobre as 13 famílias:

[Imagem: Illuminati-dollar_tower1%25255B3%25255D.jpg?imgmax=800] Apresento à vocês as 13 famílias illuminati que controlam toda a riqueza mundial, todas, repito, todas essas famílias são ocultistas e tomam as decisões baseadas em uma matemática
precisa, em uma numerologia ocultista pitagórica muito precisa; observa-se que não importa se você acredita ou não, o importante é que eles acreditam nisso, e as decisões deles tem fundamental importância sobre a vida de bilhões de pessoas, decidindo quando fazer guerras, quando haverá crises, etc…

Especula-se que o poder mundial está distribuído entre 13 famílias espalhadas pelo globo, estas por sua vez definem a economia mundial bem como as guerras e até possível catástrofes no clima mundial, como tsunamis, terremotos, furacões, maremotos… Existem várias outras mega industrias como Aplle, Microsoft, Nike, Coca Cola… Mas essas 13 são consideradas em conjunto ou não, donas do poder mundial!
The-13-Family-Bloodlines-of-the-Illuminati
Familia Rothschild:
rothschildswaddesdonmanor
Os Rothchilds fizeram grande parte de sua fortuna no fim das guerras napoleónicas, quando tiveram conhecimento da vitória da Inglaterra e lançaram um rumor no mercado que Napoleao havia ganho a guerra.
Com isto a bolsa caiu quase a zero, e os Rothchild praticamente compraram a economia inteira da Inglaterra. Quando a verdadeira notícia de que a Inglaterra havia ganho, os Rothschild emergiram como a família mais rica da Europa.
 

Para se entender de onde vieram os Illuminati, deve-se compreender em qual ponto na historia se deu seu imenso poder de aquisição.

Em suma, o primeiro banco mundial chegou aos poderes de um homem muito carismático e de imensa capacidade intelectual. Este homem conquistou a simpatia da realeza e seu nome é Mayer Amschel Bauer,o primeiro Rothschild.
Em seu testamento, ele definiu regras específicas pelas quais a Casa Rothschild deveria operar nos anos seguintes.
As regras eram as seguintes:
.
(1) Todos os cargos-chave na Casa de Rothschild deveriam ser ocupados por membros da família, e não por pessoas contratadas. Somente membros da família do sexo masculino teriam a permissão de participar dos negócios.
.
O filho mais velho do filho mais velho deveria ser o chefe da família, a não ser que a maioria dos demais concordasse de forma contrária. Foi por essa razão excepcional que Natã, que era particularmente brilhante, foi designado como chefe da Casa de Rothschild em 1812.
 .
(2) Os membros da família deveriam se casar com seus próprios primos de primeiro e segundo graus, preservando assim a vasta fortuna. Essa regra foi rigidamente obedecida no início, porém mais tarde, quando outras casas bancárias judaicas entraram em cena, ela foi afrouxada para permitir que alguns dos Rothschilds se casassem com membros seletos da nova elite.
 .
(3) Amschel proibiu seus herdeiros “de forma bem explícita, de em quaisquer circunstâncias permitir que qualquer inventário de meu patrimônio seja tornado público pelas cortes, ou de qualquer outra forma… Também proibiu qualquer ação jurídica e qualquer publicação do valor da herança… Qualquer um que desrespeitar essas prescrições e tomar qualquer tipo de ação que entre em conflito com elas será imediatamente considerado como tendo disputado o testamento, e sofrerá as conseqüências de seu ato.”
 .
(4) Rothschild ordenou uma perpétua parceria na família e prescreveu que os membros de sexo feminino da família, seus maridos e filhos receberiam seus juros no patrimônio, sujeitos à administração dos membros masculinos. Eles não teriam parte alguma na administração dos negócios. Qualquer um que disputasses esse esquema perderia seus juros no patrimônio. (Esta última estipulação era especificamente destinada a tapar a boca de qualquer um que porventura viesse a romper com a família. Rothschild obviamente achava que havia muitas coisas debaixo do tapete da família que nunca deveriam ver a luz do dia.).
 .
A poderosa força da Casa de Rothschild estava baseada em diversos fatores importantes:
.
(A) Um completo segredo resultante do total controle da família de todas as negociações comerciais.
 .
(B) Uma estranha capacidade, pode-se até dizer quase sobrenatural, de ver o que estava à frente e tirar proveito daquilo. Toda a família era impulsionada por um desejo insaciável de acumulação de riquezas e de poder.
 .
(C) Uma total frieza e rudeza em todas as transações comerciais.
O biógrafo Frederic Morton, em The Rothschilds, nos diz que Mayer Amschel Rothschild e seus cinco filhos eram “magos” das finanças, e “calculistas cruéis” que eram motivados por um“impulso demoníaco” para serem bem sucedidos em seus empreendimentos secretos.
 .
Família Rothschild

Família Astor:
Proeminente familia de descendencia alemã, situada nos estados Unidos, com titulo de nobresa da realeza britanica e com grande influencia na politica e economia global, Fundador: John Jacob Astor

Família Astor

Família Bundy:

Surgiu no sec 19 e tornou-se uma das famílias mais ricas do mundo exportando máquinas globalmente

Família Collins:

Grandes industrias nos USA

Família DuPont:

Família Franco americana ligada a Família Roosevelt e a Familia Vanderbilt. Uma das famílias americanas mais influentes e de uma das corporações mais ricas do mundo.

Familia DuPont

Família Kennedy:
é uma proeminente família cujos membros atingiram importantes cargos na política e no governo dos Estados Unidos da América, e que descendem do casamento de Joseph P. Kennedy e Rose Elizabeth Fitzgerald Kennedy. A família, predominantemente apoiante ou filiada no Partido Democrata, é conhecida pelo seu liberalismo político e pela quantidade de membros que morreram em circunstâncias violentas ou acidentais. O Kennedy mais conhecido foi Presidente dos Estados Unidos da América: John F. Kennedy.

Familia Kennedy

Família Onassis:
Aristóteles Onassis, o lendário armador grego e um dos maiores magnatas da sociedade e uma das famílias gregas mais ricas da história. Athina Hélène Onassis Roussel de Miranda, mais conhecida como Athina Onassis(única descendente viva).

Familia Onassis

Família Li:

Na história dinastia Li destacam-se como gigantes.

– O bilionário e governante de Hong Kong Li Ka-shing.

– Li Keng governante da China Vermelha.

– Lee Kuan Yew. Presidente e ditador de Cingapura.

Familia Li

Família Rockefeller:
Fundador da primeira companhia petrolífera norte americana, possuem negócios de petróleo, imobiliárias, bancos, instituições internacionais americana no setor industrial e bancário. A família também é conhecido pela sua longa associação com interesse financeiro no Chase Manhattan Bank, hoje JP Morgan Chase e pela Rockfeller Military controlada atualmente por Andre Rockfeller Pisycreft na qual tem a Lockheed Martin como subsidiária.

Família Russel:
A família Russell atualmente detêm os títulos de Conde e Duque de Bedford. John Russell, um conselheiro próximo de Henrique VIII e de Eduardo VI, foi titulado Conde de Bedford em 1551, e seu descendente,
William (o 5.º Conde), foi titulado Duque logo após a Revolução Gloriosa. 

A família Russell não só desempenhou um papel importante no tráfico de ópio nos primeiros anos do século XIX e do mormonismo precoce, mas também é responsável pela criação da Ordem da Skull & Bones (Caveira e Ossos), e da Watchtower Bible & Tract Society (a famosa “Sociedade da Bíblia e Tratados da Atalaia, das Testemunhas de Jeová) Charles Taze Russell nasceu a 16 de fevereiro de 1852 perto de Pittsburgh, na Pensilvânia. ele fundou a organização das Testemunhas de Jeová. (esta pagina não visa defender algum tipo de religião, mas as Testemunhas de Jeová, a de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias “os
mórmons”, a Igreja Católica são todas criações diretas dos Illuminatis para a alienação, manipulação e enganação das massas, existem provas documentais sobre isso, falarei das outras religiões posteriormente)

Familia Russel

Família van duyn:
Condes da Holanda, e família importante no mercado de diamantes. São donos de grandes empresas, incluindo a Force One Foods, LLC, Van Duyn Properties, e outras gigantes do marketing e mídia mundial. Ao longo de
sua carreira de quase 50 anos, Martin van Duyn tem estado na vanguarda no desenvolvimento e aplicação de engenharia avançadas ferramentas de software de computador para aumentar o desempenho e confiabilidade de
máquinas rotativas.

Martin van Duyn

Família dos merovíngios:
Foram uma dinastia franca saliana que governou os francos numa região correspondente, grosso modo, à antiga Gália da metade do século V à metade do século VIII. Seus governantes se envolveram com frequência em guerras civis entre os ramos da família.

No último século de domínio merovíngio, a dinastia foi progressivamente empurrada para uma função meramente cerimonial. O domínio merovíngio foi encerrado por um golpe de Estado em 751 quando Pepino o Breve formalmente depôs Childerico III, dando início à dinastia Carolíngia.

Os merovíngios são retratados no livro O Santo Graal e a Linhagem Sagrada, de Michael Baigent, Richard Leigh e Henry Lincoln, no qual se reivindica que eles sejam descendentes de Jesus. A família conta com vários Santos, Santas, Abades e Abadessas.

Família dos merovíngios

Família McDonalds: McDonald’s é uma empresa responsável por uma rede internacional de lanchonetes, cuja atividade é conhecida como fast food, sendo a segunda maior rede do mundo na área citada, ficando atrás apenas da rede Subway. Richard “Dick” J. McDonald (16 de fevereiro de 1909 — 14 de julho de 1998) e seu irmão Maurice “Mac” McDonald (26 de novembro de 1902 — 20 de abril de 1971) foram os pioneiros americanos do fast-food, nascidos na cidade de Manchester no Estado de Nova Hampshire que estabeleceram o primeiro restaurante da rede de lanches, McDonald’s, em 1940, cuja marca venderam à Ray Kroc que a reinaugurou em abril de 1955, em Illinois, nos EUA.

Atualmente possuem mais de 14 mil lojas em aproximadamente 120 países.

Família mcdonald

As empresas

Muitas pessoas já ouviram falar do Grupo Bilderberg,Illuminati ou a Comissão Trilateral. Mas o quais são os nomes das famílias que controlam o mundo e que tem o controle de estados e organizações internacionais como a ONU, a NATO ou o FMI?Vamos tentar responder a essa pergunta, vamos começar com o mais fácil: inventário dos maiores bancos do mundo, e ver quem são os acionistas e quem decide.

Maiores empresas do mundo são agora: Bank of America, JP Morgan, Citigroup, Wells Fargo, Goldman Sachs e Morgan Stanley. Vamos agora analisar quem são seus acionistas.Bank of America: State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock, FMR (Fidelity), Paulson, JP Morgan, T. Rowe, Capital World Investors, AXA, Bank of NY, Mellon.JP Morgan: State Street Corporation, Vanguard Group, FMR, BlackRock, T. Rowe, AXA, Capital Investor Mundo, Capital Global Research Investidores, Northern Trust Corp e Bank of Mellon.

Citigroup: State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock, Paulson, FMR, Capital Investor mundo, JP Morgan, Northern Trust Corporation, Fairhome Mgmt Capital e Bank of NY Mellon.

Wells Fargo: Berkshire Hathaway, FMR, State Street, Vanguard Group, Capital World Investors, a BlackRock, Wellington Mgmt, AXA, T. Rowe e Davis Selected Advisers.

Nós podemos ver o núcleo presente em todos os bancos:State Street State Street Corporation, Vanguard Group, BlackRock e FMR (Fidelity). Para evitar repeti-los, agora vamos chamar de “As quatro grandes!”.

Goldman Sachs: “Big Four”, Wellington, Capital Mundial Investors, AXA, Massachusetts Financial Service e T. Rowe.

Morgan Stanley: “Big Four”, Mitsubishi UFJ, Franklin Resources, AXA, T. Rowe, Bank of NY Mellon e Jennison Associates. Rowe, Bank of NY Mellon e Jennison Associates.

Nós só podemos verificar os nomes dos principais acionistas. Para ir mais longe, podemos agora tentar determinar os acionistas dessas empresas e acionistas de grandes bancos em todo o mundo.

Bank of NY Mellon: Davis Selected, Massachusetts Financial Services, Capital Research Global Investor, Dodge, Cox, Southeatern Asset Mgmt. e as “quatro grandes!”.

State Street Corporation (um dos “quatro grandes!“):Massachusetts Financial Services, Capital Research Global Investor, Barrow Hanley, GE, Putnam Investment e os “quatro grandes” (os próprios acionistas!).

BlackRock (outro das “quatro grandes!”): PNC, Barclays e CIC.

Quem está por trás do PNC? FMR (Fidelity), BlackRock, State Street, etc

E quem está por trás Barclays? BlackRock.

E podíamos continuar por horas sobre os paraísos fiscais nas Ilhas Cayman, Mônaco ou as empresas Shell domicílio legal no Liechtenstein. Rede onde as empresas são sempre as mesmas, mas o nome da família em qualquer lugar.

Em suma: as oito maiores empresas financeiras dos Estados Unidos (JP Morgan, Wells Fargo, Bank of America, Citigroup, Goldman Sachs, EUA Bancorp, Bank of New York Mellon e Morgan Stanley) são 100% controladas por dez accionistas e temos quatro empresas que em todas as decisões: BlackRock, State Street, Vanguard e Fidelity.

Além disso, a Reserva Federal é composto por 12 bancos, representados pelo Conselho de sete pessoas, que inclui representantes das “quatro grandes!”, que estão presentes em outras entidades.

Em suma, a Reserva Federal está controlada por quatro grandes empresas privadas: BlackRock, State Street, Vanguard e Fidelity. Estas empresas controlam a política monetária dos EUA (e do mundo), sem qualquer controle ou eleições“democráticas”. Essas empresas lançaram e contribuiu para a atual crise econômica mundial e conseguiu enriquecer ainda mais.

Finalmente, há uma lista de algumas das empresas controladas pelas “Quatro grandes!”:
Alcoa Inc.
Altria Group Inc.
American International Group Inc.
AT & T Inc..
Boeing Co.
Caterpillar Inc.
Coca-Cola Co.
DuPont & Co..
Exxon Mobil Corp
General Electric Co.
General Motors Corporation
A Hewlett-Packard Co.
Home Depot Inc.
Honeywell International Inc.
Intel Corp
International Business Machines Corp
Johnson & Johnson
JP Morgan Chase & Co.
McDonald do
Merck & Co. Inc..
Microsoft Corp
3M Co.
Pfizer Inc.
Procter & Gamble Co.
United Technologies Corp
Verizon Communications Inc..
Wal-Mart Stores Inc.
Time Warner
Walt Disney
Viacom
News Corporation de Rupert Murdoch.,
CBS Corporação
NBC Universal

As mesmas “quatro grandes” controlam a grande maioria das empresas europeias na bolsa de valores.

Além disso, todas essas pessoas pelas principais instituições financeiras, como o FMI, o Banco Central Europeu ou o Banco Mundial, e foram “treinados” e permanecer “funcionários”das “As quatro grandes!”, que os criou.

Os nomes das famílias que controlam os “quatro grandes”, nunca aparecem.

Seres Racionais? Vídeo mostra guarda costeira grega afundando bote de imigrantes

Algumas coisas mais que as outras me fazem perder a fé na humanidade… Comecem a focar apenas a positividade, e coisas boas pois se dependermos dos governos e suas leis, é só ladeira abaixo…

Um vídeo compartilhado pelo site Metro UK, mostrando a guarda costeira da Grécia deliberadamente afundando botes com imigrantes, vem causando perplexidade na web.

Na reprodução, um marinheiro se aproxima do pequeno barco e começa a espetá-lo com um arpão enquanto os tripulantes gritam em desespero. Poucos segundos depois, o navio começa a partir como se nada tivesse acontecido.

Assista e pensa na vida…

O vídeo foi gravado pelo governo da Turquia, que jogou a reprodução na internet para denunciar e reprimir a ação do país grego. As autoridades da Grécia repudiaram a ação de seus marinheiros e dizem que não apoiam atitudes como essa. A Anistia Internacional, organização não governamental que defende os direitos humanos, também se posicionou em relação ao vídeo e exigiu que os gregos conduzam investigações sobre o ocorrido. Assista abaixo:

De onde vêm os minérios necessários para fabricação dos equipamentos eletrônicos

O tempo todo estamos utilizando smartphones e notebooks. Por meio desses aparelhos, temos quase sempre a “falsa” sensação de que estamos, de fato, conectados com o mundo. Seja porque temos um amigo na europa, ou um contato no oriente, fica parecendo que, de fato, o mundo é global para todos.

Mas, será que você saberia dizer alguma coisa sobre a vida das pessoas que trabalham na extração de minérios que são necessários para se fabricar nossa tecnologia de cada dia? Ou desse smatphone que você utilizou hoje em algum momento do dia.

Pensando nisso o fotojornalista britânico Marcus Bleasdale resolveu ampliar nossa visão do mundo por meio de suas fotos, que são basicamente de crianças, homens e mulheres que vivem na República Democrática do Congo, juntos trabalham para colher os minerais essenciais para a produção de smatphones.

O que pouca gente imagina é que essas pessoas trabalham em condições terríveis, colocando diariamente suas vidas em risco para que a nossa seja mais “conectada”, por meio da extração de minérios para fabricação de smatphones.

Miners eat lunch from a communal bowl in the mining town of Pluto in Ituri Province. They work here to extract rock and sand from a large pit which has taken over a year to excavate. The miners are made up of many different people from all over Congo who come to seek their fortune. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr

Não foi fácil conseguir produzir e divulgar essas imagens sobre extração de minérios utilizados para fabricação de smatphones. Desde 1999 Marcus Bleasdale está em negociação com as empresas que trabalham nesse seguimento, que, certamente, não fazem muita questão de escancarar essa realidade para o mundo. O resultado do projeto foi publicado com título The Price of Precious na edição comemorativa de 125 anos da revista National Geographic.

“Toda a indústria tem que chegar a um ponto maduro, onde existem muitos mais minas que podem ser classificadas como minas verdes. E uma vez que ocorra essa massa crítica, então eu realmente sentirei que o povo congolês vai ver a diferença para a economia local. É apenas chegar a esse ponto de inflexão” conta Marcus Bleasdale a respeito da extração de minérios para fabricação de smatphones.

Conheça as fotografias que mostram a extração de minérios para smatphones

Miners work to extract soil and rocks from the large 500 meter pit in Baru, Mongbwalu. The gold in this valley was discovered in November 2012 and since then thousands of workers and traders and soldiers have arrived to look for their fortune. The owner of the land has sold his land in sections of 3 meters by 6 meters for 250 USD each section. Access to Gold has been the main reason for the conflict in ituri province. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr

Miners and Traders cross the flooded river to the Gold mine in Baru, Mongbwalu. Recently discovered it has over 3000 miners working there extracting gold. Many of them are soldiers who have deserted and come to look for money. Whole families have relocated to be close to the mine. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr

Child Miners deep in rebel controlled area Bavi look for gold. This gold is then smuggled to Uganda and sold to Ugandan military in exchange for weapons. The UN rates Cobra as a gun for hire and it seems he is in collusion with some Congolese FARDC troops and Intelligence officers to keep control of the mines at any cost to protect the illegal earning of the Congolese soldiers. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr From the UN panel of experts report 2012 FRPI controls the gold mining site of Bavi from where, according to an ex-FRPI combatant and inhabitants of Bavi, the rebels generate profits through illegal taxation and the direct sale of gold. According to traders in Bunia, gold from Bavi is of superior quality in the region, which makes it easy to recognize. The main buyers are traders from Bunia and Butembo. FRPI also sells gold directly to Ugandan armed forces officers posted along the Congolese border. A regular client, cited by Congolese armed forces, militia members and a Lendu community leader, is a former Ugandan armed forces officer, Alex Mugisha. In exchange for gold, he has delivered arms and munitions to FRPI at the Semliki border crossing.

Miners in the mining town of Pluto in Ituri Province extract rock and sand from a large pit which has taken over a year to excavate. Then they filter the crushed rock through towels to extract the gold dust. The miners are made up of many different people from all over Congo who come to seek their fortune. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr

A child soldier of the Mai Mai in Kanyabayonga during an offensive against the CNDP

Displaced flee from Rutshuru towards Goma as the town is attacked by rebel forces

GLOBO.COM: PF prende grupo que preparava atos de terror na Olimpíada, se organizavam usando a Internet…

A Polícia Federal realizou a primeira prisão com base na lei antiterror.

Foi preso um grupo que já estava em atos preparatórios para ações terroristas durante a Olimpíada.

As prisões foram feitas em São Paulo e Paraná. O grupo foi recrutado pelo Estado Islâmico pela internet. Entre os presos, um menor de idade.

O ministro Alexandre de Moraes vai detalhar o ocorrido ainda hoje numa entrevista.

Palestina – Um deus marionete e seus pipocos

Palestina 80% dos mortos são civis. 32% são crianças. Palestina nos nossos becos, barcas e escombros de cada dia. Indústria bélica, seus videogames e cinemas lavando dólar com sangue. Avaliando radar, testando precisão de canhão e o amém do desespero.
Por Allan da Rosa,

Nacionalismo arregaçando no pódio. Na Copa do Mundo das bombas, o jogo de um time só

Hollywood e Jornal Nacional lambendo Ariel Sharon ainda fedendo e engravatando chacina.

Um deus estrangulado, um deus marionete rugindo pra esfarelarem mesquitas e terreiros, deceparem as oliveiras, rasgarem pescoços e pipas.

Favela espremida, casa arrancada pra asfaltar avenida e encastelar colono. Brindar financiamento de construtora e eleição.

Ramalah, quebrada, espalhada pelo mundo, escorraçada, mão calejada de mala, o olho manchado de bala. Criança incendiada é teu filho? Menina órfã, pai órfão. Sem advogar pra OLP ou pro Hamas, lembrando Umm-Khalil e Mourid Barghouti, a pergunta: – Em qual vagão rosa vão enfiar a Palestina?

Cerca de 80 pessoas tiveram contato com paciente que tem ebola nos EUA

Inicialmente, país divulgou que 18 pessoas tinham entrado em contato. Paciente com vírus viajou da Libéria para os EUA, passando por Bruxelas.

Autoridades de saúde do Texas informaram nesta quinta-feira (2) que ao menos 80 pessoas estiveram em contato em algum momento com o primeiro paciente diagnosticado com ebola nos Estados Unidos, um salto significativo em comparação ao número inicialmente divulgado de quem teria sido exposto ao vírus – 18, segundo o governo dos EUA.

Além disso, quatro integrantes da família do paciente foram colocados em quarentena dentro da própria casa, como cautela. As informações foram divulgadas pela agência Reuters, a partir de um relatório obtido pela emissora NBC.

A agência Associated Press identificou o paciente com ebola. O liberiano Thomas Eric Duncan foi a um pronto-socorro em Dallas na sexta-feira (26) e disse que vinha da África, mas a informação não foi passada adiante pela equipe que o atendeu, de modo que ele foi mandado de volta para casa com antibióticos, segundo sua irmã.
info-mapa-ebola-arteterra
Duncan está isolado desde domingo, depois que sua situação piorou. Ele está nos EUA pela primeira vez, para visitar a família. Cinco crianças tiveram contato com o paciente, de acordo com o governador do Texas, Rick Perry.

O primeiro paciente diagnosticado viajou da Libéria para o Texas via Bruxelas, informou a principal autoridade em saúde pública do Canadá, Greg Taylor. Com isso, as companhias aéreas norte-americanas e sua associação comercial, chamada Airlines for America, estão em contato próximo com os Centros de Controle de Doenças e Prevenção sobre as medidas a serem tomadas pelo governo dos EUA para lidar com as preocupações de saúde a respeito do vírus, de acordo com um porta-voz da companhia JetBlue.

Vírus transmitido durante socorro
Reportagem do “New York Times” feita na Libéria afirma que Duncan pode ter se infectado quando ajudou a carregar a filha doente do dono do local onde vive em Monróvia.
O governo da Libéria enfatizou, nesta quarta-feira, que o paciente não tinha sinais de ebola quando deixou o país. Segundo o ministro da Informação, Lewis Brown, o país implementou medidas de triagem rigorosas que estão evitando que o ebola se espalhe por viagens aéreas.

Os americanos discutem atualmente a possibilidade de usar drogas experimentais ou transfusão de plasma sanguíneo de um paciente que se curou do ebola para tratar o paciente diagnosticado com a doença no Texas. De acordo com a Casa Branca, o presidente Barack Obama já foi informado sobre os detalhes do caso por Tom Frieden, dos CDC.

Outros americanos infectados
Desde que começou a epidemia de ebola na África Ocidental, os Estados Unidos já tinham recebido outros americanos infectados pela doença. Porém, nesses casos, eles já chegaram ao país com o diagnóstico da infecção, com uma estrutura de isolamento já preparada para recebê-los.

Foi o caso do médicos missionários Kent Brantly e Rick Sacra, além da trabalhadora voluntária Nancy Writebol. Infectados na Libéria, os três foram tratados nos Estados Unidos e tiveram alta recentemente.
O Instituto Nacional de Saúde americano (NIH) reportou ainda ter recebido outro médico americano que foi exposto ao vírus enquanto trabalhava em Serra Leoa de maneira voluntária.

Mais de 3 mil mortos na África
O balanço mais recente divulgado nesta quarta-feira (1º) pela Organização Mundial da Saúde (OMS) calculou que 3.338 pessoas já morreram de ebola desde o início da epidemia, em março, em cinco países da África Ocidental. Ao todo, 7.178 pessoas foram infectadas nessa região.

Só a Libéria já registrou 1.998 mortes, quase três vezes mais do que Guiné e Serra Leoa, os outros dois países mais afetados pela doença, de acordo com as informações da OMS.

Morrem três jornalistas que investigavam participação do governo dos EUA nos atentados de 11 de setembro

Três jornalistas que trabalhavam em um documentário sobre o envolvimento do governo norte-americano na alegada demolição das torres gêmeas morreram nos últimos dias. Tratam-se do ex-repórter internacional da NBC Ned Colt, o correspondente da CBS News Bob Simon e o jornalista do New York Times David Carr.

No dia 10 de fevereiro o jornalista da NBC Ned Colt, de 56 anos, morreu por alegado ataque cardíaco. Um dia depois, dia 11 de fevereiro, o jornalista da CBS Bob Simon, de 73 anos, lendário apresentador do programa “60 Minutos”, morreu em um acidente de automóvel onde o condutor do táxi onde seguia alegadamente perdeu o controle do carro.

24 horas depois, em 12 de fevereiro, o jornalista do The New York Times David Carr, de 58 anos, morreu na redação do jornal depois de uma indisposição, tendo a autópsia revelado, posteriormente, que sofria de câncer do pulmão.

Pode ser só uma coincidência que no intervalo de apenas três dias, três jornalistas incômodos perdessem a vida em circunstâncias mais ou menos claras. O problema, que naturalmente está dando margem à várias especulações, é que todos eles estavam trabalhando em um documentário que aprofundava a pista do envolvimento dos EUA nos atentados às torres gêmeas, o famoso 11 de setembro de 2001.

No meio disso tudo, Vladimir Putin afirmou estar de posse de documentos que provam esse envolvimento, fazendo ameaças veladas ao governo dos EUA, elemento que agrava o desconforto gerado pelas sucessivas não muito convincentes explicações à opinião pública.

Com boa parte do Oriente Médio em estado de sítio, com a Ucrânia mergulhada na guerra civil, com a Grécia negociando sua permanência na União Européia, com a generalidade dos BRIC em acentuado abrandamento da era dos milagres, a estratégia do medo pode acabar por só dar medo a quem ainda tem alguma coisa a perder.

A credibilidade sobre qualquer atentado neste momento abalará por certo todas as certezas que se têm vendido desde o abalo das torres até à diabolização islâmica na ressaca do Charlie Hebdo. Quem tem ganho com tudo isto tem que ser mais do que parecer sério, e cada vez parece menos.

Os três jornalistas mais Brian Williams, que teve de renunciar à NBC por mentir sobre uma notícia do Iraque, tinham formado uma companhia independente de notícias em vídeo no mês passado e apresentaram os documentos de segurança necessários que lhes permitiriam o acesso aos arquivos mais secretos do Kremlin, onde se encontrariam alegadas provas relacionadas com os atentados de 11 de setembro de 2001.

bob-simon

O jornalista norte-americano Bob Simon, conhecido pelo programa 60 Minutos, morreu dia 11 de fevereiro, aos 73 anos, num acidente de trânsito em Nova Iorque, confirmou a estação de televisão CBS. Simon seguia como passageiro em um livery cab, um táxi especial contratado com motorista privativo, quando se deu o desastre, por volta das 18:45 horas.

ned_colt

No dia 10 de fevereiro o jornalista da NBC Ned Colt, de 56 anos, morreu por alegado ataque cardíaco.

david_carr_nyt

David Carr, respeitado jornalista e analista de cultura e mídia do The New York Times, morreu dia 12 aos 58 anos quando se encontrava na redação do jornal. Era um dos mais capazes jornalistas que já trabalhou nos jornais diários norte- americano, recordou o publisher do jornal, Arthur Ochs Sulzberger Jr.

Em relação a esses arquivos do 9/11 em poder do Kremlin, o presidente Putin tinha alertado que iria divulgá-los.

Os especialistas norte-americanos acham que, apesar do fato das relações entre os EUA e a Rússia terem chegado no ponto mais grave desde a Guerra Fria, Putin até agora levou a Obama problemas menores. Os analistas acham que isto é só a calmaria antes da tempestade.

Putin iria atacar e estaria preparando o anúncio das provas da participação do governo dos Estados Unidos e dos serviços de inteligência nos ataques do 11 de setembro. O motivo para enganar e assassinar seus próprios cidadãos seria para proteger os interesses petroleiros dos Estados Unidos no Médio Oriente e das suas empresas estatais. O pivot da empresa de notícias em vídeo independente dos três jornalistas, que pretendia descobrir a verdade do 9/11, era David Carr, que no New York Times foi um defensor de Edward Snowden e costumava dizer que após ter visto o documentário Citizenfour (que ganhou o Oscar de melhor documentário), tratou de ir dormir “mas não podia”.

Carr estava seriamente desiludido com o New York Times pela cobertura da guerra da Ucrânia “e não só por não dizer a verdade, mas também pelos emblemas nazistas nos capacetes de soldados leais ao regime da Ucrânia lutando contra os rebeldes”. Outro que trabalhava muito com Williams e Carr neste projeto do vídeo do 9/11, foi Ned Colt, quem após sair da NBC News continuava sendo um grande amigo de Williams e aperfeiçoou suas habilidades humanitárias enquanto trabalhavam no Comitê Internacional de Resgate. Por sua vez, Bob Simon considerava “extremamente lamentável” a manipulação dos meios de comunicação no período prévio à guerra dos Estados Unidos no Iraque.

Após a campanha de destruição da imagem de Williams e a estranha morte de Carr, Colt e Simon, o regime de Obama parece estar enviando uma “mensagem clara” à elite norte-americana quanto à exposição dos seus segredos mais obscuros.

Pior ainda, as elites dos meios de comunicação nos EUA agora fogem de medo e o regime de Obama ameaça agora os meios de comunicação alternativos com torná-los ilegais. Para isso há uma escandalosa proposta legislativa para classificar qualquer crítica contra a polícia nas redes sociais como um “crime de ódio”.

Farsa revelada, é comercial de tv: Garotinho se finge de morto para resgatar menina na Síria

Uma cena chocante, mas ao mesmo tempo de puro heroísmo desse guri. Nos horrores da guerra na Síria e sob a mira de um sniper, esse menino corajoso fingiu que levou um tiro e se fingiu de morto pro atirador não lhe dar a atenção.

Ele se levantou, pegou a menina pelo braço e saiu correndo para um lugar seguro. Que atitude desse menino!

Continue com todo o conteúdo abaixo:

Será que o vídeo que mostra o ato heroico de um garoto de 8 anos que se finge de morto para salvar uma menina de um tiroteio na Síria é verdadeiro ou falso?

Na segunda semana de novembro de 2014, um vídeo que registra o ato heroico de um jovem garoto foi publicado no YouTube. Na filmagem, podemos ver um menino caindo ao levar um tiro e, para espanto de todos, se levanta e corre em direção a uma garotinha que estava escondida atrás de um carro queimado, salvando-a das rajadas mortais e a conduzindo a um local seguro!

Menino heroi na Síria se finge de morto para salvar uma garotinha! Verdadeiro ou falso? (foto: reprodução/YouTube)

O ato do herói-mirim, em meio à guerra civil que toma conta da Síria, já foi assistido mais de 4 mihões de vezes em apenas uma semana no YouTube, além de ter milhões de compartilhamentos nas redes sociais.

De acordo com a notícia publicada em diversos jornais online, o caso teria acontecido em Yabroud, perto da fronteira do Líbano, onde existem focos de resistência do Exército Livre da Síria.

Será que esse vídeo do pequeno herói é verdadeiro ou falso? Assista ao filme abaixo e descubra conosco:

Verdadeiro ou falso?

Apesar de muitos jornais online publicarem o vídeo como sendo real, o filme é uma produção norueguesa dirigida por Lars Klevberg.

Em entrevista à agência de notícias BBC, Lars explicou que teve a ideia do roteiro do filme depois de assistir a uma cobertura jornalistica do conflito na Síria e que a sua intenção era fazer um vídeo rápido que chamasse a atenção para a situação das crianças na Síria.

Bastidores das gravações! (Foto: Divulgação)

O vídeo foi gravado em maio de 2014, em Malta (e não na Síria) e tanto o menino quanto a menina são atores que vivem em Malta. As vozes que ouvimos ao fundo são de refugiados sírios que vivem lá. Além disso, Lars Klevberg queria mostrar como é fácil enganar o povo em época de guerra com vídeos forjados sobre confrontos armados.

O filme foi financiado pelo Instituto Norueguês de Cinema. Segundo afirmou o cineasta, seu pedido de financiamento foi aceito depois que ele deixou claro que queria fazer o upload do filme para a internet sem torná-lo óbvio se era real ou ficção. Mesmo assim, ele disse ter deixado algumas pistas no vídeo para que os espectadores descobrissem que se tratava de uma encenação.

A equipe de filmagem reunida! (foto: Divulgação)

Jornais se precipitando

Alguns portais de notícias e sites de jornais online correram para publicar o vídeo do ato heroico do garoto sem antes darem uma checada básica no assunto.

O Yahoo Notícias, por exemplo, além de divulgar o fato como sendo real, ainda acrescentou dados que, segundo eles, teriam vindo do local do conflito:

Yahoo Notícias tirou a matéria do ar, mas a internet não esquece!

O interessante nesse novo tipo de jornalismo e que quando erram, simplesmente tiram a matéria do ar. Só que a internet não esquece nada e deu tempo de outros sites de notícias também copiarem a matéria, caindo também no viral norueguês, como o Tribuna da Bahia:

O Tribuna da Bahia também foi no embalo, assim como diversos outros portais de notícia no mundo todo!

 

Bastidores das gravações

 

Conclusão

O vídeo é, na verdade, uma produção financiada pela Noruega para chamar a atenção para a situação das crianças que estão sofrendo com a guerra civil na Síria.

fonte: efarsas

***

O “Anjo da morte”: guerreiro que já matou mais de 1.500 terroristas do estado islâmico

Abu Azrael, popularmente conhecido como “Anjo da Morte”, nada mais é que um dos maiores heróis do povo iraquiano. Um homem que costuma carregar consigo uma metralhadora M4 nas costas e um machado em sua mão esquerda, além de um escudo com o seu nome.

Abu iniciou a sua formação militar com o Exército de Mahdi, onde participou em combates contra os rebeldes sírios que querem derrubar o presidente Bashar al-Assad. No Iraque, ele combateu em Amerli, uma cidade majoritariamente xiita que esteve cercada pelos jihadistas em 2014 e onde, segundo ele, os milicianos do estado islâmico “massacraram os nossos filhos com machados”.

Segundo ele, um dos responsáveis por este massacre morreu em combate, e que está à procura de outros dois e só sossegaria após cortar a cabeça deles. Tais declarações feitas por ele chamam a atenção de diversos iraquianos que procuram por vingança pelas atrocidades cometidas pelos jihadistas.

Há informações de que mais de 1500 jihadistas morreram pelas mãos de Abu Azrael, ele tem como slogan “Tahin illa”, que significa “apenas farinha ou esfarelar”, ou seja, ele irá pulverizar os jihadistas.

Terrorista do Estado Islâmico filma a própria morte , com câmera na cabeça

Um militante do grupo extremista Estado Islâmico filmou a própria morte durante um combate contra tropas iranianas, em Ramadi, no centro do Iraque. De acordo com informações do jornal ‘Daily Mail’, o terrorista estava com uma câmera acoplada ao corpo e registrou a troca de tiros durante o conflito, até o momento em que foi baleado.

Ainda segundo o jornal britânico, o vídeo foi gravado no mês de maio, quando os terroristas tomaram a cidade, mas a gravação só foi divulgada nesta semana, no site ‘LiveLeak’.

Ao escutar um homem gritar “Allahu Akbar” (‘Allah, Deus é o maior’, em tradução literal), o terrorista sai de trás da barreira de proteção, é baleado e cai no chão.

Menina síria comove ao erguer as mãos ao confundir câmera com arma

Imagem foi visualizada por mais de 1,8 milhão de pessoas. Foto se tornou viral na web ao ser postada por fotojornalista no Twitter.

Uma menina síria de quatro anos teria levantado as mãos para o alto como se estivesse se rendendo ao confundir uma câmera fotográfica como uma arma. A imagem comovente foi compartilhada pela fotojornalista Nadia Abu Shaban no Twitter.

Menina síria ergueu as mãos ao confundir câmera fotográfica como arma (Foto: Reprodução/Twitter/Nadia AbuShaban )
Menina síria ergueu as mãos ao confundir câmera fotográfica como arma (Foto: Reprodução/Twitter/Nadia AbuShaban )

Na legenda da foto, Nadia diz que a criança pensou que o fotógrafo estava com uma arma quando apontou a câmera para clicá-la. Compartilhada no Imgur (site de hospedagem de fotos), a imagem foi visualizada por mais de 1,8 milhão de pessoas.

Guerra civil
A guerra na Síria completou neste mês quatro anos e sem uma perspectiva de fim, com um balanço humanitário dramático. Segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), o conflito provocou mais de 215 mil mortes.

Quase quatro milhões de pessoas fugiram da Síria, incluindo um milhão que buscara refúgio no vizinho Líbano. No país, mais de sete milhões de sírios abandonaram suas casas e quase 60% da população vive na pobreza

O maior depósito de lixo nuclear do mundo está no oceano pacífico

Conheça o enorme túmulo nuclear que há no local onde os EUA fizeram seus maiores testes nucleares no Oceano Pacífico.

Runit-Dome-o-tumulo-nuclear-do-Pacifico

Você sabia que no Oceano Pacífico há uma enorme domo de concreto com o lixo nuclear?. Vamos fazer um passeio a este estranho lugar.

Localizado nas Ilhas Marshall (EUA), mais precisamente no Atol Enewetak.

É um conhecido campo de provas onde foram realizados os testes nucleares norte-americanos. Foram 43 explosões, incluindo a primeira bomba de hidrogênio na Operation Ivy Mike MT 10.4.

Runit-Dome-o-tumulo-nuclear-do-Pacifico-1

Além disso, o teste da Cactus 18 KT em também foi feito neste local em 1958. Esta cratera foi utilizado para o descarte de resíduos nucleares de outros testes, que forsm enterrados sob uma cúpula de concreto chamada Runit Dome construído entre 1977 e 1979.

Runit-Dome-o-tumulo-nuclear-do-Pacifico-2

O interessante é que este concreto possuí rachadura e nenhum tipo de manutenção é feito nele.

Runit-Dome-o-tumulo-nuclear-do-Pacifico-3

[mbYTPlayer url=”http://www.youtube.com/watch?v=qjnm3V0xYjI” opacity=”1″ quality=”medium” ratio=”auto” isinline=”false” showcontrols=”true” realfullscreen=”false” printurl=”false” autoplay=”true” startat=”3″ mute=”true” loop=”false” addraster=”false” stopmovieonblur=”true” gaTrack=”false”]

Morte de jornalista no Iraque foi uma farsa!

Faz alguns dias que um jornalista foi decapitado no Iraque pelo Estado Islâmico e na internet já fervilham inúmeras teorias de que a decapitação teria sido uma farsa montada com o fim de defender uma guerra futura e convencer o público dos EUA a apoia-la.
Listamos aqui alguns dos “argumentos” mais usados para tentar desqualificar a ação ou dar a ela outro sentido.

1 – O assassino não começou seu discurso com “Bismillah Rahmani Rahim”.

2 – Não há bandeira preta no vídeo.

3 – Foley esta muito tranquilo para alguém que sabe que ele está prestes a ter sua cabeça cortada.

4 – Não há o grito de “Allahu akbar”.

5 – “o assassino” tem um sotaque de Londres, que tem a maior população judaica do Reino Unido.

6 – Foley foi marginalizado como um ativo da CIA pelo ex-agente da inteligência Scott Rickard o que explica por que ele continua aparecendo na guerra do poder americano.

7 – Sua família não parecia abatida com a notícia de sua morte em suas entrevistas na TV.

8 – Quando o ISIS foi tímido sobre mostrar a decapitação real de suas vítimas?.

9 – A estrutura óssea facial da cabeça “decapitada” é diferente da de Foley, enquanto estava vivo.

10 – Quando o ISIS usou gráficos e efeitos de áudio tão bons em seus vídeos?

11 – Lembre-se que Foley foi capturado e libertado por Gadaffi, e em seguida, “perdeu-se” na Síria e o governo dos Estados Unidos passou os últimos meses exigindo que Assad o entregasse. Agora nós devemos acreditar que Assad deu ele ao ISIS?

12 – O traje laranja. Traje laranja em uma aldeia na zona de guerra! Nada estranho? Onde o ISIS conseguiria um macacão estilo brilhante laranja das prisões norte-americanas? Parece ser um vídeo perfeito para surpreender o público americano, e levar todos a concordam com outra guerra.

Até agora, nada foi comprovado, tudo o que foi citado acima são apenas suposições. Respeitamos a família do jornalista e apenas estamos comentando um assunto que na qual foi bastante abordado em fóruns e no facebook. Os únicos fatos concretos, são a influência dos EUA para o fortalecimento do Estado Islâmico e que todas as suas ações parecem legitimar uma futura ação estadounidense em larga escala na região.

Blogueiro saudita condenado a mil chicotadas, todo dia leva 50 nas costas

E você ai reclamando do Brasil e da nossa liberdade de expressão. No dia 9 de janeiro, uma sexta-feira, o blogueiro Raif Badawi, que havia sido preso em 2012, recebeu as primeiras 50 chibatadas em público.

A Ministra da Imigração, da Diversidade e da Inclusão da província de Québec, no Canadá, Kathleen Weil, afirmou hoje (1º) que a província continuará a defender a libertação do blogueiro saudita Raif Badawi, preso na Arábia Saudita por insultar o Islã. Ele foi condenado à pena de mil chicotadas e dez anos de prisão, além do pagamento de multa de quase 300 mil dólares canadenses (US$ 237.830).

“Estamos determinados a continuar na defesa de Raif Badawi; na defesa dos direitos humanos em todo mundo. E este é um caso flagrante de que esses direitos fundamentais foram suprimidos”, enfatizou.
A declaração da ministra foi dada em referência a uma carta enviada pela Embaixada da Arábia Saudita no Canadá, no dia 10 de março, ao parlamento quebequense, condenando qualquer tipo de interferência nos assuntos internos do país árabe.

A carta pode ser considerada uma resposta do governo saudita a uma moção aprovada pelos parlamentares da província, em fevereiro deste ano, em solidariedade a Badawi, condenando sua flagelação pública e pedindo a libertação do blogueiro.

No documento, o governo saudita expressa “forte surpresa” e diz que “o Reino (da Arábia Saudita) não aceita nenhuma forma de interferência em seus assuntos internos, e rejeita a invasão do seu direito soberano ou o comprometimento da sua independência e integridade judiciária, onde não há poder sobre os juízes em suas decisões”. Afirma ainda que o “Reino (da Arábia Saudita) não aceita de forma alguma nenhum ataque em nome dos direitos humanos, especialmente quando sua constituição é baseada na lei islâmica, o que garante os direitos humanos”.

A pena deveria continuar a ser executada a cada sexta-feira, até que o total de mil fosse atingido. Mas isso não aconteceu. Desde então e até o momento, os golpes de chibata foram suspensos. As razões não são explícitas. A princípio estão relacionadas à saúde do condenado.
A esposa do blogueiro, refugiada com os filhos no Québec, na cidade de Sherbrooke, recebe o apoio da organização não governamental de defesa de direitos humanos Anistia Internacional, para mobilizar pessoas e sensibilizar governos em várias partes do mundo pela libertação de Raif Badawi.
Segundo a ONG, mais de 175 mil canadenses já se pronunciaram por escrito e online em favor das petições por Badawi.
Ainda em janeiro, o então ministro canadense das Relações Exteriores, John Baird, havia se pronunciado sobre a condenação do blogueiro, qualificando-a como “violação da dignidade humana e da liberdade de expressão” e pedindo “clemência”.

Assustador: veja o momento em que um míssil atinge rebeldes na Síria

Essa vila virou poeira!

A guerra civil da Síria começou com uma série de protestos populares em 2011, de lá pra cá progrediu para uma violenta revolta armada que já matou mais de 200 mil pessoas. No vídeo abaixo você vai ver uma grande movimentação de rebeldes em uma área na Síria. Com armas pesadas eles tentam interceptar ataques aéreos.

Veja o exato momento em que a artilharia falhou ao destruir um míssil, e quando ele se aproxima, os rebeldes até tentam correr. Mas já é tarde demais! Assista a assustadora explosão:

Continue com todo o conteúdo abaixo:

O fato é que a Síria já está em guerra civil há mais de três anos, e sua origem está no descontentamento do povo com o regime de Bashar al-Assad. Depois de décadas de repressão, as pessoas resolveram lutar por liberdade e democracia. Mas o ditador não cedeu. Então, o movimento que iniciou durante a Primavera Árabe se transformou em um conflito sangrento que matou mais de 200 mil pessoas e afetou sete milhões de refugiados, um terço da população do país.

Em meio aos confrontos, houve massacres cujas imagens ganharam o mundo e causaram repulsa em diversos países e organizações. Como o diálogo parece esgotado, começou-se a pensar em uma intervenção militar para deter o extermínio de civis. À frente da iniciativa estão os Estados Unidos e seus aliados, como França e Grã-Bretanha. Do outro lado estão Assad e alguns países que o apoiam, como a Rússia. Hoje, o mundo vive um grande debate para saber qual é a melhor solução para a guerra.

fonte: mundopocket

***