Arquivo da categoria: Debate

O que vai acontecer em 2019 que Chico Xavier e os espíritas tem tanto medo?

O espiritismo é mais uma de várias religiões que existem no mundo. Ela acredita que exista um outro mundo, onde espíritos vivem e nós podemos conversar com eles através de pessoas que desenvolvem uma certa técnica.

Essas pessoas são chamadas de médiuns e uma das pessoas mais conhecidas do Brasil por ter este dom, é Chico Xavier. Você sabia que este médium tinha uma previsão assustadora para o ano de 2019?

Primeiramente para contextualizar esta previsão, um amigo de Chico chamado Geraldo Lemos Neto, teve uma conversa com ele antes do falecimento do médium. Chico diz que teve várias conversas com entidades espiritas que podiam ver o futuro em vários anos para frente. Para comprovar que isso realmente poderia ser verdade, Geraldo diz que em um livro chamado “O Espiritismo e as grande transições”, um médium já tinha acertado que homem iria a lua.

A Previsão

Para inicio de toda a conversa, o espiritismo acredita em várias entidades da religião católica. Uma delas é Jesus e foi justamente ele que faz todas as previsões para o mundo em 2019. Não sabemos se Chico falou diretamente com ele ou se ouviu a história de outro ser espiritual que também já tinha ouvido falar dessas previsões.

Chico Xavier diz como uma das primeiras coisas, que Jesus teria dado para a Terra um prazo de no máximo 50 anos para ela entrar em paz, caso isto não ocorresse, o mundo sofreria por isso. Para ser mais claro, o mundo não poderia entrar em guerra novamente e o estopim para a ira de Jesus, seria a Terceira Guerra Mundial. Caso esta grande guerra não acontecesse, o mundo também seria recompensado, ou seja, não existem apenas coisas ruins nesta previsão.

Previsão ruim

Se por algum acaso o mundo entrasse novamente em guerra, ele ia pagar com vários desastres naturais. O mundo enfrentaria terremotos de magnitudes altas, tsunamis que cobririam cidades inteiras e vulcões entrariam em erupção causando um terrível estrago. Muitos países desapareceriam totalmente do mapa, mas nem todas as pessoas do mundo iriam morrer. O Brasil, seria um dos países que menos sofreria com estes estragos.

Com os poucos sobreviventes destas catástrofes, eles iriam emigrar para o nosso país. Como somos um país de tamanhos continentais, várias nações ocupariam diferente partes do país. Os Estado Unidos, México e Canadá ocupariam a região norte e nordeste. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul seriam tomados pelos europeus, enquanto a região sul seria tomada pelos chilenos, argentinos e uruguaios. Para nós, restaria apenas Goiás, a região sudeste e o distrito federal.

Com vários civilizações vivendo em um território muito próximo, elas trocariam ensinamentos e viveriam e paz. O Brasil se desenvolveria, já que não sofreu tanto com desastres, e seria um enorme potência perante as outras nações.

Previsão boa

Se o mundo não entrasse em guerra e permanecesse em paz, o mundo ganharia muito em 2019. Chico diz para seu amigo, que a partir de 2019, a cura de várias doenças seria encontrada através de pesquisas e intervenção divina. Além disso, civilizações muito mais avançadas que as nossa, teriam permissão para fazer contato. Estas civilizações são os famosos extraterrestres, que poderiam viver conosco na Terra.

Veja o maravilhoso documentário sobre o assunto:

2019 – Data Limite Segundo Chico Xavier. clique aqui

 

Anitta: rainha dos pobres, bregas, surdos e sem noção lança mais uma bosta de música chamada ‘Medicina’

MISERICÓRDIA SENHOR, ELA NÃO SABE O LIXO QUE CANTA!

Anitta lança música ‘Medicina’ após fazer reality mostrando escolha de novo single.

Clipe começou a ser gravado no início de julho, na Colômbia, e deve contar com registros em outras cinco cidades do mundo.

pós realizar um reality show para mostrar a escolha de seu novo single, Anitta decidiu por lançar a música “Medicina”, mais uma faixa da cantora em espanhol.

A faixa está disponível nas platafomras digitais e é composição da cantora com Jon Leone, Maurício Montaner, Mario Cáceres e Andy Clay.

O clipe de “Medicina” começou a ser gravado no início de julho, na Colômbia, e segundo Anitta, deve contar com registros em seis cidades do mundo.

Esta semana, ela escreveu no Twitter que o clipe já foi finalizado.

Anitta também já tem pronto seu próximo single e o clipe referente a ele.

O vídeo de “Veneno” foi gravado no Brasil.

11
comentários

ASSASSINA Suzane von Richthofen ganha filme de cinema: ‘A menina que matou os pais’. VAI GANHAR 15 MILHÕES…

O BRASIL AGONIZA COM TANTOS ASSASSINOS QUE ACABAM SE DANDO BEM! POLÍTICOS, FILHINHOS DE PAPAI, JOGADOR DE FUTEBOL, PRESIDENTES….

História de Suzane von Richthofen será retratada no filme ‘A menina que matou os pais’
Filmagens começam ainda neste ano e estreia é prevista para 2019. Thriller psicológico discutirá motivos que levaram Suzane a planejar assassinato dos pais, diz diretor.

Os acontecimentos que envolvem o crime e o julgamento de Suzane Von Richthofen e Daniel Cravinhos serão retratados no fime “A menina que matou os pais”, anunciado nesta terça-feira (17) pela distribuidora Vitrine Filmes.

Os dois são réus confessos pelo assassinato de Manfred e Marísia von Richthofen, pais de Suzane, em outubro de 2002. O episódio é um dos mais lembrados casos policiais do Brasil.

As filmagens devem começar ainda no segundo semestre deste ano. A estreia é prevista para 2019.

Mauricio Eça (“Apneia” e “Carrossel”) assina a direção. Em um comunicado, ele diz que o filme será um “thriller psicológico de suspense”, que abordará os motivos em torno do crime com “detalhes e discussões nunca antes debatidos sobre o caso”.

“O filme traz um tema que muita gente conhece e tem ideias preconcebidas, mas as pessoas não sabem o mais importante, que é o motivo que levou a filha a, junto com seu namorado, matar os pais.”

O roteiro é assinado pela criminóloga Ilana Casoy, autora do livro “O quinto mandamento” (Arx, 2006), que reconstitui o assassinato dos Richthofen, e pelo escritor de literatura policial Raphael Montes.

A pesquisa para construção da história durou cerca de seis meses e analisou arquivos públicos do julgamento, desde o assassinato até a condenação. Diretor, produtora e distribuidora estão realizando testes para escolher o elenco do filme.

O crime

Manfred e Marísia foram mortos a pauladas enquanto dormiam. O crime foi cometido pelos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, à época namorado e cunhado de Suzane. Ela foi condenada a 39 anos de prisão por ter sido considerada mentora da ação.

Daniel Cravinhos já cumpre pena no regime aberto. Cristian estava no mesmo regime, mas foi preso neste ano por posse ilegal de munição após se envolver em uma confusão em um bar de Sorocaba (SP).

TVs compradas com dinheiro público foram sorteadas em festinha de fim de ano da PM

Numa festa de fim de ano na PM, os brindes sorteados entre os convidados foram comprados com dinheiro público. Uma investigação da Corregedoria da PM a que o EXTRA teve acesso revela que os R$ 6.540 usados para comprar as seis TVs de 32 polegadas, rifadas no evento, promovido em 2012 pela Diretoria de Finanças (DF), deveriam custear “gêneros de última necessidade” para a corporação.

Agora, com a conclusão do Inquérito Policial Militar (IPM), o comando da PM quer que os policiais agraciados com os televisores devolvam os aparelhos.

A investigação foi aberta em 2015, após um relatório de gestão elaborado pela própria DF apontar o “sumiço” de seis TVs, que haviam sido compradas três anos antes e deixaram de fazer parte do acervo do órgão. Os aparelhos haviam sido comprados, segundo a investigação, “com verba advinda do Banco Central”.

Pouco antes da festa, a autarquia federal solicitou a transferência de R$ 53 mil oriundos de um convênio da PM, responsável pela escolta de valores do Banco Central, com o órgão. O dinheiro seria distribuído entre diversas unidades da PM, como o Batalhão de Choque, o Grupamento Aeromóvel e a própria Diretoria de Finanças — para a qual seriam destinados R$ 6 mil.

No entanto, a verba foi usada para comprar, em 28 de novembro de 2012, seis televisões LED “destinadas à confraternização natalina”, segundo o relatório do IPM.

A Corregedoria não identificou responsáveis pela compra, mas aponta a participação de oficiais lotados na DF à época no caso: “está claro que as irregularidades não ocorreram à revelia dos seus dirigentes ou de maneira aleatória, mas por suas próprias contingências, com prévia idealização”.

Os seis policiais que ganharam as televisões no sorteio já foram identificados. Entre eles, há até praças que já passaram para a reserva.

Por decisão do comandante da PM, coronel Luis Claudio Laviano, publicada no boletim interno da corporação do último dia 5, os agentes deverão devolver os aparelhos com embalagens, manual e termo de garantia.

Se os televisores não forem devolvidos, cada um dos vencedores deverá ressarcir à PM o valor dos aparelhos, comprados por R$ 1.090 cada.

Questionada sobre eventuais punições a responsáveis pela compra e pelo sorteio, a PM respondeu que “após a criação da Controladoria Geral da PM, instituída no ano passado, a ocorrência de irregularidades como a apurada no citado IPM seria praticamente impossível”.

‘Existem gays na PM, e muitos’, diz soldado ameaçado por policiais após beijar rapaz no Metrô de SP

Leandro Prior falou com o G1 após vídeo não autorizado viralizar na internet. ‘95% das ameaças são de PMs’, diz policial militar que, abalado, se afastou da corporação para tratamento médico.

Há quase quatro anos, Leandro Prior teve de responder a um questionário para entrar na Polícia Militar (PM) de São Paulo que perguntava sua opinião a respeito do “homossexualismo”. Disse ter respondido que “não achava nada” até porque também é “homossexual”.

Aprovado, trabalha desde então no 13º Batalhão da PM, na capital paulista. Ele atua na Força Tática por meio do Programa Vizinhança Solidária na Cracolândia, área da região central de São Paulo conhecida pelo tráfico e consumo de drogas ao ar livre.

Nesse período, Prior se lembra de ter sido vítima de preconceito por conta de sua orientação sexual uma única vez diretamente e, nas outras, de forma velada. (veja entrevista no vídeo acima)

“Houve um caso onde apontaram o dedo. Foi dito que ‘com ele eu não trabalho’. Foi direto, curto e grosso. E a pessoa disse: ‘você sabe por que’. […] Os outros casos são velados, mas esse foi o único caso mais direto antes desse caso do vídeo”, conta aoG1 o PM.

“O caso do vídeo” a que se refere o soldado é o que foi feito por celular sem sua autorização. As imagens mostram o policial fardado beijando na boca outro homem, em trajes civis, no Metrô de São Paulo. Nada anormal para uma capital que todo ano tem uma das maiores paradas gays do mundo e desenvolve campanhas contra a discriminação por gênero e orientação sexual.

Mas quem filmou Prior dando um “selinho” em seu amigo não entendeu assim. Naquela ocasião, o policial havia deixado o trabalho, mas aparecia fardado dentro de um vagão da Linha 3-Vermelha do Metrô, o que chamou a atenção do desconhecido que gravou a cena.

Segundo Prior, até a corporação informa que não há regulamento que proíba manifestações de afeto fora do ambiente profissional. “Acredito que não seja proibido pelo artigo 104 da I-24 PM, onde ela permite atos de afeto fora da administração, área de administração militar”, diz o soldado de 27 anos.

O G1 entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) para comentar o caso de Prior e aguarda retorno.

Vídeo viralizou

Além de filmar o beijo que Prior deu no rapaz para se despedir, o responsável pela gravação resolveu compartilhar o vídeo, primeiramente num grupo fechado de policiais no aplicativo de celular WhatsApp. Logo depois a filmagem viralizou, mudando a vida de Prior a partir de junho.

“Não faço ideia [de quem gravou o vídeo], mas quero saber”, diz Prior, que não percebeu a gravação e busca a punição de quem a compartilhou. “Se tivesse percebido, eu mesmo teria tirado o celular da pessoa. Estou me sentindo assim… Como é que eu posso te dizer? Ainda um pouco aéreo, um pouco baqueado porque tomou uma repercussão muito grande”.

Da esquerda para a direita: vídeo com beijo de soldado beijando homem no Metrô de SP viralizou e gerou ofensas nas redes sociais, como a do lado, postada por um policial da Rota (Foto: Arquivo/Reprodução/Redes Sociais)

Da esquerda para a direita: vídeo com beijo de soldado beijando homem no Metrô de SP viralizou e gerou ofensas nas redes sociais, como a do lado, postada por um policial da Rota (Foto: Arquivo/Reprodução/Redes Sociais)

Ameaça de morte

A cada compartilhamento nas redes sociais, Prior recebia um xingamento, uma ofensa e até ameaças de morte acompanhando o vídeo.

“Aqui não aceitamos um policial fardado em pleno Metrô beijando um homem na boca. Desgraçado, desonra para minha corporação. Esse tinha que morrer na pedrada! Canalha safado! Se alguém não gostar desse comentário, f* você também!”, é uma mensagem postada na página do Facebook de um policial militar das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), tropa de elite da PM.

Declarações como essa levaram Prior a acionar a Polícia Civil e a Polícia Militar para tomarem providências criminais e administrativas contra policiais que o estão ameaçando. Os casos são acompanhados pelo advogado de Prior, José Beraldo, membro do Conselho Estadual de Direitos da Pessoa Humana (Condepe), Ariel de Castro, e o ouvidor da Polícia, Benedito Domingos Mariano.

“Eu tenho diversos prints, e 90% a 95% das pessoas que fazem comentário de ódio em todas as redes sociais contra a minha pessoa e a minha vida são vindas de policiais militares”, informa Prior.

Mesmo figurando como vítima de homofobia, o soldado terá de responder a um procedimento administrativo também na corporação. Segundo a PM, a atitude de Prior no Metrô não obedeceu a regras de segurança exigidas pela corporação. Ele teria deixado o coldre da arma aberto. Sua arma foi recolhida.

 Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

Tratamento médico

Alegando motivos de saúde, Prior pediu afastamento da PM para se tratar. Chegou a ser internado numa clínica psiquiátrica e vem tomando remédios contra pânico. Teria de voltar ao trabalho nesta quarta-feira (11), mas disse não ter condições de voltar as atividades ainda.

“Pela pressão, porque as pessoas não imaginam a dimensão que tomam os problemas. Era uma coisa pequena, tomou uma proporção muito grande. Você, do nada, começa a receber ameaças de todos os âmbitos. Eu acredito que, psicologicamente, ainda não esteja apto a retornar”, diz ele, que teria conseguido mais um mês de licença médica.

Na entrevista ao G1, Prior contou que teve de responder a um questionário sobre o que achava do “homossexualismo”. Segundo o ativista LGBTI Agripino Magalhães, que após o episódio passou a acompanhar o soldado e dar assessoramento a ele, o nome apropriado seria “homossexualidade”.

O “homossexualismo” alude a um período em que o termo representava o que então era considerado um distúrbio mental pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Em 1990, a OMS retirou o item da sua lista internacional de doenças.

“Recordo-me que disse que eu não achava nada [quando perguntado sobre o que achava do ‘homossexualismo’]. A condição sexual do indivíduo não iria interferir no atendimento de ocorrência da minha parte”, diz Prior. “Completei: não vejo problema algum, afinal também sou [homossexual]”.

Soldado Leandro Prior observa busto em miniatura durante entrevista (Foto: Kleber Tomaz/G1)

Soldado Leandro Prior observa busto em miniatura durante entrevista (Foto: Kleber Tomaz/G1)

Gays na PM

Prior, que em novembro completará quatro anos como policial militar, diz hoje sem medo: “Sim. Existem gays na PM e muitos”.

O soldado relata a existência de oficiais e comandantes homossexuais na PM paulista.

“Existem lésbicas, existem gays, existem trans. Continuam trabalhando e devem permanecer. Não é critério de diminuição dos índices criminais a condição sexual. Como qualquer outro lugar de chefia e direção de qualquer outra empresa ou corporação.”

Segundo ele, porém, a sociedade não tem tanto conhecimento da existência de gays na PM porque eles mesmo se escondem. “Existe um enorme preconceito na Polícia Militar contra gays”, diz Prior sobre outros policiais que usam de preconceito velado dentro da corporação contra homossexuais. “Um bom exemplo são perseguições feitas por outros PMs contra subordinados.”

Prior, que diz ter entrado na PM por “vocação”, se inspirou no pai, também policial militar, mas que cortou relações com o filho pelo fato de ele ser gay.

 Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB) (Foto: Rodolfo Tiengo/G1)

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB) (Foto: Rodolfo Tiengo/G1)

O soldado também lamentou o fato de o governador de São Paulo, Márcio França (PSB), ter criticado neste mês a sua atitude de beijar um amigo no Metrô.

“Eu entendo que deu um certo constrangimento [à corporação]. A Polícia Militar tem as suas regras próprias”, chegou a falar França sobre o episódio envolvendo soldado. “Ninguém quer com isso fazer nenhum tipo de punição, mas é preciso ver que a farda, como eu disse, é uma extensão do estado, e a farda tem que ser respeitada. Eu não vejo significado em você usar coldre, farda, e ficar fazendo gestos de amor expresso em público, seja com homem ou com mulher”, completou França.

“Eu acredito que o posicionamento do governador, ele não seja este tão somente. Ele é o chefe máximo da polícia e das polícias. Eu acredito que ele tenha um coração mais humano”, disse Prior sobre a fala de França.

Vítima de homofobia

As únicas certezas que Prior tem são de que foi “vítima de homofobia, sim” e “o preconceito não está na corporação, mas na pessoa”.

“Não compensa se esconder, dê a cara a tapa. Se esconder é pior. Você vai receber ameaças se se esconder, sofrer ameaças se colocar a cara ao sol. Coloque a cara a tapa, dê a cara a tapa, enfrente, lute. Porque, se você não lutar, você já perdeu”.

Existem também PMs que estão apoiando Prior. “Muito apoio dos policiais da minha companhia, do meu batalhão. Agradeço imensamente a todos que manifestam esse apoio nas redes sociais”, diz. “Pretendo e vou continuar na Polícia Militar”.

 Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal) Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

 Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

Leandro Prior começou a sofrer ofensas e ameaças em redes sociais (Foto: Arquivo Pessoal)

A maravilhosa entrevista de Jair Bolsonaro na RedeTV, assista a íntegra os argumentos do futuro Presidente do Brasil

Jair Bolsonaro pede definição de ditadura e diz que, com o ele, o Brasil voltará àquela época, que ele vê como positiva: “Me define o que é ditadura?

A TV Globo nasceu em 1965. Qual órgão de imprensa nasceu em qualquer ditadura do mundo?

Nós tínhamos o direito de ir e vir. Podíamos sair do Brasil e voltar. Este pessoal – em torno de 400, que morreram ou desapareceram – queriam que a ditadura do proletariado que é a mesma que tem em Cuba”, disse ele, e em seguida, acrescentou: “Pode ter certeza. Isso vai voltar: o respeito, a ordem, serei radical com a corrupção, não aceitarei essa ideologia de esquerda aqui dentro, vamos cortar dinheiro de ONG”.

Comentando o caso do jornalista Vladimir Herzog, Bolsonaro afirma que lamenta, mas que não estava lá e “suicídio acontece”.

“O pessoal pratica suicídio. Não tínhamos nada pelo que o Herzog fazia que de você dar pancada nele. Ele era um colaborador. Da minha parte, é passado”.

Sobre ter declarado ser favorável à tortura, o pré-candidato afirmou: “Um tratamento enérgico.

Qual o limite entre energia e tortura?

Temos que parar de dar tratamento humano para quem não é ser humano.

Voltando ao tema do desarmamento, Bolsonaro afirmou que “um povo armado nunca se submeteria a uma ditadura”.

Negócio milionário: Valdemiro Santiago estaria adquirindo prédio de luxo avaliado em R$ 40 milhões. Humilde….

O apóstolo Valdemiro Santiago segue empreendendo e investindo os recursos adquiridos via ofertas alçadas, dízimos e a comercialização de produtos considerados proféticos em sua igreja.

Dessa vez o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, está prestes a adquirir um prédio que fica localizado no Brás, em São Paulo, onde atualmente funciona a sede da CUT (Central Única do Trabalhador).

O apóstolo ja vinha assediando os donos do prédio há muito tempo, e já comprou vários imóveis no entorno do espaço, que tem instalações modernas, como sistema de refrigeração e cabeamento de rede.

Valdemiro Santiago deve pagar na aquisição, a quantia de R$40 milhões de reais.

A informação é que 50% do valor será pago na assinatura do contrato, ou seja, R$20 milhões.

Os outros R$20 milhões serão pagos em quatro parcelas suaves de R$5 milhões de reais.

Com a compra do prédio da CUT, a Igreja Mundial do Poder de Deus passará a ser a denominação com mais prédios na região do Brás, endereço da grande maioria das igrejas neo-pentecostais mais poderosas do país.

Fonte: O Fuxico Gospel

Vidente Carlinhos acerta derrota do Brasil e anuncia nova tragédia na política. Leia e surpreenda-se!

O vidente Carlinhos ficou conhecido por anunciar grandes tragédias.

O paranormal é um dos mais conhecidos de todo o mundo. Ele ficou conhecido por dizer que o avião com o time da Chapecoense cairia.

Antes da Copa do mundo começar, Carlinhos anunciou que o Brasil não seria hexacampeão.

Paranormal acertou derrota e fala em filho para Neymar

Carlinhos acertou. Isso porque nesta sexta feira, 06 de julho, o Brasil acabou perdendo para a Bélgica de 2 x 1 no campeonato. Carlinhos é um dos principais pananormais do país e acabou prevendo ainda que, após a Copa do mundo, o jogador Neymar ia ser pai de um filho com a atriz Bruna Marquezine.

Carlinhos diz que dupla sertaneja pode sofrer grave acidente

Se a derrota do Brasil na Copa do mundo já era uma tragédia em si, imagina então o que Carlinhos ainda tem a dizer. O paranormal garante que uma das três principais duplas sertanejas do país pode sofrer um acidente grave. Ele ainda cita que as principais duplas são Zezé di Camargo e Luciano, Simone e Simaria, além de Chitãozinho e Xororó.

Eleições 2018

Já para as eleições de 2018, o vidente Carlinhos revela que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que o deputado federal Jair Bolsonaro não teriam sucesso nas suas empreitadas. Ele garantiu que o vencedor será Álvaro Dias, Senador pelo Podemos.

Veja abaixo o vídeo de Carlinhos revelando quem deve vencer a Copa do mundo e anunciando outras previsões para o ano de 2018:

Ministros do STF são jogados no “lixo” e manifestação viraliza na rede (Veja o Vídeo)

A
perfeita junção de criatividade com indignação aconteceu em Fortaleza, no Ceará.

Um
grupo de manifestantes resolveu dar ao “trio do mal” da Segunda Turma do STF -Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Lewandowski – e mais ao ministro Marco Aurélio, da Primeira Turma, o lugar da
história que eles merecem. A lata do lixo.

“Bonecos”
representando cada um dos magistrados foram
atirados no lixo.

A manifestação foi postada nas redes sociais e tem recebido estrondosa declaração de apoio.

É UM ESCÁRNIO PÚBLICO E HONRA SEJA FEITA…

ELES MERECEM MESMO!

COMPARTILHE, PARTICIPE!

Veja o vídeo:

Banco Americano diz que Bolsonaro pode levar o dólar a R$ 5,50 por não ter capacidade de articulação política para governar

Relatório do Bank of America Merrill Lynch aponta que “agenda hostil” pode derrubar PIB para -1% ano que vem

A disparada do dólar não deve perder fôlego neste semestre, tampouco no ano que vem, de acordo com projeções do Bank Of America Merrill Lynch.

A moeda, que acumulou valorização de 16,98% de janeiro a junho deste ano, pode chegar a 5,50 reais em 2019 se candidatos contrários às reformas implementadas pelo governo forem eleitos em outubro, informa relatório “Brazil – Recovery runs off the road” (“Brasil – Recuperação sai da estrada”), divulgado nesta terça-feira 4 pelo banco. O documento não cita nomes de concorrentes ao pleito.

Na avaliação de André Perfeito, economista-chefe da corretora Spinelli, independentemente do candidato eleito, o dólar pode até ultrapassar 5,50 reais no ano que vem, devido à dificuldade que o futuro presidente terá em implementar novas reformas – caso ele aceite fazê-las.

“Após a greve dos caminhoneiros, qualquer corte que o governo fizer pode gerar grandes manifestações. O desafio em 2019 é fazer mudanças sem perder a governabilidade. Variações no dólar, na Bolsa e nos juros são praticamente inevitáveis”, destaca.

“A pior situação para o mercado é a que projeta Ciro Gomes ou um candidato petista para a Presidência porque ambos não devem continuar com as reformas para corte de gastos do governo.

Bolsonaro também gera instabilidade porque não apresenta capacidade de articulação política”, afirma o professor de finanças públicas Fernando Botelho, economista da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

Com um déficit público na ordem de R$ 500 bilhões, o governo deverá fechar a torneira dos gastos no Brasil em 2019, ressalta.

De acordo com o Bank of America Merrill Lynch, uma “agenda hostil ao mercado e altas dúvidas sobre governabilidade” também podem impactar a atividade do País e reduzir a projeção do PIB para 0,8% neste ano e para -1% em 2019. Uma conjuntura positiva, ao contrário, pode fazer o País crescer 1,7% em 2018 e 4% no ano que vem.

O dólar, por sua vez, pode cair para R$ 3,30.

Não à toa, o relatório aponta que 79% dos investidores acreditam que as eleições representam um risco para a economia brasileira este ano.

Mulher de 92 anos mata filho para evitar ser mandada para asilo. Valor da fiança é de 500 mil dólares

Idosa responde à Justiça por assassinato premeditado, agressão e sequestro e pretendia se suicidar;

Uma mulher de 92 anos matou seu filho de 72 anos, nos Estados Unidos, porque ele queria colocá-la em um asilo, segundo a polícia de Fountain Hills, no estado do Arizona. Ela também tentou matar a namorada do filho, que conseguiu fugir, e tinha a intenção de se suicidar logo em seguida.

Anna Mae Blessing está presa sob a acusação de assassinato, agressão e sequestro. De acordo com os relatórios da Justiça, ela decidiu disparar contra o filho, cujo nome não foi revelado, porque ele queria enviá-la para uma casa de cuidados a idosos por alguns dias.

“Você tirou a minha vida, então, estou tirando a sua”, ela teria dito ao ser levada de sua casa, que compartilhava com o filho e a namorada. Blessing contou à polícia que tinha a intenção de se matar. O caso ocorreu na última segunda-feira (2).

A polícia apura se o crime teria sido premeditado por causa da disputa de Blessing com o filho sobre sua internação, explicou o sargento de polícia do Condado de Maricopa, Bryant Vanejas, à emissora local KPHQ.

O filho queria colocá-la em um asilo porque a convivência com a mãe teria se tornado difícil, diz o relatório da polícia. Antes de discutirem pela última vez, ela escondera dois revólveres no bolso. Ao confrontá-lo, sacou uma das armas e atirou. Ele foi encontrado pela polícia com tiros no pescoço e na mandíbula.

Blessing apontou a arma para a namorada do filho, de 57 anos, que conseguiu afastar o revolver jogá-lo para um canto do quarto. A idosa sacou a segunda arma – que havia ganhado de seu marido na década de 70 – e apontou novamente para a mulher, que mais uma vez conseguiu se desvencilhar e fugir rumo à delegacia.

A polícia encontrou a idosa sentada na cadeira de balanço de seu quarto e a levaram sem que ela demonstrasse sinais de arrependimento. Ela está sendo acusada de homicídio premeditado, agressão grave e sequestro. A fiança para responder ao processo em liberdade foi fixada em 500.000 dólares (quase 2 milhões de reais).

(Com EFE)

Homens russos estão perseguindo e espancando mulheres russas que se relacionam com estrangeiros na Copa

em distante da alegria do futebol, o machismo também está dando goleada na Rússia, país-sede da Copa do Mundo de 2018. Depois dos diversos vídeos que circularam na imprensa e redes sociais de mulheres sendo assediadas, surge outro alerta: grupos ultranacionalistas russos que ofendem e ameaçam mulheres que se relacionam com estrangeiros.

Alena Popova, 35, a jurista que ficou conhecida por criar uma petição online para indiciar judicialmente os brasileiros que ofenderam uma mulher russa em vídeo, é quem faz o alerta. Alena tem um longo histórico de defesa dos direitos da mulher no país, ela é co-autora da lei contra a violência doméstica – similar à Lei Maria da Penha no Brasil, ainda em fase de aprovação na Rússia.

Em entrevista exclusiva à Marie Claire, a advogada falou sobre a criação desses grupos no VKontakte – ou só VK – rede social russa semelhante ao Facebook com mais de 140 milhões de usuários.

“Alguns homens russos criaram grupos com o nome ‘Pink Vaginas’, onde se voluntariam para matar e espancar mulheres russas que se relacionarem com homens estrangeiros. Parece loucura, mas eles espalham fotos de mulheres russas que, por exemplo, têm namorados estrangeiros, tentam identificá-las e se organizam para persegui-las”, disse.

Perseguição online

Em uma das comunidades que Marie Claire teve acesso, foram compartilhadas fotos e alguns vídeos de mulheres russas interagindo com estrangeiros de várias nacionalidades. Elas aparecem se divertindo e, em alguns momentos, abraçando-os e beijando-os, num clima natural de confraternização e festa. “Já estou com nojo”, disse um homem em um comentário. “Quando ele for embora, ela vai morrer sozinha”, disse outro.

Uma jovem que postou uma foto abraçada a um turista contou que recebeu ameaças pelo VK logo após a publicação, que logo foi deletada por ela, por temer represálias. “Eles escreveram que iam cortar o meu útero e até anexaram fotos com armas”, disse ela em entrevista à BBC.

Homens postam fotos de mulheres russas com estrangeiros para identificá-las e persegui-las (Foto: Reprodução/VKontakte)

Em um vídeo do ano passado compartilhado na comunidade, o dono de um canal no YouTube chamado “Natural Select” (seleção natural, em tradução livre) realiza uma experiência em que ele próprio e um colega sueco abordam mulheres russas na rua e comparam quem teve mais sucesso em conseguir encontros.

O “placar final”, que ficou em 6 a 2 para o sueco, foi usado por usuários para insultar mais as mulheres russas, afirmando que elas se comportam como “putas à venda”.

“A dignidade das mulheres russas está completamente ausente”

A deputada Tamara Pletneva, líder do Comitê da Família, Mulher e Criança na Duma, Câmara baixa do Parlamento russo, causou polêmica com uma declaração em que dizia que as mulheres russas não deveriam fazer sexo com estrangeiros para evitar que se tornassem mães solteiras.

Ela citou como exemplo os Jogos Olímpicos de Moscou de 1980 e alegou que, na época, muitas russas engravidaram após relações com turistas e, quando eles deixaram o país, elas ficaram sozinhas e “muito tristes”.

Os comentários em cada publicação humilham as mulheres nas fotos e vídeos (Foto: Reprodução/VKontakte)

O assunto também foi pauta da coluna do escritor Platon Besedin no tabloide russo Moskovsky Komsomolets. Intitulado O tempo das putas: mulheres russas envergonham o país e a si mesmas durante o Mundial, o texto causou revolta e acendeu o debate em torno dos direitos das mulheres.

“Nós criamos uma geração de prostitutas, prontas para abrir suas pernas ao menor ruído de um sotaque estrangeiro. Se eles mostrarem notas de dólar, então, é absolutamente perfeito para elas”, diz.

“Mulheres fazendo sexo com quem elas querem, exatamente como os homens. Que horror”, ironizou uma leitora na página do jornal. Alguns homens, por outro lado, saíram em defesa de suas compatriotas: “Deixem-nas se divertirem com os estrangeiros, assim como nós homens podemos nos divertir com as estrangeiras”, disse um rapaz.

Casamento de homem de 41 anos com menina de 11 provoca fúria na web, mas Caetano pegou uma de 13 anos e nada aconteceu…

Qual a diferença para o famoso no Brasil que com 40anos pegou a menina quando tinha 13. Este todos aliviaram….

O casamento, na Malásia, de um homem de 41 anos com menina de 11 está provocando fúria nas redes sociais.

A detonadora da indignação mundial foi uma foto que viralizou, mostrando o marido, que já tem duas mulheres, segurando a mão da menina.

O marido, um afortunado empresário, deu um pomposo dote aos empobrecidos pais da menina, que ficará com eles até completar 16 anos.

“Fiquei desapontado com críticas feitas contra mim nas redes sociais”, defendeu-se ao jornal “The Borneo Post” Che Abdul Karim, que tem seis filhos, com idade entre 5 e 18 anos.

A indignação chegou à representante da Unicef na Malásia, Marianne Clark-Hattingh:

“É chocante e inaceitável.”

O governo da Malásia está investigando o caso. Casamentos no país exigem que a noiva tenha ao menos 18 anos. Adolescentes acima de 16 anos precisam de uma permissão especial do governo para contrair matrimônio.

Em algumas regiões da Malásia, um conselho de sábios islâmicos também pode autorizar que jovens de 16 anos se casem.

SÍMBOLO DAS FORÇAS ARMADAS: O PESCOÇO DA GIRAFA, FALA MUITO, NÃO FAZ NADA! General Girão afirma que o Senado precisa agir contra o STF

Após a sessão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal que libertou criminosos condenados, anulou uma busca no apartamento da senadora Gleisi Hoffmann, e trancou uma ação contra um acusado de fraudes na merenda escolar, o General Elieser Girão Monteiro cobrou ação dos senadores, já que apenas o Senado pode afastar ministros do STF.

Respondendo a uma fala da senadora Ana Amélia, o General instou a senadora a tomar a frente:

“O Senado precisa agir! Senadora, assuma o comando”.

ou seja, é uma grande palhaçada das Forças armadas…

Gostaram de aparecer na mídia depois de 30 anos calados…

Fazem nada, só falam…

e o povo ignorante ainda pede intervenção militar…

Se existisse militar com bola no saco essa palhaçada do STF não estaria acontecendo…

Opinião é que rabo, todo mundo tem um… essa é a minha…

INDIGNAÇÃO NACIONAL: Paciente morre à espera de decisão do STF sobre remédios, mas tem pressa para soltar os bandidos da Lava Jato

Paciente morre à espera de decisão do STF sobre remédios.

O fantástico fez uma reportagem sobre o caso da Alcirene Lima Oliveira, que sofria de distúrbio mineral e ósseo.

Nessa época, ela já lutava pelo remédio.

Alcirene Oliveira era pobre e anônima. Ela precisava da justiça para receber um remédio que lhe garantiria a vida.

Alcirene morreu.

Ela esperou 7 longos anos e não viveu para ver seu recurso julgado no STF.

Lá, apenas bandidos graúdos têm preferência. O STF mata.

MAS ENQUANTO ISSO, OS INFINITOS RECURSOS DE LULA FURAM A FILA DO STF A TODO MOMENTO!

E ainda dizem que somos todos iguais perante a Lei! Que lei? De quem?

link da matéria: http://g1.globo.com/globo-news/estudio-i/videos/v/paciente-morre-a-espera-de-decisao-do-stf-sobre-remedios/6819557/

TEMPOS MODERNOS ALUCINANTES: Disney alerta para risco de convulsões em desenho ‘Os Incríveis 2’

A Disney adicionou um aviso no começo de Os Incríveis 2 sinalizando o risco de convulsões durante o filme.

A animação, que estreou nos Estados Unidos no último fim de semana, foi alvo de críticas nas redes sociais por causar mal-estar a espectadores mais sensíveis, especialmente nas cenas em que o vilão, o Hipnotizador, aparece.

“Para qualquer pessoa que tenha epilepsia, risco de convulsões ou sensibilidade à luz, tenha cuidado ao assistir Os Incríveis 2.

Eu infelizmente tive um episódio de convulsão e não quero que isso aconteça com ninguém”, relatou uma usuária do Twitter.

Os Incríveis 2 chega ao Brasil em 28 de junho, duas semanas dos Estados Unidos, em razão da Copa do Mundo da Rússia.

CONFIANÇA NAS FORÇAS ARMADAS DESPENCA SEGUNDO PESQUISA

Pеѕԛuіѕа dо Dаtаfоlhа mostrou hoje (10) que o percentual de entrevistados que соnfіаm рlеnаmеntе nоѕ mіlіtаrеѕ аtuаlmеntе é dе 37%.

Outrоѕ 41% соnfіаm роuсо е 20% não confiam.

Entre оѕ índісеѕ mаіѕ bаіxоѕ de сrеdіbіlіdаdе еѕtãо оѕ partidos роlítісоѕ (68% nãо соnfіаm), e o Cоngrеѕѕо (67%).

Cоmраrаtіvаmеntе, em 2016, 64% dа рорulаçãо аfіrmаvа соnfіаr nаѕ Fоrçаѕ Armadas.

Em 2017, еѕѕа confiança, ѕubіu раrа 68%. Eѕѕа соnfіаnçа ԛuе еrа сrеѕсеntе, mеѕmо nа реѕԛuіѕа роuсо confiável dо Dаtа Fоlhа, dеѕреnсоu dе um anos para o оutrо.

Quаіѕ ѕеrіаm оѕ mоtіvоѕ? Tаlvеz um dеlеѕ ѕеjа а соntіnuа falta dе соmаndо dos comandantes, ԛuе acabam ѕеndо subordinados a um сhеfе dе estado соrruрtо.

Esses соmаndаntеѕ, соntіnuаm ‘tосаndо o bаrсо’ e fіngіndо ԛuе vivemos еm uma ‘dеmосrасіа’.

Fоntе: www.dіаrіоdоbrаѕіl.оrg

A LEI DAS MIGALHAS. Como esse monstro ensinou seus generais a manipular o povo, dando o exemplo da galinha. A história é verdadeira e serve para o Brasil, leia…

Em uma de suas reuniões, Hitler pediu que lhe trouxessem uma galinha.

Agarrou-a forte com uma das mãos enquanto a depenava com a outra.

A galinha, desesperada pela dor, quis fugir mas não pôde.

Assim, Hitler tirou todas suas penas, dizendo aos seus colaboradores:

“Agora, observem o que vai acontecer”.

Hitler soltou a galinha no chão e afastou-se um pouco dela.

Pegou um punhado de grãos de trigo, começou a caminhar pela sala e a atirar os grãos de trigo ao chão, enquanto seus colaboradores viam, assombrados, como a galinha, assustada, dolorida e sangrando, corria atrás de Hitler e tentava agarrar algumas migalhas, dando voltas pela sala.

A galinha o seguia fielmente por todos os lados.

Então, Hitler olhou para seus ajudantes, que estavam totalmente surpreendidos, e lhes disse:

“Assim, facilmente, se governa os estúpidos.
Viram como a galinha me seguiu, apesar da dor que lhe causei?

Tirei-lhe tudo…, as penas e a dignidade, mas, ainda assim ela me segue em busca de farelos.”

“Assim é a maioria das pessoas, seguem seus governantes e políticos, apesar da dor que estes lhes causam e, mesmo lhe tirando a saúde a educação e a dignidade, pelo simples gesto de receber um benefício barato ou algo para se alimentar por um ou dois dias, o povo segue aquele que lhe dá as migalhas do dia.”

Suplementos vitamínicos são inúteis, aponta estudo. A maioria dos multivitamínicos não garante benefícios à saúde, segundo os cientistas

Nova revisão de dados e ensaios publicados entre janeiro de 2012 e outubro de 2017 constatou que grande parte dos multivitamínicos populares não apresenta vantagem real para a saúde.

O estudo, publicado pelo Journal of American College of Cardiology, mostrou ainda que não há evidências de que tomar essas medicações realmente diminua os riscos de doença cardiovasculares, como ataque cardíaco, AVC ou morte prematura. “Ficamos surpresos ao descobrir tão poucos efeitos positivos dos suplementos mais comuns que as pessoas consomem”, disse David Jenkins, principal autor do estudo, ao Science Alert.

Vitaminas A e D, e cálcio

Os suplementos vitamínicos e minerais são amplamente vendidos como essenciais para a dieta das pessoas, especialmente aquelas que têm uma rotina agitada e não conseguem ingerir a quantidade diária necessária para garantir uma vida saudável.

No entanto, os pesquisadores do Hospital Saint Michael e da Universidade de Toronto, ambos no Canadá, revelaram que os polivitamínicos de vitamina C – usualmente associada ao combate a gripes e resfriados – e vitamina D – importante para manter o equilíbrio mineral do corpo -, assim como os suplementos de cálcio – comumente conhecidos por melhorar a saúde óssea – não prejudicam a saúde, mas tomá-los não traz nenhum benefício aparente.

Apesar disso, os pesquisadores lembram que, como a vitamina D é muito difícil de ser obtida por meio da alimentação, caso um indivíduo apresente deficiência desse nutriente, os suplementos podem ser eficazes. As pessoas também podem conseguir parte da quantidade essencial dessa vitamina através da exposição ao sol, mas sempre seguindo a orientação de um médico.

Para o combate aos efeitos do resfriado ou da gripe, a recomendação é o zinco – encontrado em alimentos como frango, castanha e espinafre – e não a vitamina C.

O estudo demonstrou também que a niacina, uma forma de vitamina B3, e os antioxidantes foram associados a um maior risco de morte por qualquer causa. Os cientistas comentaram que esses riscos, embora pequenos, podem estar relacionados aos efeitos adversos da niacina nos níveis de açúcar no sangue. Já os prejuízos oferecidos pelos antioxidantes só aparecem se tomados em altas doses.

Ácido fólico e complexo B

Entretanto, o estudo apresentou evidências de que o ácido fólico e as vitaminas do complexo B que contêm esse ácido podem reduzir o risco de doença cardiovascular e acidente vascular cerebral (AVC).

“Essas descobertas sugerem que as pessoas devem estar conscientes dos suplementos que estão tomando e garantir que elas sejam aplicáveis às deficiências específicas de vitaminas ou minerais que foram aconselhadas por seus profissionais de saúde”, disse Jenkins.

A melhor orientação, contudo, é manter uma dieta variada para obter os nutrientes necessários para garantir uma boa saúde. “Até agora, nenhuma pesquisa sobre suplementos nos mostrou algo melhor do que porções saudáveis de alimentos vegetais menos processados, incluindo vegetais, frutas e nozes”,concluíram os pesquisadores.

Cunhada de Temer publica foto de tanque cheio e ironiza desabastecimento, revoltando o Brasil que trabalha de verdade

Cunhada do presidente Michel Temer, Fernanda Tedeschi ironizou em uma rede social o desabastecimento causado pela greve dos caminhoneiros.

Na manhã desta sexta-feira, Fernanda — que é irmã mais nova da primeira-dama, Marcela Temer — publicou no Instagram uma foto mostrando o tanque cheio de um carro. “Ostentação”, escreveu.

No ano passado, outra publicação de Fernanda na rede social chamou a atenção: ela manifestou apoio a uma campanha de boicote aos produtos da JBS, após executivos da empresa firmarem um acordo de delação premiada. O presidente foi o principal alvo das denúncias.

Os caminhoneiros continuam mobilizados nesta sexta-feira, no quinto dia consecutivo da greve contra a alta no diesel, apesar do acordo firmado com o governo. Motoristas fazem protestos em pelo menos 24 estados e no Distrito Federal.

Temer vai assinar nesta sexta-feira um decreto para garantir o emprego das Forças Armadas na desmobilização da greve. As forças de segurança passarão a efetuar as ações, como, por exemplo, dirigir um caminhão e tirá-lo da estrada.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, o presidente afirmou que as principais reivindicações dos caminhoneiros já foram atendidas, e criticou uma “minoria radical” que não aderiu ao acordo negociado na quinta-feira:

— Atendemos todas as reivindicações prioritárias dos caminhoneiros que se comprometeram a encerrar a paralisação imediatamente, esse deveria ter sido o resultado do diálogo. Muitos caminhoneiros, aliás, estão fazendo sua parte.

Mas, infelizmente, uma minoria radical tem bloqueado as estradas

Esse padre rezou neste domingo pela liberdade de Lula em Aparecida (Veja o Vídeo)

O santuário de Aparecida do Norte, na missa deste domingo (20), às 15 horas, repleto de petistas, todos de camisa vermelha.

Na condução das orações, o Missionário Redentorista padre João Batista de Almeida, reitor do Santuário.

O padre, em nome de Deus, levantou um cálice e pediu a libertação de Lula.

Sem fazer qualquer ressalva, pediu a Deus que libertasse o condenado.

Todos os petistas oravam.

É um padre canastrão, que não honra a própria batina.

Veja o vídeo:

Alckmin promete cargo com foro privilegiado a Temer caso ganhe a eleição. Será a única forma de se livrar da inevitável cadeia!

Estrategistas da campanha do ex-governador Geraldo Alckmin defendem a ideia de garantir um cargo para Michel Temer quando este deixar o governo. O assunto pode ser tratado nas próximas reuniões em busca de apoio do MDB, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo.

Prevendo a derrota no plano nacional, os tucanos já desenham a hipótese de acomodar Temer em algum cargo da estrutura estadual, uma vez que o ex-prefeito João Doria demonstra chances reais de vencer o pleito no estado de São Paulo, diferentemente de seu colega presidenciável.

O PSDB sabe que Temer teme ser preso após deixar o planalto e que o foro privilegiado em 2019 pode ser uma boa moeda de troca.

“A negociação entre Geraldo Alckmin e Michel Temer para a campanha de 2018 deveria passar pela garantia de um cargo para o atual presidente num eventual futuro governo.

A ideia é defendida por alguns dos principais estrategistas do tucano. A nomeação para uma embaixada, por exemplo, garantiria foro especial para Temer depois que ele deixar o cargo.

Isso preservaria o futuro ex-presidente de medidas cautelares determinadas por juízes de primeira instância.

Caso Alckmin não ganhe a eleição, mas um de seus dois aliados —João Doria ou Márcio França— seja eleito para o governo de SP, Temer poderia ser acomodado em um cargo da estrutura estadual.

A ideia já foi estudada, a sério, por pelo menos um deles —os dois querem o apoio do MDB no estado.

O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e/ou em grupos de Facebook e WhatsApp.

Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.

Sogra de Michel Temer joga tudo no ventilador e PF solta “BOMBA”. Ela é conhecida em Brasília como a “Rainha das baladas noturnas”!

De personalidade forte e bem extrovertida, uma das pessoas mais próximas ao presidente da República, Michel Temer, resolveu “abrir o jogo” em relação a alguns aspectos de sua vida íntima e particular.

Trata-se de Norma Tedeschi, mãe da esposa do mandatário do país, Marcela Temer.

Vale lembrar que a sogra do presidente Temer está no auge dos seus sessenta e quatro anos de idade. Já o atual mandatário está com setenta e sete anos de idade.

O mais inusitado é que o presidente da República tem sido colocado à prova a todo momento, não somente em sua vida profissional, já que não é nada fácil administrar um país imenso e tão complexo como o Brasil, mas também em sua vida íntima e particular, já que é casado com a filha de Norma, a “bela e recatada” do lar, Marcela.

A primeira-dama do Brasil tem somente trinta e cinco anos de idade.

Travessuras da sogra do presidente ao se comparar a personalidade da sogra de Temer com a esposa do mandatário, percebe-se que a primeira-dama é tímida e reservada.

Já a sogra do presidente pode ser considerada “travessa e de baladas”. Norma Tedeschi está sempre atenta às redes sociais, pois seu WhatsApp toca todo o tempo, já que ela é rotineiramente chamada para festividades, porém, ao frequentar casas noturnas badaladas de Brasília, capital federal, é conhecida como “rainha dos camarotes”, no Minas Hall.

Outro fator que denota a popularidade da sogra do presidente Michel Temer é que a mesma adora dançar o ritmo da salsa, além de ser uma pessoa bastante eclética que gosta muito de comparecer

À CASA NOTURNA SERTANEJA “BAMBOA”.

Norma quase sempre não está sozinha, pois tem ao seu lado, a policial rodoviária Cristiane de Oliveira. Cristiane também atua como personal trainer de Norma Tedeschi e da filha, Marcela Temer.

Em Brasília, a sogra do presidente costuma passear juntamente com a família no Lago PARANOÁ E CURTIR A PAISAGEM, ATRAVÉS DE PASSEIO EM BARCO. UM OUTRO HÁBITO DE NORMA TEDESCHI É frequentar shoppings da capital federal, principalmente, nos períodos da manhã.

Um outro fator curioso é que a sogra do mandatário brasileiro já revelou que costuma se considerar uma pessoa muito simples. Ela se recorda que chegou a almoçar um “PF” na Feira do Paraguai,

EM BRASÍLIA, POR TÃO SOMENTE R$ 7. ELA DEMONSTRA TAMBÉM GOSTAR MUITO DA NATUREZA. LOGO QUE SE mudou para o Palácio do Jaburu com a família presidencial, durante período em que Michel Temer era vice-presidente de Dilma Rousseff, Norma foi contundente ao reclamar da falta de árvores nos jardins do palácio supracitado.

O mar vai secar e o Brasil, que já gastou bilhões com esse projeto, não verá o ‘elefante branco’ construído!

SÃO PAULO – Diretor de desenvolvimento nuclear da Marinha, Almirante André Luis Ferreira Marques ri enquanto encaixa um capacete na cabeça. Alguns metros atrás dele, um grupo de operários serra, solda e encaixa componentes em um imenso tubo metálico, com 10 metros de diâmetro. O canteiro de obras fica no Centro Experimental Aramar, uma instalação de pesquisa e desenvolvimento da Marinha em Iperó, no interior de São Paulo.

— Eu brinco que a gente devia chamar isso aqui de operação Lázaro — diz.

Ali, aos poucos, ganha forma o protótipo daquele que será o primeiro submarino nuclear brasileiro.É ele que a equipe do almirante diz trazer dos mortos, como Lázaro, o personagem bíblico. Um projeto acalentado pela Marinha há pelo menos 40 anos e que, garante o governo, deve estar pronto até 2028.

Depois de uma sucessão de atrasos e crises, o ritmo das obras em Aramar dá certa impressão de urgência. Numa espécie de galpão ainda em construção, cerca de 700 homens se revezam na montagem do protótipo, em tamanho real, que vai testar o sistema de propulsão do submarino. Um submarino nuclear funciona como uma espécie de navio a vapor sofisticado. Nessas máquinas, um reator nuclear — alimentado com urânio — aquece a água que, transformada em vapor, vai movimentar turbinas que geram eletricidade e colocam o barco em movimento.

Uma das atribuições de Marques e sua equipe é assegurar que todas as peças desse sistema se encaixem perfeitamente:— A gente monta esse protótipo para garantir, por exemplo, que o reator vai caber dentro do casco do submarino — diz — Há casos, fora do Brasil, em que aconteceu de essas peças não encaixarem.

PERCALÇOS PELO CAMINHO

Erros desse tipo nem passam pela cabeça de quem trabalha no projeto brasileiro, que já sofreu com percalços suficientes desde que começou a ser pensado. As primeiras discussões sobre a necessidade de o Brasil possuir um submarino nuclear começaram em 1978. O equipamento era considerado essencial para garantir a defesa da costa nacional.

— A função de qualquer submarino é ser um elemento de dissuasão. Como não é visto da superfície, quem pensar em invadir as águas nacionais vai ficar em dúvida quanto a se há um submarino na região ou não — explica Sérgio Miranda, capitão de Mar e Guerra.

A vantagem da variante nuclear é o tempo de autonomia. Submarinos convencionais precisam vir à tona mensalmente, recarregar as baterias. Os nucleares podem ficar até três meses submersos. Desde a década de 1970, o Programa Nuclear da Marinha se dedica a pesquisar e desenvolver tecnologias que viabilizem o projeto. Foi ele que desenvolveu o reator que equipará a máquina. Foi a Marinha quem dominou o ciclo de enriquecimento do urânio — o combustível usado nessas máquinas.

O mineral é abundante no país. Mas sua variante mais comum, o urânio-238, não é adequado para gerar energia. Para esse fim, é usado o urânio-235, e o processo de enriquecimento consiste em aumentar as concentrações dessa variante em uma amostra do mineral. É algo complexo.

— Nós desenvolvemos a tecnologia necessária para isso. E isso foi bom para a sociedade — diz Marques.

Esses esforços trouxeram benefícios para o setor energético. Hoje, essa tecnologia de enriquecimento de urânio é usada para produzir o combustível utilizado nas usinas nucleares de Angra do Reis. O projeto de submarino propriamente, por outro lado, avançou a passos lentos. Pesaram contra ele as mudanças de prioridade para o setor, que variaram conforme mudaram os governos.

— Entre 1997 e 2007, o projeto vegetou — diz Miranda.

A situação melhoraria em 2008, quando o governo Lula criou o Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear (Prosub). A construção do reator continuou a cargo do programa Nuclear da Marinha. Mas o restante passou para o bojo do Prosub.

Além de viabilizar o submarino nuclear, o novo programa envolvia um acordo de transferência de tecnologia com a França, para a construção de quatro submarinos convencionais. Eles deveriam ser montados, através de uma parceria entre uma empresa francesa e o braço de defesa da Odebrecht, em um estaleiro em Itaguaí, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o cronograma previa que o protótipo de Aramar ficasse pronto em 2019 e que o submarino completo fosse ao mar em 2025.

O calendário precisou se ajustar à crise econômica que assolaria o país a partir de 2014.

— Continuamos a construção do protótipo, mas em ritmo mais lento. Em 2015 e 2016, tivemos que dispensar muitos profissionais.Mesmo a empresa que fabricou o casco do nosso protótipo foi à falência — diz Marques.

Nesse meio tempo, em Itaguaí, o Prosub também assistiu a lances dignos de novela. Em 2016, virou alvo da Lava-Jato, quando um dos delatores da Odebrecht, Benedicto Júnior, afirmou que a empreiteira repassara R$ 17 milhões ao PT saídos do orçamento do programa. Naquele mesmo ano, o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, um dos pais do programa nuclear da Marinha (mas que já não tinha vínculos com ele), foi preso, acusado de receber propina das empreiteiras envolvidas na construção da usina de Angra 3. Segundo delatores, ele teria recebido dinheiro do Prosub também.

A Marinha negou envolvimento nas irregularidades. Hoje, o governo garante que os problemas financeiros foram superados. Marques conta que os dois reatores, que devem equipar o protótipo e o submarino final, já foram fabricados e só aguardam o momento de ser montados e testados. O governo espera investir R$ 2,2 bilhões nessa etapa do processo até 2021. Em Itaguaí, o governo já investiu R$16 bi no Prosub e espera que o investimento total fique na faixa dos R$30 bilhões.

— Parece muito dinheiro mas, em comparação ao que outros países gastaram, sai barato — diz Marques.

#Verificamos: Dodge e Cármen Lúcia não pediram prisão imediata de Gleisi. Até o Senador senador Magno Malta compartilhou a notícia falsa de site sensacionalista

Circula no Facebook a informação de que Raquel Dodge, procuradora-geral da República, e Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), teriam pedido a prisão imediata da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).

A informação é falsa. Uma das páginas que compartilhou o link é do senador Magno Malta (PR-ES). Confira a verificação abaixo:

“Cármen Lúcia e Raquel Dogde acabam de pedir prisão imediata (sic) de Gleisi Hoffmann!”

Texto publicado no site Saúde, Vida e Família, com mais de 4 mil interações no Facebook às 13h45 do dia 17 de maio de 2018.

Trata-se de um “clickbait”, título chamativo utilizado para trazer cliques para um site. O texto publicado no link não tem qualquer relação com a chamada.

O texto em si é uma cópia de reportagem que foi publicada no site O Antagonista em novembro do ano passado, relatando um fato verdadeiro: Raquel Dodge defendeu a condenação da senadora Gleisi Hoffmann (PT) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em denúncia apresentada pela própria Procuradoria-Geral da República (PGR). Não há, no entanto, qualquer menção a pedido de prisão imediata.

Em nota, a PGR confirmou a falsidade da informação que ganhou força nas redes nesta quinta-feira (17): “a informação não procede. Não saiu nenhum documento hoje (17/5), da PGR, pedindo a prisão imediata da senadora Gleisi Hoffman. Trata-se de fake news”. Já o STF informou o seguinte: até o momento, “não temos informação de nenhuma decisão nesse sentido”.

A PGR, chefiada atualmente por Dodge, apresentou duas denúncias contra Gleisi. A primeira, de 2016 (ainda durante a gestão de Rodrigo Janot), foi aceita pelo STF. A senadora é acusada de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A segunda foi apresentada em abril e ainda não foi aceita pelo tribunal.

Por fim, vale destacar que Cármen Lúcia não é responsável por “pedir a prisão” de Gleisi. O STF, tribunal presidido por ela, tem o papel de decretar ou negar a prisão de alguém, e não de pedir.

Programa de quinta categoria de Fátima Bernardes, ‘Encontro’ reforma casa da família de Ladrão morto pela Mãe-PM

Fátima Bernardes é, sem dúvida alguma, uma das maiores jornalistas e apresentadoras da Televisão brasileira, mas seu programa matinal exibido pela Globo na última quarta-feira causou muita polêmica nas redes sociais.

O programa ‘Encontro com Fátima Bernardes’ de quarta-feira fez com que o apresentadora fosse líder de audiência, mas também lhe rendeu críticas e até mesmo uma “polêmica” nas redes sociais.

Tudo isso porque a apresentadora solidarizou-se, e resolveu ajudar a família do ladrão morto pela PM-MÃE no último sábado (12), na porta de uma escola em Suzano-Sp.

De acordo com o programa Encontro com Fátima Bernardes, a homenagem foi feita para demonstrar que o jovem morto foi apenas uma vítima do sistema, da sociedade, capitalista, preconceituosa, e sem amor e porque era negro sendo assassinado por uma loira rica, e que o jovem não teve chance na vida.

Logo a apresentadora conseguiu uma reforma para a casa da família do jovem morto avaliada em 200,00 mil reais, além de todos os móveis e mobília da casa da família também foram trocada por novos, e ainda 2 anos de cesta básicas no valor de 1,200 reais mês..

“Vocês não precisa chorar, nem pedir desculpas, nem estar arrependido, pois eu entendo o que vocês estão passando, eu também sou mulher e sou mãe, e sei muito bem tudo o que vocês estão passando. recebam nossas homenagens.” disse a apresentadora emocionada a mãe do ladrão morto pela PM.

Muitos condenaram a ideia pregada pelo programa, e o fato de estranhos palpitarem a decisão em ajudar a família do ladrão morto. Os comentários foram os mais diversos.

O DIA QUE NÃO ACABOU: ‘Se não há provas contra Temer, eu me mudo para Marte’, diz Rodrigo Janot

‘Temer achava que era imune a qualquer investigação’, diz Janot, um ano depois da delação de Joesley

Para ex-procurador-geral da República, omissões não contaminam provas contra o presidente Michel Temer

BRASÍLIA – Um ano depois de assinar o mais impactante acordo da Lava-Jato, que resultou em duas denúncias contra o presidente da República, o ex-procurador-geral Rodrigo Janot reafirma a importância das delações dos irmãos Joesley e Wesley Batista e se espanta com a permanência do Michel Temer no cargo. Em entrevista concedida ao GLOBO na terça-feira, o ex-procurador-geral diz que não há nenhum outro país do mundo em que o chefe da nação é réu em dois processos criminais e alvo central dois outros inquéritos. E afirma que o presidente imaginou que jamais seria investigado.

Um ano depois, qual sua avaliação dos resultados do acordo de delação dos executivos da J & F?

Foi um acordo importantíssimo para desvendarmos toda organização criminosa que se apropriou do poder público brasileiro. As informações, provas e a proatividade dos colaboradores foram medidas nas denúncias feitas contra o presidente em exercício Michel Temer e nas investigações que seguiram. Ele responde a duas denúncias e duas investigações criminais, que decorrem dessa colaboração. Acredito que essa foi uma das colaborações premiadas que mais auxiliaram o combate à corrupção no Brasil. O que se passou depois foi um outro fato.

Os colaboradores não souberam se comportar à altura e, agora, estão sofrendo a possibilidade de ter os seus acordos rompidos, o que não prejudica as provas obtidas. Nós tivemos dois acordos de colaboração premiada muito sensíveis. O primeiro da Odebrecht, difícil pela sua extensão, 78 colaboradores. Exigiram do Ministério Público Federal muito aplicação e criatividade. Mas esse da J&F foi o acordo em que nós chegamos à cabeça da organização criminosa, por isso foi muito importante. Atingiu um presidente da República em exercício que, depois de três anos e meio da Lava-jato, continuava praticando atos que queria. Achava que era imune a qualquer investigação do Ministério Público.

E nenhum cidadão é. Chegamos ao virtual futuro presidente da República (senadorAécio Neves), que também continuava praticando atos e se acreditava imune. Esse é o quadro que eu desenho de um ano depois dessa colaboração da J&F.

Mas o presidente Michel Temer permanece presidente e o senador Aécio Neves permanece senador. Isso não dá a impressão que estão passando ao largo das investigações decorrentes do acordo?

A gente precisa entender as duas situações. A situação do presidente Michel Temer, em razão da relevância do cargo que ocupa, para que seja processado criminalmente necessita autorização da Câmara. E a Câmara, fazendo um juízo político, não permitiu o prosseguimento do processo penal, que já existe. Então ele vai responder depois que deixar o seu mandato. Quanto ao senador Aécio Neves, virtual futuro presidente da República, é réu em um processo penal. E réu num processo admitido pelo Supremo Tribunal Federal em razão da colaboração premiada feita pelos executivos da J & F. Então eu acho que mudou muito. Temos um presidente da República que responde a dois processos penais, suspensos por decisão política da Câmara – e sobre isso eu não me pronuncio. E responde a mais duas investigações no STF. Isso não é pouco. Não consigo vislumbrar exemplos em outros países. Isso não é pouco. O Brasil mudou, tem indignação na rua e tem uma atuação profissional na atuação no campo judicial.

Se tem indignação (nas ruas) e atuação profissional (no campo judicial), o que sustenta o presidente no poder?

Essa pergunta tem que ser feita à Câmara dos Deputados que não permitiu o prosseguimento dos dois processos penais contra ele (Temer). Processos inaugurados contra ele com provas, estou falando em provas, não em indícios, que decorreram da colaboração premiada e da atuação proativa desses colaboradores. Malas de dinheiro circulando em São Paulo, “tem que manter isso, viu ?”, isso não é pouco. Isso é muito. Então quem tem que responder a essa pergunta é Câmara que, num juízo político, entendeu que ele não poderia ser processado agora enquanto presidente da República, apesar de ter cometido, ao que tudo indica, crime no exercício da presidência da República depois de quase quatro anos de Lava-Jato em curso. Quanto ao senador (Aécio) é réu, responde a um processo penal.

Qual sua expectativa em relação aos desdobramentos dessas duas frentes de investigação?

Essa investigação não pertence à polícia, ao órgão acusador, à defesa, à ninguém. É uma investigação que está sob os olhos da sociedade brasileira. Mais do que isso: todos os países estão de olho nisso. No Brasil temos uma atuação da imprensa livre. A imprensa é o quarto poder no país. A imprensa atua, mostra, cobra, põe luz nesses fatos todos. Como dizia um juiz da Suprema Corte americana nos anos 1800, o melhor detergente nessas situações chama-se luz. E a imprensa brasileira põe luz nesses fatos todos. Não acredito que teremos regressão nessas investigações.

Antes de deixar a Procuradoria-Geral do ano passado, o sr. pediu a rescisão do acordo de colaboração dos executivos da J & F. Não foi uma medida muito dura? Hoje os advogados dizem que outros delatores também teriam omitido informações e nem por isso tiveram acordos cancelados.

Isso é um assunto muito técnico, que a gente tem que avaliar com muito cuidado em fazer essas comparações. Isso é muito complicado. O que a gente tem de concreto nessa colaboração é que fizemos um acordo. O Ministério Público foi muito criticado por ter dado imunidade a essas pessoas – demos a imunidade e faríamos tudo de novo. Uma das cláusulas do acordo era que não houvesse omissão ou mentira. Os acordos com esses criminosos são feitos a partir de uma relação de confiança. O Estado acusador confia que o criminoso colaborador se redimiu. Está falando sobre a organização criminosa a que pertence, está revelando crimes que a organização praticou, está entregando participantes da organização. No nível que fizeram essa organização, quando omitem ou mentem sobre fatos, o Estado não pode fingir que não deve reagir a esse tipo de atitude. Ou o indivíduo deixa a vida criminosa e passa a ser um colaborador da justiça penal. Ele não pode ter o pé nos dois pontos. Não pode ser colaborador do Estado e continuar com tergiversações de criminosos.

Mas os advogados alegam que eles entregaram aqueles áudios (auto-gravações de conversas com referências a ministros do STF e ao próprio procurador-geral) no último dia, mas dentro do prazo. Portanto, não teria havido omissão.

O que os advogados não dizem é que esse áudio veio dentro de um anexo sobre um senador da República (Ciro Nogueira), que não tinha nada a ver com esse áudio. Esses áudios foram denominados por ele de Piauí. Recebemos quatro áudios envolvendo o senador: Piaui 1, 2, 3 e 4. Piauí 1, 2 e 4 eram áudios de conversas pouco republicanas com esse senador. Piauí 3 era um outro áudio que não tinha nada a ver com esse seguimento. Era um outro fato. E por que fizeram isso ? Por que não disseram,então, que tinha aquele áudio ali que envolvia uma situação que não era aquela do senador. Entendemos o seguinte: como era comum nos acordos espúrios e políticos e empresários colocar jabutis em medidas provisórias, achamos que era um jabuti colocado em um anexo da nossa colaboração. Por isso, por falta de clareza, objetividade, porque não disseram a verdade, porque tentaram enganar o Estado acusador, é que eu propus a rescisão ao acordo de colaboração.

Essa sua decisão acabou dando argumento para a defesa do presidente. Se os delatores tinham mentido ou omitido as acusações seriam inconsistentes. O comportamento não retilíneo dos delatores enfraqueceu a denúncia?

Não. As coisas são diferentes. Como é que pode haver enfraquecimento da denúncia contra o presidente da República se contra ele existem provas ? Se os delatores omitiram fatos sobre outras pessoas não quer dizer que essas provas, estou repetindo provas, apresentadas contra o presidente da República estão contaminadas. A pergunta que se tem que fazer é: existem provas contra o presidente da República em exercício por atos criminosos por ele praticado? A imprensa divulgou áudios, vídeos. Se isso não é suficiente, eu me mudo para Marte.

O ex-procurador Marcelo Miller, que atuou como advogado dos executivos, foi criticado e acusado de cometer crimes nesse episódio. Hoje, no seu entendimento, o ex-procurador cometeu mesmo algum crime?

Na época, com os elementos que tínhamos, eu acreditava que sim, que ele fazia parte dessa organização criminosa, como fazia parte o presidente da República e esses executivos da J&F. Hoje, com o quadro fático que temos – já saí dessas investigações desde setembro – eu acredito que ele tenha cometido atos não éticos, mas estou convencido hoje que crime ele não cometeu.

O sr. foi muito criticado por ter concedido imunidade penal aos irmãos Batista. Se arrepende disso? Tem algo nesse acordo que faria diferente?

Eu não faria nada diferente. Quem tem que pensar em um comportamento diferente são os colaboradores. Eles teriam que ter tratado o órgão acusador com mais respeito. Teriam que ter entregue tudo que tinham realmente. Um acordo de um colaborador da Justiça, que entrega o presidente da República em exercício do cargo cometendo crime, com provas. Houve uma gravação, por decisão espontânea do colaborador, em que o presidente da República é pilhado em uma conversa com esse empresário, que entra na residência oficial sem ser identificado. A placa do carro tinha sido acordada por um deputado, aquele deputado da mala, com a segurança da entrada da residência oficial. Essa pessoa entra na residência oficial do presidente da República. A segurança do presidente é muito ruim ou houve um acordo para que essa pessoa entrasse de maneira desconhecida dentro do palácio. Essa pessoa entra e grava uma conversa às onze da noite, no subterrâneo.

Tem com o presidente uma conversa pouco republicana. Os acertos são feitos e aquele deputado da mala, da corridinha, é indicado como o novo interlocutor desse empresário criminoso com ninguém menos que o presidente da República. E quais são as expressões que o empresário usa? “As vias estão obstruídas. Não podemos mais usar esses instrumentos de comunicação, ou algo do gênero”. A mensagem era essa. E esse deputado recebe uma mala com R$ 500 mil numa ação controlada. O acordo ainda não estava assinado. Eram potenciais colaboradores. Enfim, está aí o presidente da República denunciado duas vezes, com mais duas investigações abertas. O virtual futuro presidente da República com denúncia aceita.

A partir dessas duas outras investigações em curso, que tem como alvo central o presidente, vai haver uma terceira denúncia?

Isso eu não sei, não conheço o conteúdo dessas investigações. O caminho normal é a denúncia virá. A justiça brasileira é republicana. Não estamos aqui mais para proteger oligarquias. O Brasil está mudando para melhor.

Por falar em mudanças, qual sua expectativa em relação às eleições tendo em vista que a Lava-Jato gira em torno de políticos e dinheiro desviado?

A primeira coisa é que esse discurso falso de que as investigações criminalizaram a política. A investigação não criminaliza político. Estou convencido de que a mudança desse cenário corrupto, esse cenário destruído, a partir de uma reforma política profunda. Então a mudança virá pela política. A investigação não criminaliza a política. Ela busca criminosos que se escondem atrás de mandatos políticos.

Mas essas eleições serão diferentes das anteriores? Haverá menos corrupção?

Não sei. Temos decisões importantes. Não haverá possibilidade de financiamento de pessoas jurídicas. A expectativa é de que os custos se reduzam. O custo das eleições no Brasil é muito mais caro que na França, Inglaterra, Alemanha, Itália. Temos outros estudos que mostram que dos 20 maiores doadores das eleições de 2010, 14 delas caíram na Lava-jato. Será uma eleição diferente ? Sim, será uma eleição diferente. Mas se haverá interferências dessas organizações eu não posso dizer. Existe um ditado, “criada a lei, criada a fraude à lei”. Então vamos esperar. Como a reforma política não veio, temos que ver o que vai acontecer.

TSE aprova 20 sites de “vaquinhas” para receber doações para candidatos. Vai ser a farra digital para arrecadar dinheiro para os safados da política

RIO — Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (REDE) e Jair Bolsonaro (PSL) são alguns dos pré-candidatos que vão adotar nestas eleições uma nova maneira de arrecadação para arcar com os custos de campanha: o crowdfunding, também conhecido como financiamento coletivo. Aprovada pela reforma política de 2017, a modalidade começará a ser utilizada nesta terça-feira, quando as páginas para doação poderão ser divulgadas para o público.

Até o momento, 20 sites, de um total de 39 cadastrados, foram aprovados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para realizar campanha de financiamento coletivo para os candidatos. O número, no entanto, pode mudar a qualquer momento. Isso porque não há data limite para inscrição, e o Tribunal pode aprovar novas plataformas no decorrer do período eleitoral.

LEIA: Na disputa ao governo dos estados, ‘outsiders’ ficam confinados a pequenos partidos

O processo, que lembra o de uma vaquinha, funcionará em duas etapas: deste primeiro momento até o dia 15 de agosto (prazo para o registro das candidaturas), estarão disponíveis as campanhas de doações para pré-candidaturas. Somente após esse prazo, a arrecadação passará a ser feita para as candidaturas já oficializadas.

Caso uma pré-candidatura não seja confirmada em agosto, todo o dinheiro arrecadado deverá ser devolvido aos doadores. Partidos também não poderão fazer campanhas coletivas. Cada campanha deverá ser apenas para um candidato.

Além disso, na fase inicial, não haverá prestação de contas no portal do TSE, somente dentro das próprias plataformas. Com a campanha eleitoral nas ruas, porém, todas as doações passarão a constar no portal do Tribunal para consulta pública. A análise da legalidade desses pagamentos será feito não apenas pelo TSE mas também pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

No cenário de 2018, a adesão entre os presidenciáveis é alta: além de Marina, Alckmin e Bolsonaro, os pré-candidatos Guilherme Boulos (PSOL), Flávio Rocha (PODE) e João Amoedo (NOVO) confirmaram a intenção de utilizar o financiamento coletivo. Nos dois últimos casos, um dos fatores ressaltados pelos partidos é o de autofinanciamento das campanhas, que não utilizarão o fundo partidário. No caso de Rocha, por exemplo, a expectativa é de que o financiamento vá ao ar já nesta terça.

Algumas legendas também apostam na ferramenta como uma possibilidade: no caso da Rede a plataforma escolhida é o Voto Legal, que cobra R$ 495 por campanha de pré-candidatura e 10% por transação, e deve ser utilizada também por Ronaldo Caiado (DEM) e Eduardo Suplicy (PT).

Já o PSDB optou, em um primeiro momento, por uma campanha de arrecadação partidária para financiar uma ferramenta que servirá de ponte entre eleitores e candidatos. Depois, a plataforma Essent Jus foi a escolhida para gerar as “vaquinhas” de candidatos, incluindo Alckmin. Bolsonaro confirmou a intenção de utilizar o método mas ainda não decidiu qual será o site escolhido, estando ainda em fase de negociação.

Há também quem não demonstrou intenção de adotar o modelo. Para a pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso por condenação em segunda instância e que poderá ter sua candidatura barrada pela Lei da Ficha Limpa, ainda não há uma decisão sobre a adoção ou não do financiamento coletivo. O PDT, do ex-governador do Ceará Ciro Gomes, decidiu por não utilizar o crowdfunding.

O conceito não é inédito na política brasileira. Em 2016, o deputado Marcelo Freixo, que concorria à Prefeitura do Rio de Janeiro arrecadou R$1,8 milhões vindos de 14 mil doadores pela internet. O valor é o maior já angariado por um financiamento coletivo no país.

CURSOS DE FINANCIAMENTO

O novo cenário de arrecadação não causou apenas o surgimento de novas plataformas de crowdfunding, mas também de outros projetos envolvendo o financiamento coletivo, como o curso online powerfunding, feito em parceria pelas veteranas no mercado Benfeitoria e Bando. Para as duas empresas, o que se identificou foi uma má interpretação do que é necessário para uma campanha bem sucedida de financiamento coletivo, que vai além da escolha das plataformas.

— Existe muita gente com ideia de que é só subir um projeto e pedir dinheiro, mas não é assim. Percebemos nos últimos sete anos que é necessaário planejamento e consultoria para que essas campanhas sejam positivas — explica Murilo Farah, da Benfeitoria, uma das primeiras plataformas de crowdfunding do país, fundada em 2011, e que até o momento não se inscreveu como plataforma.

Para além dos presidenciáveis, a ferramenta se apresenta como uma possibilidade para as milhares de candidaturas no âmbito do legislativo que irão disputar o voto do eleitorado em 2018. E, segundo os especialistas, talvez sejam elas as que tenham mais a ganhar com o formato.

— O financiamento coletivo, no geral, é como a ciclovia da arrecadação, até no caso de projetos culturais. Ele funciona muito mais na capilaridade, com 90% das campanhas só arrecadando até 30 mil reais no Brasil. São pequenos e médios projetos que se beneficiam mais dessa revolução na economia colaborativa. Por isso, pode ser uma saída para pequenos e médios candidatos se oxigenarem em meio aos partidos — explica Felipe Caruso, um dos fundadores da Bando e das pessoas por trás da campanha de financiamento feita por Freixo em 2016.

Esse é um dos objetivos, por exemplo, declarados pelo partido novo com a adoção das “vaquinhas”. A legenda, que utilizará as plataformas Confia Brasil e Apoia, vê no financiamento coletivo um caminho para ajudar no planejamento da campanha.

— Para gente tem uma importância muito grande, principalmente com os candidatos ao legislativo. Pois aumenta e pulveriza bastante a nossa capacidade de captação. É um recurso que nos dá uma capacacidade de planejamento maior, também, pois nos ajuda a saber exatamente com quais recursos contaremos — disse Moisés Jardim, presidente do partido.

Entre os conteúdos e ideias que estarão presentes no curso está a noção de que “financiamento coletivo não é uma parte qualquer da campanha”, requerendo cuidados e ideias particulares.

— Não basta subir uma campanha no ar e pronto. É preciso uma equipe e um estudo para que o candidato conheça seus potenciais apoiadores, para que ele crie uma narrativa, engaje as pessoas e seja claro nos seus gastos. As plataformas, em si, são apenas ferramentas. — destaca Caruso, que reforçou a importância da quantidade de apoiadores mobilizados em campanhas desse tipo.

Hacker que chantageou Marcela está solto e só ele sabe o segredo da 1ª dama

O homem que clonou o celular da primeira-dama Marcela Temer já deixou o presídio do Tremembé, em São Paulo.

Por ter cumprido mais de um terço da pena e por sua ‘ótima conduta carcerária’, a Justiça concedeu a liberdade condicional.

Silvonei José de Jesus Souza guarda um precioso segredo, que lhe valeu uma das mais rápidas condenações da história do Judiciário brasileiro.

Esse segredo só é conhecido por mais três pessoas, a própria Marcela, o presidente Michel Temer e o ministro Alexandre de Moraes.

Aliás, foi sua atuação neste caso que fez com que Alexandre de Moraes, então Secretário de Segurança Pública de São Paulo, virasse Ministro da Justiça e, mais tarde, Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Parece óbvio que tal segredo não se restringe tão somente a fotos de Marcela usando lingerie.

Afinal, a extorsão começou com um valor de R$ 15 mil, pago por um irmão de Marcela, passando para R$ 300 mil, quando coisas graves teriam sido descobertas por Silvonei.

Ele solto, mesmo que em liberdade condicional, há sempre uma chance maior de vazamento.