É dinheiro demais, gente! Patrimônio de Palocci é assombroso, mas PT tenta esconder o sol com a peneira de miuçalhas

Após a Lava Jato ter bloqueado R$ 128 milhões do patrimônio de Antônio Palocci o Banco Central bloqueou mais R$ 20,8 milhões.

São quantias absurdas, que dão uma ideia de quanto pode ter sido pago em propinas pelos préstimos do ex-ministro da Fazenda de Lula e chefe da Casa Civil de Dilma, acusado pela força-tarefa de Curitiba de ter administrado uma conta corrente da empreiteira Odebrecht com o PT para remunerar seus figurões com propinas oriundas da Petrobrás.

Isso dá uma ideia ainda  mínima de quanto a organização criminosa atuante nos 13 anos, 4 meses e 12 dias dos três governos e meio petistas pode ter surrupiado dos cofres públicos.

Depois das eleições, se Deus quiser e permitir, teremos a prisão em massa da quadrilha que assalta o Brasil. A sorte desses canalhas é que ninguém pode ser preso durante esse período, apenas em flagrante.

Mas como eles “pensam” que Sergio Moro é idiota, terão uma bela surpresa na semana que vem…. aguardem….

Fonte

OAB pede prisão de presidente do Sindicato dos Bancários: ELE NÃO FAZ GREVE, FAZ TERRORISMO COM O BRASIL

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Pernambuco (OAB-PE) pediu a prisão da presidente do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues, caso a entidade não cumpra determinação judicial de garantir quantidade mínima de funcionários em atendimento nos caixas durante a greve da categoria.

Uma liminar do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou a abertura das agências por duas horas por dia durante o período da greve, com 30% dos funcionários trabalhando.

O sindicato argumentou que já está cumprindo a Lei de Greve, com 30% da categoria em serviço, não necessariamente em todas as agências.

Na ação civil pública apresentada hoje (29), além da prisão da sindicalista, a OAB pede o aumento do valor da multa por descumprimento da ordem, de R$ 10 mil para R$ 100 mil diários.

A origem do embate entre a OAB e o Sindicato dos Bancários é o pagamento de alvarás, que só pode ser feito nos caixas dentro das agências.

Os alvarás são ordens de pagamento da Justiça em favor de uma pessoa física que servem, por exemplo, para o recebimento de pensão alimentícia depositada em juízo, de valores resultantes de reclamações trabalhistas ou de discussões locatícias.

Se o pagamento do alvará não é feito, os advogados ficam sem a sua remuneração, já que os honorários são um percentual cobrado, normalmente, em cima do recurso ganho judicialmente.

Em assembleia, os bancários decidiram que a responsabilidade de organizar o atendimento (usando o contingente que não aderiu à greve) é dos bancos, e não do movimento grevista.

O sindicato considerou o pedido da OAB à Justiça um desrespeito ao direito de greve e disse que lei que determina o funcionamento de 30% do serviço já vem sendo cumprida e que os alvarás deveriam ser pagos em agências que estão dentro dessa margem.

Caixa

A presidente do sindicato, Suzineide Rodrigues, disse que o Banco do Brasil se organizou para disponibilizar o pagamento dos alvarás, mas a Caixa Econômica Federal se negou a fazer o mesmo.

“A Caixa não quer convocar, porque ela tem gente na agência. Inclusive em notas oficiais ela tem dito que tem 40% do contingente trabalhando. A categoria aprovou por unanimidade que a Caixa pode abrir a agência que o sindicato ou os bancários não vão intervir. Qual é o problema? É que querem que o sindicato faça uma coisa que não é de sua alçada, que é impor aos bancários que estão de greve, que tem a função de caixa, que trabalhem. A gente não tem esse poder”, argumentou.

Sobre o pedido de prisão, a sindicalista disse que não pode ser responsabilizada por uma decisão que cabe aos bancos. “Eu não respondo pela Caixa.

Eu respondo pela política do sindicato, pela greve, pela convocação, pelas assembleias, mas não pela gestão do banco. Mas se eu for presa é por uma causa justa, porque estou defendendo um interesse da categoria e estou seguindo rigorosamente o definido em assembleia.”

Em nota, a Caixa informou “que a federação e o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários devem providenciar o cumprimento da decisão, convocando os empregados para que ao menos 30% compareçam para trabalhar, propiciando o atendimento mínimo necessário, conforme determinação judicial”.

O presidente da OAB-PE, Ronnie Duarte, disse que a cobrança foi feita ao sindicato, e não aos bancos, porque a entidade é a responsável pela deflagração da greve.

“É ele quem representa todos os bancários. A instituição bancária não pode convocar funcionários em greve sob pena de ser acusada de assédio moral.”

“O direito de greve é legítimo, a reivindicação é razoável, mas o exercício desse direito vem ocorrendo em desacordo com a legislação. A adesão dos caixas ao movimento é integral, então as atividades bancárias como o pagamento de alvarás, que não pode ser feito por via eletrônica, vem sacrificando a população”, argumentou.

A OAB diz que o percentual de 30% de funcionários em serviço determinado por lei não está sendo cumprido, porque há serviços totalmente parados.

Greve

Os bancários estão em greve há mais de três semanas em todo o Brasil. Os trabalhadores pedem reajuste salarial de 14,78%, dos quais 5% são de aumento real.

A pauta inclui reajuste sobre a participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários mais R$ 8.297,61; piso salarial de R$ 3.940,24; vales alimentação e refeição, e auxílio-creche/babá no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880).

Atualmente, os bancários têm um piso de R$ 1.976,10 (R$ 2.669,45 para os funcionários que trabalham no caixa ou tesouraria). Até agora, a proposta dos bancos, apresentada no último dia 9, foi de reajuste de 7% para os salários e benefícios, além de um abono de R$ 3.300. O reajuste seria aplicado também ao PLR.

Fonte

Governo federal corta ‘boquinha’ do blog de Paulo Henrique Amorim.

Nesta quinta-feira, 29, o jornal ‘Folha de São Paulo’ publicou novidades a respeito de um corte feito pelo governo do presidente do Brasil, #Michel Temer, do PMDB.

O peemedebista decidiu dar descontinuidade ao uso da propaganda institucional em sites e blogs considerados petistas ou que somente falassem bem do governo federal. Um dos editores desses sites afetados é o jornalista Paulo Henrique Amorim, que também apresenta o ‘Domingo Espetacular’ na Rede Record de Televisão. O blog dele, o ‘Conversa Afiada’, foi um dos treze sites que acabou perdendo a chamada “boquinha”.

De acordo com Michel Temer, o dinheiro que ia para esse tipo de publicidade agora será voltado a sites e portais mais isentos. Isso não significa que tais blogs nunca mais receberão dinheiro desse tipo de verba. No entanto, durante a gestão do peemedebista, isso deve ser mais difícil de ocorrer. Uma das possibilidades é o patrocínio de matérias sobre cuidados com a Dengue e outras mazelas da saúde que atingem o povo brasileiro de norte a sul do Brasil. Algumas campanhas, como a contra o vírus do HIV, por exemplo, acabam tendo um foco em um público jovem e em sites que não costumam falar de política.

De acordo com informações do site da Revista Veja, encontradas na coluna do jornalista Reinaldo Azevedo, os sites que perderam o patrocínio são o ‘Brasil de Fato’, ‘Viomundo’, ‘Sidney Rezende’, ‘Portal Fórum’, ‘O Cafezinho’, ‘Brasil Econômico’, ‘Opera Mundi’,  Blog do Luís Nassif, Diário Centro do Mundo, Carta Maior, Brasil 247 e o já citado, representado pelo apresentador da TV Record, o ‘Conversa Afiada’.

Cortes e mais cortes

No ano passado inteiro, apenas esses sites mencionados receberam a quantia de R$ 5,1 milhões. Em seis meses desse ano, já pegando o corte dado por Temer, esse valor diminuiu para R$ 1,54 milhão. De acordo com a ‘Folha de São Paulo’, o site que representa o comunicador da TV Record recebeu R$ 333 mil. Esses valores eram divididos entre as estarias brasileiras, como o Banco do Brasil e a Petrobras.

ATENÇÃO BRASIL, ÚLTIMA HORA: TSE PODERÁ AFASTAR TEMER SE IMPUGNAR A ELEIÇÃO DE DILMA.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julga ter reunido provas suficientes para sustentar que o financiamento da campanha à reeleição de Dilma Rousseff e Michel Temer incluiu verbas desviadas do esquema criminoso da Petrobras.

No caso, os dois teriam que ser depostos e não apenas Dilma.

De acordo com o que apurou o blog do Josias de Souza, são evidências documentais e testemunhais suficientes para justificar a cassação da chapa que prevaleceu em 2014. Como Dilma já foi deposta, o mandato que está em jogo é o de Temer. Contudo, já começam a soar no TSE avaliações sobre a conveniência de poupar o substituto de Dilma.

Se a chapa Dilma-Temer fosse cassada pelo TSE até o final do ano, o brasileiro teria a oportunidade de escolher um novo presidente da República em eleição direta.

É o que determina a Constituição. Entretanto, são grandes as chances de o julgamento ser empurrado para 2017.

DEFESA DE DILMA PROTOCOLA ÚLTIMO RECURSO NO STF PARA TENTAR ANULAR IMPEACHMENT

Quase um mês depois de o Senado aprovar o impeachment, a defesa da ex-presidente Dilma Rousseff protocolou nesta quinta-feira (29) aquele que deve ser o último recurso pedindo a anulação do processo pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O mandado de segurança, com 493 páginas, questiona o que o advogado de Dilma, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, chama de “falta de justa causa”, isto é, a falta de motivos jurídicos para o afastamento da petista.

Na peça, Cardozo pede que até que o recurso seja julgado em definitivo, seja concedida uma sentença liminar (provisória) para que Dilma possa voltar à Presidência ou para que, pelo menos, o atual presidente Michel Temer volte à condição de interinidade.

“Não pode um país, sob o risco de traumas e conflitos, permanecer a ser governado por quem não foi eleito pelo povo e não exerce seu mandato por decorrência do texto constitucional. A democracia não pode conviver com governos ilegítimos, nem mesmo por poucos dias”, diz o texto.

A defesa da petista também argumenta que ela não cometeu nenhum ato que justificasse o afastamento, e que o processo é “puramente” político. “Em um Estado Democrático de Direito não pode ser admitida a invocação de falsos motivos jurídicos para a destituição de um Presidente da República”, diz o texto.

BOLA FORA TEMER! Ministro da Justiça é ex-advogado do PCC e tem várias acusações. É insustentável a permanência no cargo…

Alexandre de Moraes, secretário de Segurança Pública de São Paulo, será nomeado para o cargo de ministro da Justiça do futuro governo Michel Temer. Moraes virou alvo de acusações graves por parte de um procurador do Ministério Público Federal. Matheus Baraldi Magnani encaminhou ao vice-presidente uma petição que manifesta preocupação com a possibilidade da nomeação de Moraes.

De acordo com o procurador, o secretário esteve por trás de uma enxurrada de ações judiciais e medidas persecutórias, em nome do governo do estado, com o objetivo de constranger e intimidá-lo após uma audiência pública em 2012, na qual ele denunciou crimes graves cometidos pela Polícia Militar.

Embora as ações em nome do Estado devam ser encabeçadas pela Procuradoria-Geral do Estado, o escritório de advocacia do secretário acabou elaborando uma das queixas criminais em nome da Polícia Militar.

A perseguição, segundo o documento, começou após Magnani exigir a destituição do comando da PM e criticar a política de segurança paulista. O motivo: naquele ano, depois do assassinato de 18 criminosos em três operação da Rota, o PCC decidiu reagir e ordenou o assassinato de dois policiais para cada integrante da facção executado.

A reação da polícia provocou uma série de chacinas nas periferias de São Paulo, ônibus foram incendiados e uma onda de terror tomou conta da capital.

Segundo o procurador, os oficias da PM haviam perdido o controle sobre a tropa. “O praça hoje se transformou numa máquina de matar descontrolada”, afirmou durante o encontro.

Magnani tinha razão: com o agravamento do confronto, em 2012, foram registrados 1.497 homicídios, aumento de 40% na capital paulista após 13 anos de redução. O governo acusou o golpe e admitiu a existência de uma crise na segurança pública. Toda a cúpula da área acabou afastada.

As críticas do procurador não foram, porém, bem recebidas pelo governo paulista. Após a audiência, Magnani virou alvo de diversas representações no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), na Corregedoria do MPF, duas ações penais privadas e quatro processos cíveis.

Os processos foram movidos por integrantes do comando da PM, por uma associação chamada Fundo de Auxílio Mútuo dos Militares do Estado de São Paulo e pela própria Polícia Militar.

O procurador afirma na petição a Temer que, após a tarefa executada, Moraes “tornou-se, em seguida, secretário de Segurança Pública de São Paulo”.

E vai mais longe. Segundo a petição encaminhada a Temer, um relatório do CNMP favorável a seu posicionamento durante a audiência pública teria sido omitido propositalmente por um advogado que o defendia em uma das ações judiciais.

Em uma das ações cíveis, afirma, só conseguiu incluir o relatório do CNMP por adicionar a documentação no último dia do prazo judicial. Ele suspeita de algum tipo de ingerência em sua defesa para prejudicá-lo e ingressou com um pedido de investigação criminal contra seus advogados.

Magnani encaminhou o pedido ao diretor da Polícia Federal e solicita a transferência da apuração para Brasília. “A investigação deve ocorrer com imparcialidade, motivo pelo qual convém que siga seus trâmites pelo Distrito Federal, evitando-se que questões locais interfiram na correta apuração dos fatos.”

E acrescenta: “Não é demais relembrar que a própria Polícia Civil do Estado de São Paulo emitiu pronunciamento recente queixando-se da interferência indevida que a Polícia Militar realizou em investigação de crimes praticados por militares que estavam sendo apurados pela Polícia Judiciária Paulista”.

O procurador foi absolvido de quase todas as acusações. Magnani, manifestou-se o CNMP, não cometeu nenhum crime durante a audiência pública. “O posicionamento do processado tanto não estava errado, que posteriormente houve a troca do Comando da Polícia Militar e da Secretaria de Segurança Pública” (…) atuou no estrito cumprimento funcional de zelar pela segurança pública”.

No Tribunal de Justiça, o posicionamento favorável ao procurador foi mais incisivo. “Em suma, a violência que cerca a atividade policial consiste em problema social antigo e grave, que de fato demanda discussão séria por parte tanto da sociedade civil quanto do Estado (…) nítida, portanto, a imagem mental da polícia que mata aquele cidadão que não a atacava, signo de violência despropositada.”

O relator acrescenta: “Não se verifica no pronunciamento ofensa concreta (…) expôs-se questionamento pertinente, na linha das aludidas referências, fincada em dados concretos”. Magnani foi procurado por CartaCapital, mas informou que não se manifestaria.

A Secretaria de Segurança Pública não respondeu se Moraes recebeu algum valor por ter advogado para a PM e por qual motivo não foi feito uso da Procuradoria-Geral do Estado. Por telefone, informou que o posicionamento seria apenas: “A Secretaria não tem responsabilidade sobre o caso”.

Essa não é a primeira vez que Moraes está no centro de polêmicas. Após assumir o cargo no início do ano passado, o secretário foi questionado pelo fato de seu escritório ter defendido uma cooperativa de vans da capital paulista investigada por suposto envolvimento com o PCC. Moraes alegou que a prestação dos serviços foi para a Cooperativa e nunca para nenhum investigado no caso.

Na segunda-feira 2, a pasta de Moraes viu-se envolvida em outra controvérsia judicial. O juiz Luiz Manuel Pires condenou a decisão da Força Tática de invadir o prédio do Centro Educacional Paula Souza, ocupado por estudantes desde 28 de abril.

O Estado obteve uma ordem de reintegração de posse em 1º maio, mas ainda não havia sido liberado o mandado para o cumprimento da decisão. “Sem mandado judicial, qualquer ato de execução forçada caracteriza arbítrio, violência ao Estado Democrático”, anotou o magistrado.

Brasileiros criam “Uber do câmbio” e facilitam trocar moeda sem IOF

Quer fazer câmbio com preços mais justos e acessíveis? Basta usar essa startup aqui e seus problemas serão resolvidos

Qual a primeira coisa que você faz para comprar moeda estrangeira quando vai viajar? Posta no Facebook para saber se algum conhecido tem dólares ou euros restantes para venda, certo? Afinal, geralmente, conseguir um conhecido com moeda estrangeira é a forma mais fácil e barata de conseguir o que você precisa. Só depois, você acaba indo atrás de casas de câmbio.

E se todo mundo fosse teu conhecido? É o que propõe o aplicativo Monepp, que, inspirado na Uber, facilita o encontro entre pessoas interessadas em troca de moedas. Você tem a demanda por moeda e outra pessoa tem a oferta. Vocês se encontram, trocam o dinheiro e pronto. Ou seja, você não paga IOF e a taxa geralmente é mais competitiva (sem o spread de compra e venda, ou, talvez, um meio termo entre os dois).

A utilização do aplicativo, disponível só para Android, é fácil. Você só precisa cadastrar-se e, dois minutos depois, já pode comprar ou vender. Quem quer vender deve informar quais moedas estão disponíveis, quais aceitam em troca e qual a cotação. E quem quer comprar, é necessário apenas o cadastro e, em seguida, a busca por moeda e região.

É mais uma fintech capaz de ajudar as pessoas. Este é um tema da moda, com várias startups surgindo para disruptar grandes bancos. Por conta disso, o StartSe criou o Fintech Class, para que você consiga entender o tema de maneira definitiva. Clique aqui e conheça.

O Monepp tem um sistema de geolocalização, que possibilita ao usuário determinar o raio de proximidade que deseja na busca de ofertas. Os interessados, então, se comunicam pelo chat do aplicativo e devem marcar encontro presencial para efetivar as trocas combinadas. “O Monepp, portanto, não realiza e não se responsabiliza pelo câmbio das moedas, apenas promove o encontro de pessoas com este interesse em comum”, explica Felipe Barbosa, CEO do Monepp.

Aí a mágica da economia colaborativa aparece. “Os usuários não possuem nenhum vínculo profissional com a empresa desenvolvedora. Cabe a estes a avaliação da credibilidade e da reputação dos vendedores e compradores no próprio aplicativo, por meio do ranking de avaliações disponibilizado e mantido pelos próprios usuários”, conta.

O aplicativo surgiu da vontade de um trio de amigos interessados em Economia de encontrar mais possibilidades e melhores ofertas para compra de dólar no Brasil. Foi então que Felipe Barbosa se juntou com Renan Greca e Giancarlo Camilo para formar o aplicativo, que contou com o apoio de um grupo de investidores do Paraná para sair do papel. “Acreditamos que as pessoas devem ter a liberdade para escolher de quem e como querem trocar seu dinheiro, evitando procedimentos burocráticos e buscando praticidade”, explica Felipe.

Os três sócios se dedicaram plenamente à execução do projeto, que teve investimento de R$ 200 mil desde o final de 2015, quando foi criado e submetido a testes na Venezuela, primeiro mercado a receber o aplicativo.  “No Brasil, pretendemos atingir inicialmente as capitais com maior fluxo de turistas, e, a depender do sucesso do Monepp, expandir para toda a América Latina”, declara, com o objetivo de atrair 100 mil usuários até o final de 2016.

Palocci tinha R$ 31 milhões em contas pessoais. Tudo bloqueado pelo Banco Central por ordem de Sérgio Moro!

Espero que os Ministros do STF não desbloqueiem o dinheiro, como tem feito!!!!!! Esses cúmplices!!!!!

Palocci tinha R$ 31 milhões em contas oriundasBC encontra quase R$ 31 milhões em contas ligadas a Palocci. O juiz Sergio Moro havia decretado o bloqueio de até R$ 128 milhões de Palocci, valor que os investigadores estimam ter sido pago pela Odebrecht ao PT

Por ordem do juiz Sergio Moro, o Banco Central bloqueou esta semana quase 31 milhões de reais das contas correntes do petista Antonio Palocci, ex-ministro dos governos Lula e Dilma preso na Operação Lava Jato. Investigado por relações obscuras com a empreiteira Odebrecht, cujos interesses representava no Palácio do Planalto, Palocci foi detido na última segunda-feira sob suspeita de ter recolhido propina e de atuar diretamente como intermediário dos interesses da Odebrecht, a maior empreiteira do país e cujo diretor-presidente, Marcelo Odebrecht, está atrás das grades desde junho do ano passado.

Sergio Moro havia decretado o bloqueio de até 128 milhões de reais em recursos das contas de Palocci, e o mesmo montante para os assessores do petista Juscelino Dourado e Branislav Kontic e duas empresas investigadas na 35ª fase da Lava Jato, incluindo a Projeto Consultoria Empresarial e Financeira. Na Projeto Consultoria Empresarial e Financeira, empresa de Palocci, foram encontrados 30.064.080,41 reais, já bloqueados. Nas contas correntes do ex-ministro em três bancos, foram amealhados mais 814.648,45 reais, sendo o maior valor no Bradesco – 694.186,76 reais.

Ao executar o bloqueio de valores, o Banco Central registrou que não foi encontrado um único centavo nas contas registradas em nome de Juscelino Dourado. Na conta de Kontic, apenas 1501,03 reais.

Palocci já foi objeto de comunicações de operações financeiras no valor de 211 milhões de reais entre 2010 e 2015 em relatórios produzidos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), órgão do Ministério da Fazenda que investiga lavagem de dinheiro. A maior parte do dinheiro foi movimentada por meio da Projeto, empresa do ex-ministro. O COAF enumerou operações suspeitas de Palocci em pelo menos 11 comunicações enviadas ao Ministério Público, à Polícia Federal e à CPI do BNDES.

O relatório do COAF cita vários outros nomes de empresas e pessoas jurídicas, que agora poderão ser definitivamente levados para o epicentro do escândalo. Entre os remetentes de recursos para a conta bancária da empresa de Palocci estão o empresário Edson de Godoy Bueno, ex-dono da Amil, com 20 milhões de reais, e a montadora CAOA, com 5,3 milhões de reais. A CAOA está envolvida em um esquema de compra de medidas provisórias e já vinha sendo investigada nas operações Acrônimo e Zelotes.

BOA NOTÍCIA: Deputados do PT farão renuncia coletiva se Lula for preso

Os membros do Partido dos Trabalhadores pedirão renúncia coletiva caso o ex-Presidente Lula seja preso, em nota pública assinada por 17 deputados.

A decisão ocorreu após as comissões se posicionarem “em respeito à legalidade e às prerrogativas dos deputados da oposição, mesmo antes de ser publicada a notícia de que todos parlamentares do PT(partido dos trabalhadores), com dezenas de deputados não investigados, havia sido grampeado”, em referência à Operação Lava Jato.

Segundo a nota pública, o texto, que havia sido publicado na página da Comissão de Política Criminal e Penitenciária, foi desautorizado e apagado após o PP e PRB se reunir e decidir apoiar o Juiz Sergio Moro e a prisão de Lula.

Diz a nota: “Infelizmente, a politica parece seguir rumos contrários àquilo que historicamente foi seu mister e alia-se a posições que propõem mais uma triste ruptura democrática em nosso país.

Deputados que somos, manteremos nosso juramento de defender o Estado Democrático de Direito, o que não pode ser feito ao mesmo tempo em que integramos comissões da mesma câmara de deputados que assume a presente postura institucional a favor da destituição de um Ex-presidente é leniente com violações crassas às prerrogativas de todo o povo que o admira.”

Tomara que eles cumpram a promessa e sumam do mapa!

Elio Gaspari: STF quer se livrar do Ministro Ricardo Lewandowski para agilizar a Lava Jato

Segundo O Antagonista, O Supremo Tribunal Federal (STF) quer se livrar do Ministro Ricardo Lewandowski. A informação foi repercutida através do jornalista Elio Gaspari, que trabalha como colunista há anos no jornal ‘Folha de São Paulo’.

Segundo o repórter, outros Ministros da mais alta corte do país não estão tão felizes com o trabalho de Lewandowski e trabalham para fazer uma manobra, evitando que ele possa assumir a segunda turma.

Isso porque no mês de Setembro, o polêmico Ministro que nessa semana se envolveu em uma polêmica por conta de bonecos infláveis, sairá da presidência do STF.

O último rito do presidente da corte deve ser mesmo o impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas nem isso pode acontecer.

Isso porque no mesmo mês quem entrará em seu lugar é a Ministra Cármen Lúcia, que já criticou publicamente a defesa de Dilma dizer que o impedimento e seu processo é um “golpe parlamentar”.

Com a saída de Ricardo e a entrada de Cármen, uma vaga é aberta na segunda turma. Essa é justamente a que cuida da Lava Jato, a principal operação em vigor no país e conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro.

TCU responsabiliza DILMA por Pasadena e pede BLOQUEIO DOS SEUS BENS

Fabio Fabrini, do Estadão, obteve parecer da área técnica do TCU que pede a responsabilização de Dilma Rousseff e dos integrantes do conselho de administração da Petrobras que aprovaram a compra da Refinaria de Pasadena, no Texas.

Além de Dilma, estão na lista Antonio Palocci, José Sérgio Gabrielli, os empresários Cláudio Haddad e Fábio Barbosa, além do general Gleuber Vieira. O TCU quer que todos sejam solidários na restituição aos cofres públicos de US$ 266 milhões, cerca R$ 860 milhões.

O pedido de bloqueio ainda será submetido ao Ministério Público de Contas e, depois, será levado a plenário.

O BRASIL ESPERA SINCERAMENTE QUE DILMA SEJA COLOCADA ONDE JÁ DEVERIA ESTAR: NA CADEIA

BABOU A MARIOLA DE LULA: Polícia Federal afirma que propinas estão escancaradas na contabilidade do Instituto

A Lava Jato investiga as empresas de Lula. Com essa manchete o Antagonista divulga uma notícia muito mais importante do que a prisão de Palocci.

As suspeitas, segundo o Estadão, “são que as movimentações financeiras da LILS e do Instituto Lula serviram para ocultar propinas”.

A PF se concentra, em particular, na análise dos dados de 2014, ano de deflagração da Lava Jato, quando “foi registrada a distribuição de 5,3 milhões de reais em lucros ao petista”.

E mais:

“No material produzido pela PF, os peritos comparam as datas de recebimentos pela LILS por palestras com o período em que as empreiteiras pagaram propinas a dois ex-diretores da Petrobrás: Paulo Roberto Costa e Renato Duque”.

Diz o relatório da PF:

“Insta destacar, inclusive, que os períodos nos quais as empreiteiras Camargo Corrêa e Queiroz Galvão efetuaram pagamentos de propinas à Paulo Roberto Costa, via Costa Global, coincidem com o período em que efetuaram pagamentos à LILS Palestras por serviços pretensamente prestados”.

TADINHO: Desembargador de SP foi demitido por facilitar tráfico, mas é condecorado com aposentadoria de mais de 30 Mil Reais

Tribunal de Justiça de São Paulo aposentou compulsoriamente o desembargador Otávio Henrique de Sousa Lima que mandou soltar Welinton Xavier dos Santos apontado como um dos principais traficantes de drogas de São Paulo.

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, em sessão realizada nesta quarta-feira, por maioria de votos, aposentou compulsoriamente o desembargador Otávio Henrique de Sousa Lima, da 9ª Câmara de Direito Criminal.

Sousa Lima estava afastado do cargo desde o início do Processo Administrativo Disciplinar – em 23 de setembro de 2015 – instaurado contra ele por suposto favorecimento a traficantes.

O desembargador mandou soltar Welinton Xavier dos Santos, o Capuava, apontado como um dos principais traficantes de drogas de São Paulo, que havia sido preso com 1,6 tonelada de cocaína, 898 quilos de insumos para a produção da droga, quatro fuzis e uma pistola automática – a apreensão ocorreu em um sítio em Santa Isabel, na Grande São Paulo.

Ao mesmo tempo, Sousa Lima manteve na prisão outros integrantes da quadrilha de Capuava.
Em 2015, ao votar pela abertura do Processo Administrativo Disciplinar contra o colega, o então presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador José Renato Nalini, destacou “a falta de fundamentação” na decisão de Sousa Lima em mandar soltar o traficante.

“A fundamentação é de uma pobreza franciscana. Não é possível saber por que as provas da polícia não foram levadas em conta na decisão.” O Tribunal de Justiça de São Paulo informou que a pena de aposentadoria está prevista na Lei Orgânica da Magistratura. A defesa de Sousa Lima nega envolvimento do desembargador com irregularidades.

Quando o processo disciplinar foi aberto, o advogado Marcial Herculino de Hollanda Filho, defensor do desembargador, argumentou que a decisão que soltou o traficante foi fundamentada. Hollanda Filho afirmou que o magistrado “seguiu sua consciência” nas decisões.

QUE BONITO MEU AMIGO…. PRA MIM O SENHOR NÃO VALE NADA!

ATENÇÃO PF: Guido Mantega está preparado para a fuga, dupla cidadania e passagens já compradas

A mulher tratando um câncer e passagens compradas sem qualquer alarde para Paris. Intrigante e suspeitíssimo.

É o que revela a Polícia Federal. Aliás, Guido Mantega é italiano, nascido em Gênova.
As passagens foram compradas para o dia 23.

O ex-ministro foi preso e solto no dia 22. As passagens foram remarcadas para 08 de outubro, novamente sem alarde.

O retorno também está marcado, dia 15 de outubro.

É no mínimo estranho, passeio de uma semana em Paris, com a esposa em pleno tratamento de uma doença tão grave.

A PF está monitorando o ex-ministro.

O juiz Sérgio Moro deve determinar ainda esta semana a apreensão do passaporte de Mantega.

O ABSURDO QUE FALTAVA: Pobres do Bolsa Família doaram R$ 16 milhões para campanhas políticas

Como pode uma família que recebe Bolsa Família doar para campanha política? A resposta é simples: FRAUDE TOTAL

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou nesta quinta-feira (22) que pessoas cadastradas no Bolsa Família já efetuaram doações no valor de R$ 15,97 milhões para campanhas políticas neste ano.

No total, segundo o TSE, os beneficiários do programa já doaram R$ 12,2 milhões para candidatos a vereador; R$ 3,5 milhões para candidatos a prefeito; e R$ 204,4 mil para partidos.

 Segundo o TSE, dos R$ 15,9 milhões, 67% são de chamadas doações estimadas, quando a pessoa não doa, mas presta um serviço ou doa um bem e indica o valor que ele custaria como uma doação estimada.

33% são doações financeiras, via transferência bancária, doação com cartão, entre outros.

Os números foram levantados a partir do cruzamento de dados das prestações de contas dos candidatos no TSE com o cadastro de beneficiários de programas sociais do governo federal.

Os dados possibilitarão à Justiça Eleitoral investigar se os doadores tinham real capacidade financeira para realizar as doações.

Pela lei, as doações de pessoas físicas para campanhas eleitorais limitam-se a 10% da renda declarada pelo cidadão no ano anterior.

O valor total de doações declaradas à Justiça Eleitoral até esta quinta, segundo o TSE, ultrapassa R$ 1 bilhão. De acordo com o cruzamento, pelo menos 16 mil beneficiários do programa social aparecem como doadores.

“Tudo indica que está havendo fraude. Ou a pessoa não deveria estar recebendo ou está ocorrendo o fenômeno do ‘caça CPF’, ou seja, a manipulação de CPF de alguém que está inocente nessa relação, então tudo isso será investigado”, explicou o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes.

O ministro esclareceu que uma hipótese aventada pelo TSE é a possibilidade de que o dinheiro já estivesse disponível e de que CPFs tenham sido usados como forma de ocultar a origem do recurso.

“Às vezes a pessoa nunca necessitou do Bolsa Família e declarou renda menor e, outras vezes, estão usando CPFs dessas pessoas para fazer as doações”, disse o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra.

Segundo o TSE, cerca de 16 mil pessoas cadastradas no programa realizaram as doações para a campanha deste ano. Entre os casos identificados pelo TSE está um em que o beneficiário doou valores que chegaram a R$ 67 mil.

Fonte

POLÍTICA E SANGUE: Candidatos são alvos de crimes e ataques em ao menos 12 estados, Houve registros na BA, CE, GO, MA, MG, PB, PE, RJ, RN, RS, SC e SP

Polícia apura possíveis motivações políticas nos casos.

A morte do candidato a prefeito de Itumbiara, em Goiás, atingido por tiros durante uma carreata de campanha, é apenas mais um dos crimes cometidos contra políticos do país.

Um levantamento feito pelo G1 mostra que em ao menos 12 estados houve casos semelhantes, e a polícia investiga a suspeita de motivação política em tentativas de assassinatos e ataques a casas e carros de candidatos.

Confira abaixo os casos:


Goiás

José Gomes da Rocha (PTB) fazia uma carreata em Itumbiara, onde disputava a eleição para a prefeitura, quando foi atingido por tiros nesta quarta-feira (28). Ele foi socorrido, mas morreu no hospital. Os disparos também atingiram o vice-governador do estado, José Eliton (PSDB), que participava do ato político. Ele está internado na UTI, e o estado de saúde é regular. O suspeito foi morto por seguranças do governo. A polícia ainda apura a motivação do crime.


Rio de Janeiro

No Rio, 16 pessoas envolvidas com política foram assassinadas desde novembro de 2015. Em setembro, houve dois casos com motivações políticas.

O mais recente é a morte do Marcos Falcon, presidente da escola de samba Portela e candidato a vereador. Ele foi assassinado nesta terça-feira (26), quando dois homens encapuzados e armados  entraram no comitê de campanha do candidato, atiraram nele e saíram. Outras pessoas no comitê que não se feriram. Uma das linhas de investigação inclui a suspeita de motivação política.

Em Japeri, na Baixada Fluminense, André Luís de Oliveira Cristino, o Andrezinho, candidato a prefeito da cidade, foi alvo de um ataque a tiros no início da madrugada da última sexta-feira (23). Ele estava voltando para casa em seu carro, quando um outro veículo veio no sentido contrário e o fechou. Quatro homens armados atiraram contra o carro do candidato.


Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, a Polícia Civil deflagrou uma operação para combater crimes durante o período eleitoal em quatro cidades do Norte do estado: Cristal do Sul, Rodeio Bonito, Frederico Westphalen e em Seberi. Entre os crimes investigados durante a campanha eleitoral na região, estão tentativas de homicídios, incêndios criminosos, ameaças e danos, por exemplo.

Na noite da última segunda-feira (26), um candidato à Prefeitura de Cristal do Sul sofreu uma tentativa de homicídio na cidade de Rodeio Bonito. A polícia acredita que o crime tenha sido motivado por disputas políticas.

Em Mariano Moro, o carro do Armando Vendrame (PTB), candidato  a prefeito da cidade, foi atingido com 10 tiros na noite desta terça-feira (27). Ele escapou ileso. A polícia apura a motivação do crime.

Na cidade de Bom Progresso, quatro foram presas em uma briga que teria motivação política.

Em Braga, os candidatos a prefeito e vice tiveram o carro atingido por tiros na noite da última sexta (23). Hermes Ienerich e Antonio Ribeiro da Silva não se feriram e a Polícia Civil investiga a tentativa de homicídio e a motivação do crime.

O candidato à Prefeitura de Campo Bom, Francisco dos Santos (PMDB) foi abordado por um homem armado e teve o carro incendiado na noite de domingo (18). Para a polícia, trata-se de uma ameaça ou assalto à mão armada.


Bahia
O carro do candidato à reeleição de Presidente Tancredo Neves, baixo sul da Bahia, Valdemir de Jesus Mota (PV), o Balbino Mota, foi alvo de tiros na noite de quarta-feira (28), segundo a Polícia Militar.

Ninguém foi baleado na ação. Balbino teve uma lesão no peito por conta do impacto dentro carro e foi levado para o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus. Ainda não há informações sobre os autores e a motivação do suposto ataque.


Ceará
No interior do estado, em Senador Pompeu, um policial candidato a vereador foi morto a tiros. Claudio Nogueira disputava uma vaga de vereador na cidade de Quixeramobim. Para a polícia, trata-se de uma execução, já que nenhum objeto foi levado. A motivação do crime ainda não está clara.

O candidato a vereador de Aiuaba José Almir de Sousa foi assassinado após um comício na zona rural do município, na noite de sábado (24); horas depois, de acordo com a Polícia Militar, o filho dele matou a tiros o suspeito de atirar contra o candidato. A polícia investiga a motivação do crime e trabalha com hipótese de divergências política.


Maranhão
Um candidato a vice-prefeito em Olho-d’Água das Cunhãs (MA), município localizado a 287 km de distância de São Luís, sobreviveu a um atentado na madrugada desta quinta-feira (29). Ele voltava de um comício quando suspeitos atiraram contra seu automóvel. Ninguém ficou ferido.

Na última quinta-feira (22), quatro suspeitos invadiram a residência de um candidato ao cargo de prefeito em Icatu (MA), município localizado a 115 km de São Luís, no norte do Maranhão. Eles foram presos.

A polícia apura as motivações dos crimes.


Minas Gerais
O prefeito de Minas Novas (MG), e candidato à reeleição Gilberto Gomes de Sousa (PPS), foi vítima de um atentado nessa quarta-feira (28) na zona rural do município. O carro em que ele estava foi atingido por vários tiros quando passava entre as Comunidades de Baixa-Quente e Pimenteira. Ninguém ficou ferido. De acordo com informações do boletim de ocorrência, seis disparos atingiram o automóvel.


Paraíba

A casa do candidato a prefeito em Sousa, no Sertão paraibano, Fábio Tyrone(PSB), foi atingida por tiros por volta de 1h desta segunda-feira (19). De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar, dois homens em uma motocicleta se aproximaram da residência e atiraram várias vezes. Ninguém ficou ferido. Não há indícios de tentativa de assalto e até o momento a PM acredita que tenha sido um ataque, mas ainda apura a ligação com a política.


Pernambuco
Em Camutanga, a casa do prefeito candidato à reeleição pelo PSB foi alvo de tiros. Os disparos foram feitos por motoqueiros. Não houve feridos, e ninguém foi preso. A polícia apura a motivação do ataque.


Rio Grande do Norte
O vereador e candidato à reeleição Manoel Clementino do Carmo (PMDB), de 56 anos, foi assassinado a tiros na noite desta segunda-feira (26) durante um evento político em Serrinha dos Pintos, cidade distante cerca de 367 quilômetros de Natal. A motivação do crime é investigada.


Santa Catarina
O candidato a prefeito de Santa Cecília, na Serra catarinense, teve o carro atingido por tiros na madrugada desta quarta (28). Um automóvel teria parado ao lado do veículo de João Rodoger, do PSD, e um homem encapuzado teria descido. Ele se deitou no banco do automóvel e não ficou ferido.


São Paulo

Em Guarujá, litoral de São Paulo, a Polícia Civil investiga uma possível motivação política na execução do candidato a vereador Cerciran dos Santos Alves, conhecido como Celso do Transporte, na última quarta-feira (24).

O candidato foi morto em uma rua do bairro Jardim Esperança, próximo ao comércio onde trabalhava. Criminosos passaram em um carro atirando e, após o veículo da vítima colidir com um muro, eles desceram do carro e efetuaram mais disparos, totalizando cerca de 30 tiros.

Em Araçoiaba da Serra, a casa do prefeito da cidade foi atingida por bombas na noite desta quarta-feira (28). Duas pessoas foram presas em flagrante por jogarem os explosivos na garagem da casa do candidato, no centro da cidade. Ninguém ficou ferido.

Segundo informações da polícia, há alguns dias o candidato registrou boletim de ocorrência por ameaça de autoria desconhecida. Na ocorrência, ele afirma ter recebido uma ligação de um homem que ameaçou ele e sua família e ordenou que ele abandonasse a campanha.

Dupla combinou ação em casa de candidato a prefeito pelo WhatsApp (Foto: Divulgação)
Dupla combinou ação em casa de candidato a prefeito pelo WhatsApp

Da série “Tirei milhões da pobreza”: Lula, só na Suíça, tem R$ 52 milhões e todos os bens bloqueados

Como um ex presidente com salário mensal de R$ 13.000,00 (Treze mil reais), tem mais de R$ 52 milhões (cinquenta e dois milhões) de Reais em apenas uma conta na Suíça? E essa conta é a que foi descoberta.

E se existirem outras contas secretas? Como uma pessoa apresenta esse patrimônio incompatível com sua história e vida e ainda não foi preso, processado ou teve os bens bloqueados?

Há duas semanas, analistas do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, mais conhecido pela sigla a na Suíça Coaf, terminaram o trabalho mais difícil que já fizeram. O Coaf, subordinado oficialmente ao Ministério da Fazenda, é a agência do governo responsável por combater a lavagem de dinheiro no Brasil.

Reúne, analisa e compartilha com o Ministério Público e a Polícia Federal informações sobre operações financeiras com suspeita de irregularidades. Naquela sexta-feira, dia 23 de outubro, os analistas do Coaf entregavam à chefia o Relatório de Inteligência Financeira 18.340.

Em 32 páginas, eles apresentaram o que lhes foi pedido: todas as transações bancárias, com indícios de irregularidades, envolvendo, entre outros, os quatro principais chefes petistas sob investigação da PF, do Ministério Público e do Congresso.

Eis o quarteto que estrela o relatório: Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República, líder máximo do PT e hoje lobista; Antonio Palocci, ministro da Casa Civil no primeiro mandato de Dilma Rousseff, operador da campanha presidencial de 2010 e hoje lobista; Erenice Guerra, ministra da Casa Civil no segundo mandato de Lula, amiga de Dilma e hoje lobista; e, por fim, Fernando Pimentel, ministro na primeira gestão Dilma, também operador da campanha presidencial de 2010, hoje governador de Minas Gerais. O Relatório 18.340, ao qual ÉPOCA teve acesso, foi enviado à CPI do BNDES. As informações contidas nele ajudarão, também, investigadores da Receita, da PF e do MP a avançar nas apurações dos esquemas multimilionários descobertos nas três operações que sacodem o Brasil: Lava Jato, Acrônimo e Zelotes. Essas investigações, aparentemente díspares entre si, têm muito em comum. Envolvem políticos da aliança que governa o país e grandes empresários. No caso da CPI do BNDES, os parlamentares investigam as suspeitas de que os líderes petistas tenham se locupletado com as operações de  financiamento do banco, sobretudo as que beneficiaram o cartel de empreiteiras do petrolão.

Somente Lula tem em uma conta na Suíça, o equivalente a R$ 53 milhões de reais, um patrimônio incompatível para o salário de um ex-presidente e ex-metalúrgico. Vale lembrar que o salário presidencial de Luis Inácio Lula da Silva era de R$ 13,000,00 (Treze mil reais). No total Lula recebeu R$ 124.000,00 (cento e vinte e quatro mil reais) em 8 anos de governo. Como pode ter R$ 53 milhões em apenas uma conta? Ser palestrante não é capaz de somar essa quantia em 8 anos de trabalho.
Ao todo, foram examinadas as contas bancárias e as aplicações financeiras de 103 pessoas e 188 empresas ligadas ao quarteto petista. As operações somam – prepare-se – quase meio bilhão de reais. Somente as transações envolvendo os quatro petistas representam cerca de R$ 300 milhões. Palocci, por exemplo, movimentou na conta-corrente de sua empresa de consultoria a quantia de R$ 185 milhões. Trata-se da maior devassa já realizada nas contas de pessoas que passaram pelo governo do PT. Há indícios de diversas irregularidades. Vão de transações financeiras incompatíveis com o patrimônio a saques em espécie, passando pela resistência em informar o motivo de uma grande operação e a incapacidade de comprovar a origem legal dos recursos.

O Coaf não faz juízo sobre as operações. Somente relata movimentações financeiras suspeitas de acordo com a lei e regras do mercado, como saques de dinheiro vivo na boca do caixa ou depósitos de larga monta que não tenham explicação aparente. O Coaf recebe essas informações diretamente dos bancos e corretoras.

ATENÇÃO CIDADÃO: Deltan Dallagnol, sob pressão, pede apoio dos brasileiros nas redes sociais. CONTE COM A GENTE DELTAN!

O procurado da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, talvez não imaginaria o tamanho da quadrilha que enfrentaria para livrar o Brasil de uma vez por todas das garras da corrupção. A Lava Jato é um caminho sem volta.

Nas redes sociais o procurador pede aos brasileiros que realizem mobilizações em prol das 10 medidas de combate à corrupção que necessitam de aprovação pelos políticos, muitos deles investigados.

022

CONTE COM A GENTE, NOSSO AMIGO DELTAN, CONTE COM TODOS OS PARTICIPANTES DO SITE!

ESTAMOS COM VOCÊ, SEUS ASSISTENTES E CLARO, NOSSO QUERIDO SERGIO MORO!

Deputada Federal Maria do Rosário está na lista de empreiteiro da Lava Jato

Gerson Almada, vice-presidente da Engevix e réu na Operação Lava Jato, disse aos investigadores que encaminhou ao seu operador de propinas, Milton Pascowitch, uma lista com os candidatos que deveriam ser bancados pela empreiteira.

Todos são do PT:

“Vicente Cândido, Maria do Rosário, ‘Mirian’ (que o depoimento não identifica), os deputados estaduais do PT Rio Grande do Sul Altemir Tortelli, Marcos Daneluz e Nelsinho Metalúrgico, além dos irmãos Nilto Tatto e Enio Tatto, deputado federal e deputado estadual por São Paulo”.

O empreiteiro, no entanto, disse não se recordar se a doação aos políticos da sigla foi abatida das “comissões” que ele devia a Pascowitch.

Calma, Maria do Rosário. A gente sabe que os criminosos a adoram. 

Mas ainda está em tempo de se safar.

Em vídeo jovem indignada denuncia tática do PT para contratar figurantes negros por diárias de R$ 30 para o “Fora Temer”

A denúncia é grave!

Recentemente, uma jovem manifestou toda sua indignação após ter sido abordada por pessoas ligadas ao PT que lhe ofereceram 30 reais e um lanche para participar como figurante das manifestações “Fora Temer” organizadas pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que reúnem entidades como MST, CUT, MTST e UNE.

O vídeo com a denúncia é bem ilustrativo e retrata uma prática comum do PT nos últimos meses.

Segundo a jovem, os organizadores dos atos não demonstraram nenhum constrangimento ao deixarem clara a “preferência por jovens negros e pardos” da periferia.

Acompanhe o desabafo da jovem no vídeo abaixo:

O que as empresas não dizem: o que faz um avião cair?

Saiba quais são as diversas formas que podem afetar a segurança de uma aeronave.

O avião é considerado o meio de transporte mais seguro que existe, em especial se compararmos os números de mortes em envolvendo carros e motos contra os de aviões. Entretanto, isso não significa que ele esteja imune a panes, falhas e uso indevido, o que é raro, mas suficiente para dar um bom medo enquanto se está a milhares de quilômetros acima do solo e não há nenhum tipo de forma de salvação no caso de um acidente.

Pra saber melhor o que esperar na próxima vez que pegar um avião e aprender o que as empresas de aviação gostam de fingir que não existe, separamos os motivos mais comuns para acidentes aéreos envolvendo aviões comerciais:

Depressurização

Mascara_Canal_Piloto

Aviões comerciais voam a até 11 km acima da solo, em altitudes onde a pressão torna o ar rarefeito e a velocidade aumenta com rapidez. O detalhe é que não há oxigênio o suficiente nessas alturas, o que faz com que seja necessário um mecanismo de pressurização, que existe desde 1938. É por isso que existe a frase “em caso de despressurização, máscaras de oxigênio cairão automaticamente”. O problema é que essa não é uma situação tão inofensiva: ao contrário do afogamento ou sufocamento, a despressurização pode te fazer apagar em apenas 15 segundos e passar dessa pra melhor.

Força G

Oceanic_815_from_Otherville_02

Com o atrito e resistência do ar, aviões mal construídos ou velhos podem perder asas, flaps e outras partes essenciais para guiar os rumos da aeronave. Se forem feitas manobras indevidas, também, a fuselagem pode se romper, pois é criada uma força gravitacional – chamada de Força G – que age com maior força se o avião fizer viradas com angulações agudas demais, velocidade alta ou movimentos bruscos.

Disputa de território

inimigos-alados

Entre 1990 e 2007, mais de 12 mil acidentes envolvendo turbinas e pássaros foram registrados. Acontece que as aves, como os animais terrestres fazem no solo, ocupam o território aéreo, e os métodos para combater esse “problema” (na verdade o problema é o homem, invadindo o espaço das aves) são pouco eficazes – um deles é a falcoaria. Colidir com pássaros como o urubu pode fazer uma turbina explodir. Para testar a eficiência de turbinas, existe um teste que usa um “canhão de galinhas”, em que frangos mortos são disparados a 400 km/h contra as hélices.

Pane no sistema

hal_9000_interface_website_3

Em 2009, sete aviões do modelo Airbus A330 passaram por falhas de software, que inclinavam as naves de forma perigosa e criavam riscos no controle de bordo dos pilotos. Houve até um caso, num vôo da AirFrance, de São Paulo para Paris, em que uma queda no Oceano Atlântico causou a morte de 232 passageiros.

Ops…

pilotos-de-avião-distraidos

Na maior parte dos casos em que há acidentes trágicos, a verdade é que a culpa foi ou da empresa – que não realizou a manutenção corretamente – ou do piloto, que não soube estabilizar o avião. É o caso de um acidente ocorrido em 1977, em que, por erros da torre de comunicação e desobediência dos pilotos, dois aviões se chocaram num nevoeiro, matando 583 pessoas – um trágico recorde histórico.

Turbulência

aerodinamica-principiantes

Sabe quando dizem que não tem nada demais e que ninguém nunca morreu por turbulência? Bom, entre 1992 e 2001, o órgão americano FAA (Federal Aviation Administration) divulgou que houve 115 acidentes onde a turbulência foi fator central, com 251 mortes envolvidas. A maior parte, em aviões pequenos; aviões comerciais são projetados para resistir melhor aos choques mecânicos. Mas isso não impede que passageiros sem cinto de segurança sejam jogados contra o teto e poltronas a até 100 km/h, causando fraturas fatais.

Sistema hidráulico

1888479

É tão importante que a maioria das aeronaves tem 3, um para uso e dois reserva. Como nos carros, esse tipo de direção usa fluído pressurizados em canos que percorrem o veículo, e, para realizar curvas, dependem de bombas de compressão. Acontece que se a sensível fuselagem desses canos furar, o avião perde completamente o controle, o que é raro, mas já aconteceu – como no caso de Alfred Haynes, comandante que perdeu os 3 sistemas e ainda assim realizou um pouso forçado, usando o controle de potência de uma das turbinas.

E aqui algumas estatísticas:

avioes-da-morteonde-mais-se-cai

hora-da-verdadeerro-humano

SABOTAGEM: Janot que fatiar a Lava Jato e tirar a maior parte do inquérito das mãos de Sérgio Moro

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o desmembramento do inquérito-mãe da Operação Lava-Jato em quatro investigações, por grupo de atuação e agrupamento partidário dos políticos investigados. O pedido é no sentido de abrir um inquérito para o PT, um para o PP e dois para o PMDB, dividido entre PMDB do Senado e PMDB da Câmara.

A petição de Janot foi protocolada no início da noite desta quarta-feira e o conteúdo ainda não foi tornado público pelo STF. Fontes com acesso às investigações confirmaram ao GLOBO que a solicitação foi no sentido de desmembrar o inquérito-mãe por grupo de atuação e partidos.

A ideia é que os novos inquéritos, caso autorizados pelo ministro relator, Teori Zavascki, fiquem conectados entre si no âmbito do STF. O processo em curso investiga ou pretende investigar basicamente políticos de PT, PMDB e PP como supostos beneficiários dos desvios de contratos da Petrobras.

O inquérito número 3989 surgiu junto com os primeiros procedimentos instaurados para investigar o suposto envolvimento de políticos com foro privilegiado, em março de 2015, a partir das primeiras delações premiadas da operação. O processo no STF é o único que apura o crime de formação de quadrilha, e esta é a ideia do procedimento desde o início: analisar os esquemas de desvios de contratos da Petrobras e de outras estatais do ponto de vista da formação de uma organização criminosa.

O 3989 é um entre quase 50 inquéritos em curso no STF. Até agora, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou 13 denúncias contra políticos investigados na Lava-Jato, principalmente por crime de corrupção, decorrentes dos outros procedimentos. O inquérito-mãe, por sua vez, não avançou.

Desde o início, o procedimento investiga 39 políticos ou pessoas cujas práticas estão associadas às autoridades com foro. O inquérito caminha para ter, ao todo, 70 investigados: em 28 de abril, Janot pediu a inclusão de mais 31 pessoas no procedimento, o que ainda – quase cinco meses depois – não foi autorizado pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no STF.

A PF já chegou lá nas empresas de LULA: as suspeitas são que as movimentações financeiras da LILS e do Instituto Lula serviram para ocultar propinas

Segundo o Estadão:

A PF se concentra, em particular, na análise dos dados de 2014, ano de deflagração da Lava Jato, quando “foi registrada a distribuição de 5,3 milhões de reais em lucros ao petista”.

E mais:

“No material produzido pela PF, os peritos comparam as datas de recebimentos pela LILS por palestras com o período em que as empreiteiras pagaram propinas a dois ex-diretores da Petrobrás: Paulo Roberto Costa e Renato Duque”.

Diz o relatório da PF:

“Insta destacar, inclusive, que os períodos nos quais as empreiteiras Camargo Corrêa e Queiroz Galvão efetuaram pagamentos de propinas à Paulo Roberto Costa, via Costa Global, coincidem com o período em que efetuaram pagamentos à LILS Palestras por serviços pretensamente prestados”.

Fonte: Antagonista

Desespero: advogado de Lula apela para o TCU fiscalizar outros ex-presidentes

Lula sugere ao TCU auditoria em objetos faltosos e retirados do Planalto pelos ex-presidentes Fernando Henrique, Itamar Franco e Collor.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu recorrer nesta terça-feira (27) aos Ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), requerendo que seja autorizado o procedimento de auditorias em todos os documentos e objetos reconhecidos como presentes de outros Chefes de Governo, que exerceram seus mandatos de Presidente da República antes de #Lula e Dilma.

Entenda o que ocorreu

Em um cumprimento de diligência referente a 24ª fase da Operação Lava Jato, foram encontrados pelos agentes da Polícia Federal (PF) diversos objetos de valor considerável: bens relacionados a pratarias, adagas, moedas, obras de artes (pinturas); objetos preciosos como joias, inclusive, um crucifixo de propriedade do Planalto. Todos os itens estavam acomodados em um cofre do Banco do Brasil, em São Paulo, sob a titularidade do ex-presidente Lula.

Logo que o juiz federal que conduz a Operação Lava Jato, Sérgio Moro, tomou conhecimento dos fatos, imediatamente despachou determinando a intimação da Presidência da República na capital federal para prestar esclarecimentos da real procedência de todos os bens, os quais foram localizados e apreendidos em posse de Lula. Sugeriu ainda que fossem listados todos os objetos de natureza do patrimônio do petista.

Talvez seja por essa razão que o advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, requereu em juízo a conferência de todos os objetos pertencentes à presidência da República em mandatos anteriores, pois, segundo ele, não é justo que o seu cliente responda sozinho pelas atitudes de outros ex-presidentes. A fiscalização, segundo Zanin, deve alcançar os haveres retirados do Planalto por Fernando Henrique Cardoso, Itamar Franco e Fernando Collor de Mello, revelou a publicação do jornal “Correio Brasiliense“.

O Tribunal, no período em que realizou a auditoria, encontrou falhas em parte do procedimento de classificação dos bens e objetos que pertencem à União, entretanto, a inspeção ocorreu entre o período de 2003 a 2016, acobertando somente os mandatos dos Governos petistas.

Em função da certificação do TCU, foi determinada a conferência, incorporação e a classificação de todos os bens pertencentes ao acervo da Presidência da República.Significa dizer que os objetos que estão embargados em São Paulo, os quais estavam em poder do ex-presidente, serão recepcionados pelos conferentes da Presidência da República para a devida identificação. A quantidade reservada de itens supera 550 objetos vinculados ao ex-presidente Lula e 140 nominados a então ex-presidente Dilma Rousseff. Neste ínterim, estão proibidos de eventuais doações ou comercialização de qualquer peça.

VIGARISTA!!! SENADORA Gleisi Hoffmann foi eleita com dinheiro desviado de APOSENTADOS pelo marido, indicam planilhas

A campanha suntuosa que elegeu a petista Gleisi Hoffmann como a senadora mais votada do Paraná foi financiada com o dinheiro sujo arrecadado pelo seu marido Paulo Bernardo em esquema milionário de desvio de recursos no Ministério do Planejamento quando ele ocupava a pasta, segundo investigações.

A VEJA desta semana explica em detalhes o casamento entre corrupção e caixa dois eleitoral.

O PT ficava com 70% do superfaturamento na taxa de administração cobrada pela empresa paulista Consist de funcionários públicos, pensionistas e aposentados endividados que recorriam aos empréstimos consignados, cujas parcelas vêm descontadas automaticamente na folha de pagamento.

De acordo com a Polícia Federal, o partido arrecadou mais de 100 milhões de reais em cinco anos com base nesse método.

A cota do ex-ministro no esquema era transferida diretamente pela Consist para um escritório de advocacia de Curitiba, da confiança absoluta de Paulo Bernardo e Gleisi, sendo um dos sócios Guilherme Gonçalves, encarregado de defender a senadora em processos na Justiça.

A Consist fazia de conta que pagava pelos serviços de advocacia e os advogados pagavam as despesas do casal petista sem deixar rastros.

O casal não esperava, no entanto, que o advogado Sacha Reck, um dos sócios de Guilherme, resolvesse agir após ser acusado de envolvimento no escândalo.

Sacha pediu a uma empresa independente que fizesse uma auditoria nas contas e nos arquivos do escritório e descobriu que o contrato de serviços jurídicos com a Consist não passava de fachada.

Mensagens e planilhas guardadas em pastas secretas registravam o destino final do dinheiro:

“Eleitoral — Gleisi”.

Reproduzo o trecho final da matéria da revista, intitulada “Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann: sr. Propina e sra. Caixa Dois”:

“VEJA teve acesso aos documentos da auditoria entregues às autoridades.

Ao todo, o escritório recebeu 7,2 milhões de reais da Consist. Não se sabe ainda, com precisão, quanto desse valor foi parar no caixa dois eleitoral de Gleisi, mas há fartos indícios de que não foi pouco.

De acordo com os investigadores, a propina teria sido usada para pagar de tudo: ônibus para transporte de cabos eleitorais, jantares para prefeitos, motorista particular da senadora, aluguel de um flat usado como escritório informal da campanha.

Um estagiário do escritório fazia o papel de entregador de dinheiro vivo, sempre que necessário.

Em depoimento, ele disse ter ouvido do antigo chefe uma frase que resume bem o esquema:

‘O dinheiro pertencia a Paulo Bernardo, que intentava bancar a campanha de Gleisi Hoffmann para os cargos que disputasse’.

Na próxima terça-feira, o STF decide se aceita ou não a acusação de corrupção contra a senadora no caso do petrolão [ela ainda recebeu 1 milhão de reais em propinas desviadas da Petrobras, segundo a PF].

O casamento entre corrupção e caixa dois, ao contrário do que dizem os que desejam uma anistia generalizada, nunca foi tão perfeito.”

De fato, Narizinho vai precisar muito da ajuda de Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Marco Aurélio Mello para se safar.

Se fosse Sergio Moro, a líder da Bancada da Chupeta provavelmente já estaria esperneando como ré, a caminho da cadeia.

ESTADÃO: Lewandowski diz que impeachment de Dilma foi um ‘tropeço na democracia’

Comentário foi feito durante uma de suas aulas na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), onde o ministro leciona Teoria do Estado

BRASÍLIA – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, lamentou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e classificou o episódio como “um tropeço na democracia”. O comentário foi feito durante uma de suas aulas na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), onde o ministro leciona Teoria do Estado. Lewandowski foi responsável pela condução do julgamento de Dilma no Senado. A gravação foi registrada na última segunda-feira, 26, pela revista Caros Amigos.

Antes de encerrar a aula, Lewandowski criticou o presidencialismo de coalizão, que considerou ser fruto da Constituição de 1988, com o aumento dos partidos, mas também de um “erro” do Supremo, que acabou com a cláusula de barreiras. “Deu no que deu. Nesse impeachment que todos assistiram e devem ter a sua opinião sobre ele. Mas encerra exatamente um ciclo, daqueles aos quais eu me referia, a cada 25, 30 anos no Brasil, nós temos um tropeço na nossa democracia. É lamentável. Quem sabe vocês, jovens, consigam mudar o rumo da história.”

Lewandowski também criticou a iniciativa do governo Michel Temer de propor a reforma do ensino médio através de uma medida provisória, na semana passada, sem consultar a população. “Grandes temas como o estatuto do desarmamento tiveram um plebiscito para consultar a população. Agora a reforma do ensino médio é proposta por medida provisória? São alguns iluminados que se fecharam dentro de um gabinete e resolveram tirar educação física, artes? Poxa, nem um projeto de lei não foi, não se consultou a população”, declarou Lewandowski.

Ele afirmou ainda que “o Estado democrático de Direito é aquele que amplia direitos e complementa a democracia representativa mediante a participação popular”. Para Lewandowski, “todas as leis importantes” só deveriam entrar em vigor após um plebiscito ou um referendo regulado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O prazo, segundo Lewandowski, poderia ser estipulado em alguns meses pelo próprio TSE. “A iniciativa legislativa tinha que ser facilitada também, pois o número de assinaturas mínimo é praticamente impossível”, comentou aos alunos.

Palocci será interrogado nesta quinta por outro linha dura. Delegado Filipe Pace é tão rígido quanto Sérgio Moro

O delegado da Polícia Federal, Filipe Hille Pace, integrante da força-tarefa da Operação Lava jato é considerado um linha dura por seus colegas. A rigidez do delegado é decorrente da perspicácia e meticulosidade com que conduz suas investigações.

É com este delegado que o ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda nos governos do PT Antonio Palocci vai se ver frente a frente nesta quinta-feira, 29, quando será ouvido pelo delegado responsável pela condução da 35ª fase da Operação Lava-Jato, a “Omertà”.

O ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda nos governos do PT Antonio Palocci vai prestar depoimento à Polícia Federal (PF) na quinta-feira. Ele será ouvido pelo delegado Filipe Pace, responsável pela condução da 35ª fase da Operação Lava-Jato, a “Omertà”, referência ao código de silêncio usado pela máfia no Sul da Itália. Palocci seria o “italiano mencionado em e-mails e

Palocci, preso durante a operação, é o principal alvo de uma linha de investigação sobre desvios na Petrobras.  Mensagens telefônicas apreendidos e analisados pela Operação Lava-Jato e que embasam as suspeitas de corrupção que recaem sobre o ex-ministro. Palocci está sob suspeita de buscar favorecimento ilegal à Odebrecht em troca do suposto pagamento de propinas a si mesmo e ao PT;

Segundo a PF, os investigadores contabilizaram indícios de pagamentos de R$ 128 milhões entre 2006 e 2013. Ele está detido na carceragem da PF, em Curitiba, por um pedido de prisão provisória decretada com validade até sexta-feira. O dilema de Palocci consiste em decidir se vai manter calado e correr o risco de permanecer preso ou se vai abrir o bico para conseguir ser liberado. De qualquer forma, o Ministério Público Federal (MPF) deverá pedir a conversão da temporária em preventiva ao juiz Sergio Moro, titular da Lava-Jato na primeira instância.

Os outros detidos durante a 35ª fase da Operação Lava-Jato serão ouvidos nesta quarta-feira, 28. É bom que Palocci tenha combinado direitinho as versões com seus comparsas.

URGENTE: STF condena argumentos de Moro e diz que prisão de Palloci foi “arbitrária”; CONFIRA!

A decisão do juiz da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, Sergio Moro, de prender temporariamente Antonio Palocci, nesta segunda-feira (27), vai contra a jurisprudência do STF sobre a decretação de prisões cautelares.
Um voto de Celso de Mello de 2010 impede que o pedido de prisão se baseie em presunções.
De acordo com o que publicou a coluna de Lauro Jardim do jornal O Globo, Moro, em sua decisão, baseia a prisão de Palocci pelo “risco à ordem pública”, ou seja, ele voltar a receber propina, e pelo “risco à aplicação penal”.
Ele faz duas presunções subjetivas, o que vai contra o entendimento do STF.

PORTA DE CADEIA: Advogado de Palocci disse, “Meu cliente não pode ser preso porque é médico” É um novo tipo de ‘foro privilegiado’?

Após a prisão do ex-ministro Antônio Palocci, o advogado José Roberto Batochio criticou a Polícia Federal e alegou que seu cliente tem residência fixa, foi ex-ministro e ainda por cima ” é médico”.

Não entendi dr. Batochio”

Com relação a Palocci ter residência fixa, o advogado tem razão.

O ex-ministro tem residência fixa […] comprada com dinheiro de propina!

Dr, com o todo o respeito, lá em Bangu 1,2,3,4,5 tem advogado muito melhor que o senhor, nas portas da cadeia…. Sai de fininho meu querido….

RETRATO DO DESESPERO: Dilma entra na CAMPANHA e afunda JANDIRA no RIO

Jandira Feghali lidera a lista dos REJEITADOS na intenção de voto dos cariocas.

“Um apoio desse tipo ninguém precisa!”, “o que essa mulher veio fazer aqui!”, “a esquerda está dividida no Rio”. São frases que se escuta dos militantes de esquerda no Rio de Janeiro.

A candidata Jandira Feghali antes de se abraçar com a ex-presidente DILMA caminhava ainda entre os cotados para assumir a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Mas, repentinamente os gráficos despencaram.

Irritado com a situação, o deputado Jean Willys chegou a dizer que Jandira na verdade quer mesmo é ser derrotada e assim ajudar o candidato do PMDB a vencer as eleições. 

Jean disse nas redes sociais: “A verdade é que a candidatura da Jandira tem como única finalidade disputar parte do eleitorado de esquerda que vota no PSOL e ajudar Pedro Paulo, candidato do PMDB, a passar para o segundo turno”.

A esquerda, que perdeu status nas principais capitais, parece apostar suas fichas no RIo de JANEIRO e Lula estará essa semana em campanha por Jandira. Ao que parece, se depender da credibilidade que hoje passa, o petista vai acabar de enterrar a candidatura da esquerdista do PCdoB carioca.

Vejam abaixo a comparação publicada pelo O GLOBO

“… Jandira tinha rejeição de 35% e agora aparece no topo deste ranking, com 37%, uma diferença de dois pontos percentuais.”

 

Compartilhe: peloamordeDeus.com